Avaliação do impacto do modal de transporte dos colaboradores de uma empresa do setor financeiro sobre as emissões de gases de efeito estufa do escopo 3

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-08-02

Autores

Cruz, Gabriel Caique Dorsa da

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

As mudanças climáticas são uma das categorias de impacto ambiental com maior visibilidade pela sociedade contemporânea, pois seus desdobramentos são os mais percebidos, incluindo secas, chuvas intensas, elevação da temperatura, dentre outros. Nesse contexto, a estimativa da geração de gases de efeito estufa (GEE) associada aos aspectos ambientais do setor empresarial permite a busca de alternativas para a sua redução. O objetivo do presente trabalho foi avaliar o impacto do modal de transporte dos colaboradores de uma empresa do setor financeiro sobre as emissões de GEE do Escopo 3. A abordagem metodológica deste estudo adotou o princípio top-down, para estimar as emissões de GEE relativas a seis cenários de modal de transporte dos colaboradores para se deslocar a uma empresa do setor financeiro na região Metropolitana de São Paulo, no Estado de São Paulo. Uma pesquisa levantou os códigos de endereçamento postal (CEP) das residências dos colaboradores. Os cenários incluíram um deslocamento de 100% dos funcionários por automóvel a gasolina (Cenário 1), 100% dos funcionários se deslocando de ônibus (Cenário 5) e 100% se deslocando de automóvel a álcool (Cenário 6), além de três cenários envolvendo o deslocamento pelos três modais citados. Baseado nesse levantamento. As emissões de GEE foram estimadas pela metodologia Top Down recomendada pelo Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas. Os resultados apontaram que o Cenário 1 foi aquele com as maiores emissões de GEE, correspondendo a 859 t CO2/ano. A troca de combustível de gasolina por álcool (Cenário 6) proporcionaria uma redução de 26% nas emissões de GEE do Escopo 3. Todavia, a maior redução ocorreria no Cenário 5, quando todos os colaboradores se deslocariam até a empresa de ônibus, representando uma redução de 90%, quando comparado ao Cenário 1. Os resultados indicam que diretrizes de política pública direcionada ao incentivo do transporte público e uso de combustíveis de fonte renovável impactariam positivamente as mudanças climáticas. No setor empresarial o home office também promoveria desdobramentos positivos quanto a redução do GEE.
Climate change is one of the categories of environmental impact with greater visibility by contemporary society, as its consequences are the most perceived, including droughts, heavy rains, rising temperatures, among others. In this context, estimating the generation of greenhouse gases (GHG) associated with the environmental aspects of the business sector allows the search for alternatives for its reduction. The objective of this study was to evaluate the impact of the mode of transport used by employees of a company in the financial sector on Scope 3 GHG emissions. The methodological approach of this study adopted the top-down principle, to estimate GHG emissions related to six modes of transport scenarios for employees to travel to a company in the financial sector in the Metropolitan region of São Paulo, in the State of São Paulo. A survey collected the postal address codes (CEP) of employees' homes. The scenarios included a displacement of 100% of the employees by car using gasoline (Scenario 1), 100% of the employees traveling by bus (Scenario 5) and 100% traveling by car using alcohol (Scenario 6), in addition to three scenarios involving displacement by the three mentioned modes. Based on this survey. GHG emissions were estimated using the Top Down methodology recommended by the Intergovernmental Panel on Climate Change. The results showed that Scenario 1 was the one with the highest GHG emissions, corresponding to 859 t CO2/year. Changing fuel from gasoline to alcohol (Scenario 6) would provide a 26% reduction in Scope 3 GHG emissions. However, the greatest reduction would occur in Scenario 5, when all employees would travel to the company by bus, representing a 90% reduction, when compared to Scenario 1. The results indicate that public policy guidelines aimed at encouraging public transport and the use of fuels from renewable sources would positively impact climate change. In the business sector, the Home office would also promote positive developments in terms of GHG reduction.

Descrição

Palavras-chave

Desenvolvimento sustentável, Teletrabalho, Impacto ambiental, Sustainable development

Como citar