Artigos - Serviço Social - FCHS

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 20 de 89
  • ItemArtigo
    As representações de escolares de bairros periféricos sobre o espaço onde vivem
    (Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, 2004-12) Fernandes, Maria Esther ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    This article is part of a broader research based and developed on the Fapesp Public Policy, and its fundamental goal was to understand, through their speech, aspects and struggles of life of people from popular social classes who dwell in the suburbs. In this research it was tried to analyze the scholarly representations about the space they live in (the periphery of Ribeirão Preto, State of São Paulo). The empiric material was raised from a written narration applied to students attending 4th and 5th grades in elementary degrees in the first semester of 2000, in public (state-run and county-run schools) which support the pupils of the suburbs referred in this research: Jardim Progresso, Conjunto Habitacional Avelino Palma, Jardim Anhanguera, Grajaúna, Novo Mundo and Zara including its slums. The texts reveal one of the most cruel aspects of children social exclusion deprived of access to basic life welfare.
  • ItemArtigo
    Para que servem os idosos?
    (CEDEC, 1986-12) Haddad, Eneida Gonçalves De Macedo ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • ItemArtigo
    INFORMAL AND PRECARIOUS: THE CORROSION OF PROTECTION AND RIGHT TO WORK
    (Fundacao Univ Tocantins, 2020-07-01) Reis, Amanda Lima ; Giaqueto, Adriana ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    The present work seeks to reflect the right to work and its fundamental role in the organization of society, as guaranteed by the Brazilian Federal Constitution of 1988 and the Universal Declaration of Human Rights. In view of the legal achievements in recognition of the right to work as a condition for the maintenance of life and dignity of the human person, the tensions and tendencies contrary to these achievements are placed with the transformations in the contemporary world of work. In this scenario new forms of labor relations guided by informality and precariousness are found, having as a great exponent today the phenomenon of uberization and unrestricted outsourcing, processes characterized by the dissimulation of the relations of subordination between employer and worker and, consequently, diminished access to labor rights. In light of the above, the urgency of rethinking the world of work permeated by informality and precariousness is reaffirmed, as well as the loss of the value of work in the contemporary world.
  • ItemArtigo
    Encarceramento juvenil: o legado histórico de seletividade e criminalização da pobreza
    (Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Curso de Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Santa Catarina, 2019-04-01) Bonalume, Bruna Carolina ; Jacinto, Adriana Giaqueto ; Universidade Estadual Paulista (Unesp) ; Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo Comarca de São Manuel
    Abstract This article discusses the issue of juvenile incarceration and how violence is present in the daily life of this population. The reflections are based on the recognition of the selectivity of justice in a society deeply marked by the inequality of gender, social class, and ethnicity. The discussions are carried out with the intention to provide the context of the social aspect, its expressions, and the way the state has historically addressed the issue - with coercion and consensus - revealing how the confrontation of this reality has roots in an unequal society supporting a notion of criminalization of poverty.
  • ItemArtigo
    Considerations about death and memory of the Emperor Julian in the testimonies of Libanius and Ammianus Marcellinus. (Fourth Century A.D.)
    (2016-01-01) de Carvalho, Margarida Maria ; de Omena, Luciane Munhoz ; Universidade Estadual Paulista (Unesp) ; Universidade Federal de Goiás (UFG)
    Among the many topics regarding the emperor Julian, the subject of his death has caught our attention. Many authors of the Late Antiquity, Christians or not, provided many versions about such event. The sophist Libanius and the serviceman Ammianus Marcellinus registered relevant scenes of the Prince's death, wrote their texts at the same period, were antiochenes and probably communicated. However, their narratives about Julian's death differ. Therefore, our goal is to analyze the many deaths of Emperor Julian presented in the testimonies of Libanius, as well as perform the comparison of these reports with the testimony of Ammianus Marcellinus about the same subject. The comparison will serve for us to have a better understanding about the way that the sophist and the serviceman built a virtuous memory of this Emperor, turning the death of that Prince into a living memory. We add that both authors wrote their texts in Emperor Theodosius I's period. Ergo, we have a hypothesis that the many versions about Julian's death are related to events that permeate the timing of the writing of the death, thus the authors make the memory alive about Julian through the many reports about the mournful event.
  • ItemArtigo
    CONDIÇÕES DE TRABALHO E SAÚDE NO CONTEXTO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL EM SANTA CATARINA
    (Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, 2018-12-01) Goulart, Patrícia Martins ; Lacaz, Francisco Antonio De Castro ; Lourenço, Edvânia Ângela De Souza ; Universidade Federal de São Paulo ; Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina Departamento de Medicina Preventiva ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Abstract The aim of this qualitative and quantitative research was to get to know and analyze the working conditions of the public servants who work at the National Institute of Social Security (from the Portuguese Instituto Nacional de Seguro Social) and have ties with the Social Security System in the south of the state of Santa Catarina, Brazil, focusing on the implications to their health. This exploratory research was performed between 2013 and 2017. The sample was composed of 165 workers from 11 agencies of the National Institute of Social Security in that region, who filled out a questionnaire with scales to rate working conditions and well-being in association with open questions. In a second moment, we adopted the narrative technique with the goal of complementing the data. The mean result of the working conditions scale (0-10) was 6.65 (SD = 1.39); as for the well-being, the mean result of the scale (0-7) was 4.99 (SD = 1.13). We observed ethical dilemmas deriving from the quality of the work, with the prioritization of the fulfillment of quantitative goals due to the introduction of the logic of the private sector within the management of the work in the public sphere. We concluded that the working conditions and well-being have negative repercussions on the health of the workers.
  • ItemArtigo
    ENTREVISTA COM JEAN-MICHEL CARRIÈ
    (Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, 2016) Carvalho, Margarida Maria De ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • ItemArtigo
    Terceirização: a derruição de direitos e a destruição da saúde dos trabalhadores
    (Cortez Editora Ltda, 2015-09-01) Lourenço, Edvânia Ângela De Souza ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    AbstractThis article is about the social relationships of the contemporary labor and their determination to the harm to the laborers' health. This latter fact is usually concealed. It is about understanding how labor and social security law is threatened, as it is proposed by the outsourcing of labor and production, with impact on the laborers' health. Finally, we hope to contribute to the unveiling of the real meaning of the outsourcing of labor and its respective rights.
  • ItemArtigo
    Desigualdade racial nos espaços escolares e o trabalho do assistente social
    (Cortez Editora Ltda, 2015-03-01) Freitas, Tais Pereira De ; Engler, Helen Barbosa Raiz ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    The text presented here focuses on the reflection on the repercussions of racial inequality in the spaces of the educational system that are configured crucial both for reproduction and for coping with the uneven condition. Thus it is considered the potential for the school construction process of racial equality and ethical commitment of social work in building a other social order, seeking to argue the role of the social worker integration in public education policy.
  • ItemResumo
    Desenvolvimento de comunidade no assentamento 17 de abril
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2003) Nunes, Paula de Souza ; Merisse, Márcia ; Silva, Semíramis Corsi ; Cícero, Pedro Henrique de Moraes ; Prado, Grace do ; Uyeki, Sônia Satie ; Salina, Luís Henrique ; Silva, Janaína A. da ; Silva, Fernanda P. ; Freire, Paulo F. S. ; Escrivão Filho, Antônio Sérgio ; Brandemarti, Heloísa ; Martins, Ana Claudia ; Sant'Ana, Raquel Santos ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Introdução: Artigo refere-se ao trabalho realizado pelo NATRA, Núcleo Agrário “Terra e Raiz”, grupo de extensão composto por alunos dos cursos da Faculdade de História, Direito e Serviço Social e coordenado por Raquel Santos Sant’Anna, que desde de 1997 discute a temática da reforma agrária e seus impactos na sociedade. A partir de 1998, com a ocupação e posterior assentamento das famílias no Horto Florestal, Fazenda Boa Sorte, em Restinga, SP, o NATRA passou a intervir diretamente naquela realidade. Desde 2000 o grupo desenvolve o projeto “Desenvolvimento de Comunidade no Assentamento “17 de Abril””. Objetivo: trabalhar com as minorias qualitativas do assentamento, jovens e mulheres, para auxiliar no processo de emancipação e participação efetiva dos mesmos na realidade, e ainda iniciar um trabalho de alfabetização de jovens e adultos, envolvendo toda a comunidade assentada. Metodologia: para melhor operacionalização do trabalho, o NATRA se subdividiu em três grupos. O Subgrupo das Mulheres, assim como o de Jovens, reúne-se quinzenalmente aos sábados no assentamento, com o objetivo de discutir relações familiares, de gênero, violência doméstica, e sua realidade. Além das discussões as assentadas realizam atividades artesanais, como pintura e crochê; este subgrupo ainda conta com a colaboradora Profª. Drª Israilde Chinalle. Outro Subgrupo, o dos Jovens, surgiu com a proposta de discutir a questão do protagonismo juvenil, drogas, sexo, educação, cultura, e ainda para proporcionar um espaço lúdico de entretenimento e aprendizado; o grupo trabalha com músicas, jornais, filmes, dinâmicas, para garantir maior participação dos jovens. A proposta de alfabetização surgiu devido à alta demanda; o Gapaterra propõe alfabetização através do “Método Paulo Freire”, neste momento realiza o levantamento das turmas. No segundo semestre pretende iniciar as aulas, com monitores do NATRA e do assentamento. Os extensionistas realizam seminários mensais sobre assuntos referentes à estrutura fundiária, intervenção na realidade, organização de assentamentos, visando formação teórica. Resultados: após dois anos do projeto, observou-se que o Grupo de Mulheres já é reconhecido dentro do assentamento, as assentadas participam de encontros e assembléias e ainda produzem artigos que serão comercializados e o dinheiro revertido para o grupo. Os jovens do assentamento reconhecem o grupo não só como espaço de lazer, mas de discussão e reflexão. Através das atividades realizadas, o NATRA procura reforçar o apoio à luta pela terra, bem como fortalecer a mobilização dos assentados na luta pela Reforma Agrária e uma sociedade mais justa; assim acreditamos estar cumprindo o tripé da universidade pública: ensino, pesquisa e extensão.
  • ItemResumo
    Centro de planejamento e extensão universitária em Serviço Social
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2003) Araujo, Regina Lopes de ; Ferreira, Nilton José ; Fernandes, Geraldo Cesar Coelho ; Canôas, José Walter ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Introdução: O Centro de Planejamento e Extensão Universitária em Serviço Social - CPEUSS, vinculado ao Departamento de Serviço Social da FHDSS–Unesp/Franca. Foi criado em 1982, para atender as necessidades de aperfeiçoamento técnico/metodológico do graduando do curso de Serviço Social, no âmbito do Desenvolvimento de Comunidade (ENSINO); colabora para a construção de relações sociais mais justas e igualitárias no contexto social, buscando a organização comunitária para a conquista da cidadania (EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA) e incentiva a pesquisa científica e a extensão, a fim de contribuir com profissionais e alunos de outras áreas na formação e crescimento profissional (PESQUISA). Objetivos: Visa proporcionar aos docentes, pesquisadores, acadêmicos de Serviço Social e a outros profissionais, condições de reflexão crítica acerca do trabalho sócio-ético-político, inserido no processo de desenvolvimento comunitário, priorizando à conquista de direitos e cidadania e qualidade de vida, ressaltando a pesquisa como fonte de aprendizado, formação e crescimento profissional. Métodos: As atividades do referido CPEUSS são planejadas coletivamente mediante reuniões: três vezes por semana os alunos e supervisores se reúnem para realizar reuniões administrativas, supervisão e planejamento das atividades de campo e oficinas de capacitação, sendo que nos finais de semana efetiva-se o trabalho nos bairros. Nessas atividades, são aplicadas as teorias do Serviço Social, utilizando os seguintes instrumentais: mobilizações, assembléias, reuniões, visitas domiciliares, dinâmicas de grupo, entrevistas, pesquisas, elaboração de projeto, relatórios, atas. Resultados: Atividades realizadas entre Abril/2001 a Junho/2002 foram as seguintes: Coordenação de reuniões de supervisão, planejamento, supervisão e administração; Elaboração de Atas das reuniões; Relatórios das atividades do Projeto; Elaboração de Mapeamento no bairro Jardim Zelinda e Pesquisa; Assembléia com os moradores; Realização de Seminários de capacitação técnica; Planejamento e execuçãodo Workshop na área de Desenvolvimento de Comunidade; Elaboração do Projeto Arte e Cidadania; Relatório de Análise da Pesquisa Jd. Zelinda; Participação no Nono Seminário de Iniciação Científica da UFOP; Sexta Jornada Unesp/C.Franca de Iniciação Científica e XIII Semana de Serviço Social; SBPC de Salvador e, com publicação de trabalhos. Comissões internas de trabalho; visitas a centros comunitários e ao Jardim Zelinda; oficinas e palestras de teoria e metodologia de Desenvolvimento de Comunidade.
  • ItemResumo
    A universidade na comunidade: uma experiência de atendimento Psico-Sócio-Jurídico
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2003) Oliveira, Cirlene Aparecida Hilário da Silva ; Andrade, Maria Angela R. Alves de ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Introdução: O trabalho de extensão se caracteriza pelo atendimento às demandas sociais através da execução de projetos e de atividades de prestação de serviços diretos a comunidade, de atividades de ensino e de pesquisa, apresentando-se como uma das possibilidades de concretização da dimensão pública da instituição universitária a serviço da coletividade. O Centro Jurídico Social, unidade auxiliar da Faculdade de História, Direito e Serviço Social – UNESP/Campus de Franca, em toda sua trajetória prioriza a prestação de serviços à população usuária, objetivando atender suas necessidades psico-sócio-jurídicas mediante a ação interventiva de profissionais das áreas de Direito, Serviço Social e Psicologia, e estagiários das duas primeiras áreas. Objetivo: Prestação de assistência psico-sócio-jurídica à população da Comarca de Franca, considerada economicamente necessitada: é um espaço privilegiado para o cumprimento do papel social da universidade, através da assistência judiciária e o conseqüente acesso à defesa e reivindicações dos direitos dos cidadãos. Metodologia: O CJS caracteriza-se como um campo de atuação interdisciplinar mediante a intervenção psico-sócio-jurídica realizada com a população usuária, onde as solicitações de atendimento concentram-se fundamentalmente na área da família. A unidade é também um espaço de formação profissional, onde os alunos dos cursos de Serviço Social e Direito realizam atendimentos e acompanham todo o processo de intervenção, sendo devidamente orientados/supervisionados pelos profissionais. Resultados: Os dados estatísticos apontam uma significativa parcela de pessoas atendidas em 10 anos de funcionamento – 4.272; este dado é fundamental pois permite uma avaliação do rebatimento dos serviços prestados por esta unidade auxiliar à comunidade usuária. O CJS constituiu-se num elo de ligação entre a universidade e a comunidade; isso é visível quando se observa o número de atendimentos realizados que indica não somente a grande procura da unidade, mas também o seu significado na rede institucional do município. O CJS também considerado um espaço de formação profissional dado sua natureza voltada para a capacitação técnico profissional de alunos de Serviço Social e Direito. A pesquisa também é um dos pontos que o CJS procura estimular, em nível de graduação e pós-graduação, sendo esta unidade auxiliar reconhecida em sua condição privilegiada devido a diversidade de situações que são trabalhadas no seu cotidiano. A experiência tem revelado que a extensão é um processo educativo, cultural e científico que articula ensino e pesquisa e viabiliza a relação transformadora entre a universidade e a sociedade.
  • ItemResumo
    Arte e Cidadania
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2003) Ferreira, Nilton José ; Fernandes, Geraldo Cesar Coelho ; Canôas, José Walter ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Introdução: O “ARTE E CIDADANIA” apresenta-se como proposta de criação de alternativas através da arte, para proporcionar lazer e cultura vinculado a educação e a organização popular, visando o desenvolvimento sustentado no bairro Jd. Zelinda. Este projeto faz-se importante pois atende as necessidades da população, na medida em que busca trazer uma reflexão sobre a conquista da cidadania, que significa: ter acesso à educação, saúde, lazer e cultura, através das reivindicações dos próprios moradores organizados; e também, tem seu valor quando estabelece um vínculo entre a população e a arte, ou seja, uma aproximação da mesma, à cultura, através do acesso ao teatro, à música, cinema, enfim, das diversas expressões culturais e artísticas. Objetivos: Construir, a partir das expressões culturais e artísticas, uma reflexão sobre a realidade econômica–política-social; Fazer da Arte um instrumento para a mobilização e organização da comunidade em busca de uma melhor qualidade de vida. Métodos: O trabalho iniciará através de uma ampla divulgação, para a mobilização dos moradores, para conhecerem detalhadamente o Projeto e se inscreverem nas oficinas pré-estabelecidas em pesquisa anterior realizada junto aos moradores do bairro. Cada oficina será monitorada uma vez por semana, sendo que os inscritos poderão participar de várias atividades, sem restrições. Nas oficinas serão enfocados temas que, despertem os integrantes para uma ampliação da consciência crítica da realidade em que vivem sendo estimuladas a intervir em sua realidade social. O Projeto tratará de temas diversos, através de palestras que serão abertas aos moradores, realizaremos visitas em alguns pontos culturais da cidade, como o Museu da Imagem e do Som e o Museu Histórico Municipal de Franca, para que possam conhecer e desfrutar desse patrimônio que faz parte de sua história. Resultado: No final dos seis meses, o Projeto promoverá uma semana de apresentações, denominada Encontro Cultural, que terá um local pré-estabelecido, que possa atender a demanda popular. No período de implantação, formará monitores que possam dar continuidade às oficinas, podendo o PROJETO ser implantado, também, em outros bairros. As parcerias serão importantes para a sustentabilidade do mesmo, fornecendo local e material.
  • ItemResumo
    Núcleo Terra e Raiz
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2001) Silveira, Ubaldo ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    O Núcleo "Terra e Raiz" é formado por um grupo de alunos de graduação dos cursos da Faculdade de História, Direito e Serviço social - Câmpus de Franca - juntamente com o coordenador, que preocupados com a real situação da problemática da terra no país, tomou a iniciativa de uma atuação junto aos trabalhadores rurais "Sem-Terra". Portanto o núcleo iniciou seu processo de formação em 1997, uma vez que nesta Unidade não havia nenhum trabalho de extensão nesta área. O final deste século configura-se na forma de profundas mudanças estruturais por todos os continentes do globo terrestre, evidenciando um mundo globalizado. A implementação da tecnologia no campo e na cidade expulsou das fábricas e das fazendas milhares de trabalhadores. Tal fato, conjugado com a inexistência de uma política social voltada para esse problema por parte do governo apenas contribui para o estabelecimento de considerável parcela da sociedade na condição de verdadeiros marginalizados. Mais do que o aumento de excluídos do processo social, essa situação reflete-se na maioria das vezes na forma de aumento do índice de criminalidade, de favelados e de "Sem- Terra". A região de Franca pode exemplificar este processo, localizada no nordeste do Estado de São Paulo, próximo à cidade de Ribeirão Preto, tem sua inserção econômica concentrada basicamente na indústria calçadista, sendo sua composição social formada na sua maioria, por operários. A cidade vive atualmente uma enorme crise estrutural, causando um desemprego e um aumento circunstancial no número de trabalhadores no mercado informal. Esta região caracteriza-se ainda pelo intenso contado com a comunidade rural empregada na produção e colheita da cana de açúcar e do café, e na agropecuária em especial na produção de leite. Dada essas características é notável os problemas de ordem social e econômica vivido pelas famílias de trabalhadores: na área rural é comum a figura do bóia-fria vagando pelas fazendas em busca de trabalho com baixíssimos salários levando-os à insalubre condições de vida. Nesse sentido a necessidade de assentamento do homem no campo e principalmente da reforma agrária, apresenta-se como uma das principais, senão a maior, inquietação política no Brasil. Sobre esse aspecto, cabe aqui algumas considerações sobre o papel social que a Universidade deve desempenhar nesse processo, haja vista que: em primeiro lugar enquanto apêndice do Estado sofre em sua estrutura as contradições que se operam no seio de outros níveis da sociedade; em segundo por ser instituição produtora de conhecimento pode, à medida que reflete sobre os problemas do mundo contemporâneo, apontar algumas soluções para as comunidades, e, mais especificamente, nesta realidade, no meio rural. Frente a esta situação real a extensão é um processo educativo, cultural e científico que articula o ensino e a pesquisa de forma indissociável e viabiliza a relação transformadora entre a universidade e o meio rural. Concretiza-se em um conjunto de atividades que constrói um vínculo orgânico entre a universidade e os interesses e necessidades do homem no campo. Desta maneira vem permitindo o fortalecimento dos vínculos da Faculdade de História, Direito e Serviço Social com a realidade do município e da região - em especial na zona rural, através da atuação no acampamento do "17 de Abril" na Fazenda Boa Sorte, no município de Restinga (SP). Um dos traços distintivos da extensão é, pois, o atendimento às demandas sociais por meio de projetos e atividades de ensino e pesquisa, permitindo a expansão da Universidade para além de suas fronteiras internas. A extensão concretiza e alarga a dimensão pública da instituição universitária - a serviço da coletividade -, democratizando-a e revertendo suas atividades em um reforço da esfera pública. A partir de 19 de março de 1998 este núcleo vem se estruturando de maneira mais eficiente, pois, antes o grupo estava encontrando dificuldade de uma atuação mais concreto. Em início de 1998, quando ocorreu o acampamento dos "Sem- Terra" na Fazenda Boa Sorte surgiu a oportunidade de uma real extensão no meio rural. Atualmente sua atuação se desenvolve em três setores: a) jurídica - há um início de atuação junto aos acampados em suas necessidades nesta área; b) educação - está se estruturando uma ação mais efetiva de educação, com base no método de Paulo Freire, junto às crianças, jovens e adultos; c) saúde - o grupo tem procurado intermediar as necessidades da área da saúde dos acampados aos recursos oferecido pela comunidade Francana, e também está iniciando um trabalho de medicina alternativa neste acampamento. Até a presente data o Núcleo já realizou os seguintes eventos: Ø Realização do I Ciclo de Debates sobre a Questão Agrária no Brasil, nos dias 18 e 19 de novembro de 1997 que contou com a participação de membros da coordenação nacional do MST, representantes do Núcleo de Estudos sobre Reforma Agrária da UNESP do Câmpus de Araraquara, além de professores do próprio Câmpus; Ø Exposição fotográfica "TERRA" de Sebastião Salgado com o lançamento simultâneo do cantor e compositor Chico Buarque e do livro do literato português José Saramago. Durante o evento, que ocorreu neste Câmpus, entre os dias 10 e 17 de abril de 1997 foram vendidos fotos, CD's e livros visando arrecadar fundos para o MST; Ø Participação de alunos de graduação no estágio de vivência no acampamento do MST localizado na fazenda Pirituba de 02 a 20 de janeiro de 1997. A atividade foi organizada pelos alunos e professores do Câmpus de Botucatu; Ø Participação do ato em solidariedade à Marcha Nacional por Reforma Agrária, emprego e justiça no dia 06 de março de 1997 na cidade de Ribeirão Preto (SP); Ø Organização da visita ao "Acampamento 17 de Abril" com os calouros de 1999 dos cursos de graduação de História, Direito e Serviço Social, no início deste ano letivo;. Ø Realização de um Debate - Mesa Redonda "A Violência invade o campo"-, organizado pelo núcleo que contou com a participação de professores debatedores deste Câmpus, com representantes do MST, com a presença da comunidade acadêmica e com representantes de lideranças sindicais. O evento ocorreu no Salão Nobre desta unidade, em 14 de abril de 1999, com o objetivo de tornar presente aquele pavoroso massacre em Eldorado dos Carajás, no Pará que aconteceu em 17 de abril de 1996, onde ocorreu 19 assassinatos efetuados pela Polícia Militar, justamente por causa de terras na fazenda Macaxeira. Portanto o Núcleo tem a preocupação em auxiliar na formação de seus membros, como futuros assistentes sociais, advogados e historiadores críticos e competentes através de atividades de extensão, visando contribuir para o processo de cidadania e democratização da sociedade brasileira, entendendo que formação do universitário não se dá unicamente em sala de aula.
  • ItemResumo
    Terapia, relaxamento, stress e outros aspectos, via Biodança
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2001) Faleiros, Ana Maria ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    Trata de uma atividade destinada à pessoas que freqüentam a UNATI - Universidade Aberta à Terceira Idade - que teve início em 1996, permanece no ano letivo de 1999 e deverá ter continuidade. Essa atividade se concretiza através de uma sessão semanal, com duração de duas horas em que os integrantes participam de vivências. Nelas são utilizadas a música e exercícios corporais, que ativam processos fisiológicos, despertando estados emocionais. Essas vivências geram a homeostase, colocando o organismo em um equilíbrio dinâmico de modo que o defende do stress, aliviando as tensões. Durante as vivências ocorre uma integração afetiva, renovação orgânica e reaprendizagem das funções originárias da Vida. Estimula-se o sentir e a expressão das emoções, propiciando encontros humanos plenos de poesia e sensibilidade, capazes de criar uma harmonização entre as pessoas. A Biodança tem o princípio biocêntrico como base de seu referencial teórico e um modelo teórico que vai de encontro ao paradigma holístico, reverenciando a Vida. O participante de um grupo de Biodança, progressivamente vai se sentindo um ser vivente pleno, capaz e comprometido com o grupo. Ele confia e se entrega, aprendendo a se amar e a amar o outro, adquirindo a cumplicidade de partilhar o seu sentir com o outro. Estabelece uma forma de comunicação em feed - back, pois passa a postular uma concepção ecológica das relações humanas. Durante as vivências são trabalhados diferentes aspectos da pessoa, valorizando aquilo que ele tem de bom de saudável, gerando oportunidade para ela se conhecer melhor. Uma vez que se conhece melhor ela será capaz de conhecer, também o outro e vê-lo em seus aspectos positivos. Após uma sessão a pessoa tem uma sensação de bem estar e transmite aos demais aquilo que ela tem de melhor em si. É sua essência que vem à tona, pois ela é "tocada" pela música e pela dança. Tanto a música como dança exerceram e exercem poder e influência sobre as pessoas, nas suas decisões. Desde tempos muito remotos a dança e a música são utilizadas como finalidades terapêuticas, como a dança da fertilidade ou as danças galactógenas de tribos africanas. Tanto uma como a outra, por terem uma linguagem universal induzem vivências capazes de modificar o organismo humano em níveis imunológico, endócrino, afetivo-motor, homeostático. A dança é movimento de vida, é ritmo, é biológico, é impulso que promove no homem o vínculo com sua espécie, bem como é movimento de intimidade e também de expressão. Há danças expressivas, de grande significado afetivo que estimulam a abertura, a expressão das emoções. Os movimentos em biodança são plenos de sentido; deles emana uma espécie de força cósmica ordenadora. Cada gesto traduz uma emoção. Esses movimentos englobam aspectos somáticos, expressivos, emocionais e simbólicos, mas são os movimentos afetivos que promovem as modificações integrativas, pois são movimentos que "brotam do coração", porque são endógenos. O objetivo da biodança é criar condições para que a pessoa expresse de forma espontânea o conjunto de qualidades essenciais que lhe conferem a singularidade, ou seja a sua identidade. Segundo Rolando Toro, criador da biodança a maior parte das enfermidades mentais e psicossomáticas se deve aos bloqueios da identidade. Assim, através das vivências em biodança, a pessoa se permite a sua plena expressão e pode, em conseqüência usufruir de bem estar e fortalecer-se no sentido de superar as formas de incoerência existencial, aceitando-se e se auto-regulando, vivendo de modo equilibrado.
  • ItemResumo
    O grupo de alfabetização Paulo Freire e seu trabalho na Cadeia Pública de Franca-SP
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2001) Sant'ana, Raquel dos Santos ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    GAPAF é um grupo de extensão universitária da Faculdade de História, Direito e Serviço Social da UNESP Câmpus de Franca , que desenvolve um trabalho referente a educação na cadeia pública da cidade. Os integrantes da equipe são 14 alunos da graduação e pós-graduação dos cursos oferecidos pela faculdade (História, Direito e Serviço Social ) e possui coordenação de uma professora do departamento de Serviço Social . A iniciativa possui os objetivos de : - Contribuir com a luta pelos direitos humanos; - Promover a formação e sensibilização do estudante universitário para o trabalho com a comunidade e com a realidade prisional; - Desenvolver uma ação educativa e uma reflexão pedagógica embasadas na tendências crítico- progressista O início do projeto deu-se em abril de1998, desde então passou-se para a preparação teórico- metodológica (oficinas pedagógicas, leitura , discussões grupais, etc.),visando a implementação efetiva do trabalho na cadeia . Definiu-se para o desenvolvimento do projeto a utilização do sistema Paulo Freire, que visa além de alfabetizar, propiciar a auto-apropriação da consciência crítica através de discussões grupais; seu pressuposto teórico baseia-se na construção da aula em conjunto com o educando e a partir de sua realidade concreta . A efetivação das aulas ocorreu em agosto do mesmo ano (1998), momento em que ministrou-se a alfabetização . Com o desenrolar do processo de ensino - aprendizagem e a vivência na cadeia, notou-se em 1999, a demanda de grande parcela de presidiários, pelo oferecimento de cursos posteriores à alfabetização; a partir daí elaborou-se três níveis de ensino: alfabetização, intermediário e avançado . Assim para a realização do trabalho, a organização ocorre da seguinte forma : o grupo se divide em duplas ou trios, que são fixos, assim como suas respectivas turmas. Atualmente o projeto conta com seis turmas de alunos presos; onde cada turma assiste uma aula semanal com duração de duas horas . Porém, é necessário citar que a trajetória inicial enfrentou inúmeras dificuldades, tais como: a compreensão plena da sistema utilizado - Paulo Freire; a intensa rotatividade interna dos presos, a ausência de recursos financeiros e questões infra-estruturais . Entretanto, atualmente o GAPAF conta com o apoio do Conselho da Comunidade de Franca (orgão composto por : juíz da vara de execuções criminais, promotor de justiça, entidades religiosas, representantes do Comércio e Indústria e profissionais da área social e jurídica ), do Departamento de Serviço Social da FHDSS e da PROEX/UNESP, que auxilia as atividades através de bolsas. Considerando todo o processo relatado anteriormente, é possível observar que o resultado da iniciativa de educação de presidiários tem sido extremamente favorável frente a comunidade francana, pois têm mobilizado a opinião pública no que diz respeito à realidade prisional, direitos humanos, além da repercussão e exemplo à comunidade unespiana local e de outros câmpus.
  • ItemResumo
    Iniciativa de extensão
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2001) Andrade, Maria Angela Rodrigues Alves de ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    O Centro Jurídico Social é uma Unidade Auxiliar do Câmpus de Franca, criada em 23 de maio de 1990 e oficializada em 26 de maio de 1992, que tem como objetivo a prestação de assistência psico-sócio-jurídica à população da Comarca de Franca, considerada economicamente necessitada, oportunizando mediante este serviço sua participação e reivindicação de seus direitos enquanto cidadãos. Sendo considerado um "laboratório", outro objetivo é o da formação técnico-profissional dos estagiários dos Cursos de Direito e Serviço Social desta Faculdade, desenvolvendo um trabalho integrado entre as duas áreas. Desde a sua criação, o Centro Jurídico Social, contribuiu para a formação de 236 (duzentos e trinta e seis) estagiários sendo, 124 (cento e vinte e quatro) do Curso de Direito e 112 (cento e doze) do Curso de Serviço Social. O Centro Jurídico Social contribuiu enquanto Unidade de Pesquisa, até o ano de 1998, para a elaboração de 12 (doze) trabalhos de conclusão de curso de Graduação em Serviço Social, 02 (duas) dissertações de mestrado, 02 (duas) teses de doutorado e promovidos 09 (nove) eventos e cursos. Constatamos que desde o período de implantação do Centro Jurídico Social, houve um considerável avanço em todos os aspectos: físicos, humanos e estruturais, o que consequentemente reforça a necessidade e importância da sua criação, apresentando um aumento significativo de atendimento populacional. O Centro Jurídico Social possui uma equipe interdisciplinar composta por 02 (duas) Assistentes Sociais, 02 (duas) Advogadas, 01 (uma) Psicóloga, 01 (uma) Recepcionista, 01 (uma) Secretária e um quadro de 12 (doze) estagiários de Serviço Social e 12 (dozes) estagiários de Direito. Na parte administrativa, o Centro Jurídico Social possui uma Diretoria composta por 01 (um) Supervisor, 01 (um) Vice-supervisor, 01 (uma) Secretária geral, 01 (uma) Secretária de operações assistenciais e 01 (uma) Secretária de operações jurídicas. A ação desenvolvida pauta-se num trabalho integrado, onde procuramos oferecer aos estagiários a oportunidade de sistematizarem os conhecimentos técnico-científicos apreendidos na graduação mediante sua intervenção prática no campo do estágio. Esta experiência lhes oferece maior segurança e aprimoramento em sua fura profissão o que consequentemente os capacitará para uma ação profissional mais efetiva. Devido a clientela atendida pelo Centro Jurídico-Social, pessoas carentes não só de recursos financeiros, mas de todo e qualquer acesso aos serviços públicos essenciais, houve a iniciativa de fundar um Núcleo de Pesquisa intitulado " Direitos Humanos, Cultura e Cidadania" a fim de promover um congraçamento entre a atividade prática desenvolvida no campo de estágio e o aprendizado teorico dos Direitos ( pelo Curso de Direito) e das políticas públicas ( pelo Curso de Serviço Social), procurando-se atingir uma interdisciplinariedade, essencial para o desenvolvimento da pesquisa científica. O trabalho de pesquisa e discussão é desenvolvido pelos Professores Supervisores do Núcleo Jurídico com a participação aberta da comunidade unespiana ( alunos, professores e funcionários) com ênfase no trabalho desenvolvido pelo Centro Jurídico-Social. O Trabalho é de implantação recente e o principal obstáculo encontrado até o momento diz respeito à uma equalização metodológica, observável a partir das diferentes práticas dos Cursos de Direito e de Serviço Social: enquanto o Curso de Serviço Social, seus alunos e professores tem uma intervenção mais ativa no contexto situacional em que ocorrem as violações aos direitos humanos mais elementares, o Curso de Direito pauta-se pela intervenção pela via indireta através da busca do remédio jurídico-legal para sanar as mesmas violações. Estas dificuldades serão sanadas com as experiências adquiridas no desenvolver do trabalho. Por outro lado, as discussões para superação das divergências possibilita um enriquecimento de ambos os grupos, pois possibilita a implementação do conceito da interdisciplinariedade através da troca de experiências. São feitas reuniões mensais que discutem temas propostos na reunião anterior ligados a realidade fática observada no centro durante o trabalho de estágio e sua conjugação aos ensinamentos teóricos, procurando-se integrar a prática e a teoria. Algumas encontros são iniciados com a discussão de casos , outro com embasamento teórico e é proposto aos alunos, principalmente, a realização de temas de pesquisa ligados ao tema. Um problema é a falta de financiamento para a iniciativa, mantida até agora mais pelo esforço e iniciativa dos alunos e professores ligados ao Projeto. Os resultados começam agora a frutificar: um primeiro é um maior interesse pelos alunos de ambos os cursos para o tema e para sua efetiva insersão na agenda de assistentes sociais e juristas. O segundo é a melhoria da conscientização ética dos participantes, e através deles da Sociedade, essencial para a implementação dos mínimos direitos humanos, num país com baixa taxa de cidadania e organização social. O terceiro é a elevação do nível de qualidade do estágio e do ensino ministrado pelos cursos. Por último, o Núcleo pretende a implementação de um Curso, em fase de Projeto, aberto a comunidade sobre direitos humanos a partir do segundo semestre, procurando interessar a comunidade e os órgão públicos municipais, em especial, acerca da implementação efetiva dos direitos humanos, como essenciais para a plenitude da cidadania.
  • ItemResumo
    Centro de Planejamento e Extensão Universitária em Serviço Social
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2001) Canôas, José Walter ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
    O projeto visa proporcionar aos docentes, pesquisadores, acadêmicos de Serviço Social e outros profissionais, condições de reflexão sócio-política acerca do trabalho social, ético-político do serviço social inserido no processo de desenvolvimento social. Os bairros atendidos são identificados em suas necessidades e condições de organização, visando conquistar direitos de cidadania e qualidade de vida. Esta iniciativa originou-se em 1982 como proposta de Extensão Universitária, proporcionando inicialmente um campo de estágio na área de Desenvolvimento de Comunidade, com o Projeto: Trabalho Social com População Urbana em Franca. No decorrer de 17 anos, foram atendidos, pelo projeto, diversos bairros, entre eles: Miramontes, Pq. Vicente Leporace, Santa Cruz, Jd. Angela Rosa, Vila Scarabucci, Jd. São Luiz, Jd. Centenário, Jd. Paulista, Jd. Dermínio, Santa Barbará, Jd. Palma; e atualmente, o projeto concentra suas atividades no Jd. Paineiras. Os agentes envolvidos pela ação do projeto são os seguintes: população atendida dos bairros citados; o coordenador; os estagiários em processo de formação profissional; os supervisores e colaboradores que realizam os treinamentos e levam à reflexão crítica das situações problema levantadas pelos estagiários; uma docente de DC ( Desenvolvimento de Comunidade) que presta assessoria aos supervisores e ao projeto. O projeto passou por diversas reestruturações até o presente momento. Houve inclusive uma parceria com o S.T.I.C.F. ( Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados de Franca) que foi de vital importância para continuidade do projeto. Em 1984 iniciamos um trabalho junto a comunidade do bairro Miramontes, que resultou, posteriormente, na construção de uma creche. Deste momento até 1995 atuamos em diversos bairros conforme já enumerados anteriormente, atendendo segmentos populacionais, formando profissionais que hoje atuam nas mais variadas e importantes instituições sociais, tais como: Santa Casa de Misericórdia, Prefeituras, Febens, Forúns, etc. No campo da política, destacamos o atual prefeito da Cidade de Franca, Sr. Gilmar Dominici e a ex-vereadora Maria Isabel "Bel" Guimarães, como ex-integrantes, capacitados pelo projeto. Foram elaborados mais de uma dezena de Trabalhos de Conclusão Curso por estagiários que passaram pelo projeto, contribuindo para sua iniciação científica no campo do DC(Desenvolvimento de Comunidade). No ano de 1995 concretizou-se uma parceria entre a UNESP e o Conselho Comunitário de Franca, órgão que tem por objetivo atender e assessorar cerca de 36 Centros Comunitários/ Associação de Moradores de Bairros. Em 1996 o projeto de parceria entitulado "Ação Integrada Junto às Entidades Comunitárias de Franca", foi implantado com o objetivo de dar atendimento às lideranças comunitárias e propiciar aos mesmos treinamentos de líderes, orientação técnica para elaboração de documentos e planos de trabalho, esclarecimentos diversos, eleições de novas diretorias e ações sociais que propiciaram a população e aos centros comunitários lutarem por direitos e cidadania. Este projeto de parceria recebe bolsas da PROEX , cujos estagiários bolsistas estão vinculados à coordenação e supervisão do Projeto Trabalho Social com População Urbana em Franca. Ainda em 1995 o trabalho com a comunidade do Jardim Palma continuou e para o ano seguinte é planejado uma restruturação no projeto a fim de dividir as tarefas sem priorizar apenas um tipo de atendimento. No bairro Jardim Paineiras foram iniciadas as atividades em 1996, através de uma pesquisa qualitativa, com o objetivo de conhecer a realidade do bairro. A partir de então, o trabalho vem sendo desenvolvido em várias etapas: 1°) fizemos um mapeamento dos segmentos populacionais atentidos; 2°) pesquisa visando obter dados estatísticos referente aos bairros; 3°) observação participante para conhecer e capacitar lideranças. Foi constatado que a população do bairro era muito jovem, necessitava de maior atenção devido as diversas carências sociais e estruturais. Os estagiários utilizaram-se de técnicas de grupalização para formação de grupos de crianças e adolescentes visando tornar possível a futura organização e formação de um centro comunitário. O que ocorreu em 1997, com eleições para primeira diretoria do centro comunitário do Jardim Paineiras. As atividades foram realizadas através da parceria com o Conselho Comunitário juntamente com o projeto Trabalho Social com População Urbana, que culminou com a aglutinação aproximadamente de 50 crianças e 25 adolescentes e assessoria para implementação do centro comunitário. Em 1998, a equipe técnica com o objetivo de estender sua atuação, propõe um projeto que prevê uma forma mais ampla de ação à Faculdade de Direito, História e Serviço Social do Câmpus de Franca. O projeto foi elaborado e denominado CPEUSS (Centro de Planejamento e Extensão Universitária em Serviço Social). Assim, o mesmo foi formalizado junto aos órgãos competentes da Universidade. O CPEUSS engloba os projetos: 1°) Trabalho Social com População Urbana em Franca; 2°) Ação Integrada Junto as Entidades Comunitárias de Franca, e o próprio CPEUSS enquanto entidade de docência, pesquisa, formação, capacitação e extensão. Os benefícios que estes projetos tem oferecidos à UNESP são muitos: Difusão da Universidade junto à comunidade; formação de futuros profissionais comprometidos com a Ética e a pesquisa; capacitação de estagiários do 3° e 4° anos; conhecimento da realidade; construção de uma visão crítica do desenvolvimento social e do serviço social; produção de Trabalhos de Conclusão de Curso na área de DC, matéria básica para formação profissional. Em relação à comunidade da cidade de Franca, os benefícios são: Consolidação da creche do bairro Miramontes; Parceria com Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados de Franca; Parceria com Conselho Comunitário de Franca; Pesquisa sócio-econômica, política e cultural em bairros, como a do Jd. Paineiras em 1996 a 1998, Trabalho com crianças que visa a integração, socialização e desenvolvimento físico e intelectual em parceria com a "Pastoral da Criança"; Trabalho com jovens de 14 a 25 anos através de atividades de socialização, integração, desenvolvimento crítico, abordagem de temas como sexualidade, afetividade, direitos humanos, políticas públicas, lazer, etc.; Orientação através de profissionais de várias áreas para auxiliar e ampliar a educação social à população; Incentivo às festas cívicas, folclóricas ou religiosas, visando a integração dos membros da comunidade e criando espaços para o diálogo e construção da cidadania numa sociedade. mais democrática. É válido salientar que o trabalho é realizado com dedicação e compromisso sendo a equipe técnica formada por voluntários e estagiários. Com poucos recursos, além de outras dificuldades, o projeto consegue sobreviver e manter as suas metas e cronogramas que traduzem nossa responsabilidade com a formação profissional dos estagiários e para com a população usuária que tem nos valorizado e somado forças em prol da construção de uma sociedade mais justa e democrática.
  • ItemResumo
    Incubação de cooperativas: cooperativas de catadores de materiais recicláveis de Franca e região
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2009) Oliveira, Viviana Bernardes ; Zacarão, Ana Claudia ; Pinotti, Isabela Passos ; Said Netto, Jacob ; Freire, Francisco Anderson de Oliveira ; Reis, Mariana Sato dos ; Dib, Taís Rodrigues ; Martins, Ana Clara Gava ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)
  • ItemResumo
    Percorrendo trilhas novas: aspectos sociais do envelhecimeno ativo através do voleibol adaptado
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2009) Barra, Juliana Correa ; Universidade Estadual Paulista (Unesp)