Possíveis limitadores da prática de remoção seletiva do tecido cariado no dia a dia de cirurgiões-dentistas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-07-28

Autores

Moreira, Jefferson Chaves

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esta pesquisa teve o objetivo de identificar se há falta de difusão do conhecimento e possíveis vieses cognitivos que estejam sendo limitadores para que o que se conhece em ciência sobre a Remoção Seletiva do Tecido Cariado (RSTC) não seja transmitido para a prática clínica. Ela foi composta por duas séries de perguntas de elaboração própria, online (via ‘Formulários Google’). A série de perguntas 1 foi aplicada a cirurgiões-dentistas e estudantes do último ano de Odontologia, e buscou investigar seus conhecimentos sobre a técnica de Remoção Seletiva, se eram a favor e estavam usando na prática clínica, e possíveis fatores relacionados à tomada de decisão sobre qual técnica utilizar. A série de perguntas 2 foi aplicada a coordenadores e/ou colaboradores de disciplinas relacionadas a cariologia, dentística ou materiais dentários; esta buscou investigar se os respondentes eram a favor e estavam usando a técnica, pesquisou possíveis fatores relacionados à tomada de decisão sobre qual técnica utilizar, e se estavam transmitindo conhecimentos sobre a mesma durante suas aulas. Para o recrutamento de voluntários, foram usadas estratégias de comunicação através de Entidades de Classe de Odontologia, de Secretarias Municipais de Saúde, de Universidades públicas e privadas, de redes sociais e por meio de comunicação presencial. Ao final da coleta dos dados, estes foram descritos por porcentagem de frequência e analisados por testes de associação (5%). De um total de 568 dentistas, 319 afirmaram sentirem-se inseguros quanto a seus conhecimentos sobre a RSTC. Dos 568, 406 erraram sobre quanto deve-se remover de tecido cariado em paredes pulpares de cavidades muito profundas, enquanto 410 acertaram o principal critério clínico para decidir até onde remover. Dos 568, 89 afirmaram que não usavam a RSTC. Destes 89, 54 não estudaram a técnica, 59 eram de especialidades não relacionadas à cariologia e apenas 7 eram especialistas em áreas relacionadas. 07 dos 53 professores afirmaram desacreditar na RSTC como melhor técnica. Concluiuse que há falta de difusão do conhecimento a respeito da RSTC e que há vieses cognitivos relacionados, os quais diminuem a adesão de cirurgiões-dentistas à RSTC.
This research aimed to identify if there is diffusion failure of the knowledge and possible cognitive biases that are been limiters to what is known in science about Selective Removal of Carious Tissue (SRCT) is not being transmitted to clinical practice. It was based on two question series elaborated by the authors, online (by ‘Google Forms’). Question series 1 was applied to dentists and Dentistry students of last year of graduation, and aimed to search their knowledges about SRCT, if They were in favor of and were using the technique on their clinical practice, and possible factors related to their decision-making of what technique to use. Question series 2 was Applied to coordinators and/or collaborators of disciplines related to cariology, dentistry or dental materials; it tried to investigate if the respondents were in favor of and if They were using the technique, searched possible factors related to decisionmaking of what technique to use, and if They were transmitting the knowledges about SRCT in their classes. To voluntary recruitment, communication strategies were used through Entities of Dentistry Class, Municipal Health Departments, public and private Universities, social media and face communication. At the end of data collection, date was described by frequency percentage and analyzed by association tests (5%). From 568 dentists, 319 said They feel insecure about their understanding regarding SRCT. Of these 568, 406 were wrong about how many the carious tissue must be removed from Pulp walls of very deep cavities, while 410 were right about the main clinical parameter to decide how far to remove the carious tissue. Of the same 568, 89 said They did not use the SRCT. From these 89, 54 did not study the technique, 59 were specialized in areas not related to cariology and only 7 dentists were specialized in cariology areas. 07 of 53 professors said they not believe SRCT as the best approach. It was concluded there is failure on SRCT knowledge and there are cognitive biases related, which decrease the dentist adherence to SRCT.

Descrição

Palavras-chave

Remoção Seletiva, Cárie Dental, Heurísticas, Educação em Odontologia, Odontologia Baseada em Evidência, Tomada de Decisão Clínica, Selective Removal, Dental Caries, Heuristic, Dentistry Education, Evidence-based Dentistry, Clinical Decision-Making

Como citar