Faculdade de Ciências e Letras, Araraquara

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 20 de 99
  • ItemDissertação de mestrado
    A atuação do Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente diante da formulação e implementação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos de Araraquara/SP
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2022-06-30) Mattos, Isabella ; Orsi, Rafael Alves
    As transformações trazidas pelo capitalismo industrial-tecnológico situam-se cada vez mais atreladas às fragilidades ambientais, não raro, a problemática frente aos resíduos sólidos encontra-se intrinsecamente relacionada ao histórico e a cultura social das últimas décadas, a exemplo da dinâmica do hiperconsumo e da descartabilidade que contribuem para que a quantidade de resíduos sólidos aumente exponencialmente. A pesquisa pautou-se em três prerrogativas relevantes descritas pela Constituição Federal de 1988, são elas: a proteção ambiental para a presente e futuras gerações, a descentralização federativa e administrativa e a redemocratização com a inclusão de dispositivos participativos institucionalizados voltados à gestão de políticas públicas. Nessa configuração, os municípios se destacam enquanto protagonistas no ciclo de políticas públicas por estarem diretamente relacionados à administração do espaço territorial correspondente. Entretanto, a localidade, dentre outros desafios, enfrenta debilidades econômicas e técnicas para cumprir adequadamente tais compromissos, o que corrobora ainda mais com as dificuldades que se apresentam tangenciadas às políticas públicas ambientais. Sob a vertente dos resíduos sólidos, no Brasil, uma importante forma de atenuar os impactos causados é a participação social frente à Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei nº 12.305 de 2010, cujos planos municipais constituem-se como documentos de planejamento e execução. Tal normativa estabelece diretrizes e metas para União, estados e municípios, cuja perspectiva é reduzir a quantidade de produção de resíduos e geri-los da maneira ambientalmente mais adequada. Ainda, outorga aos municípios um papel relevante mediante a elaboração e implementação de planos de gestão integrada dos resíduos sólidos incluindo para isso a participação dos conselhos municipais de defesa do meio ambiente bem como da sociedade civil. Nesse sentido, teve-se como objeto de estudo o município de Araraquara, devido ao fato de este possuir uma gestão autárquica de resíduos sólidos e, também, por seu histórico com a presença de governo progressista a exemplo do Partido dos Trabalhadores representado pelo atual prefeito Edinho Silva o que possibilitou inclusive a consolidação de uma Casa dos Conselhos. Neste cenário, o presente trabalho buscou compreender se houve e como se constituiu ou não a participação social institucionalizada mediante o Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente (COMDEMA) do município de Araraquara no cerne da formulação e implementação do Plano Municipal de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos durante o horizonte temporal de 2011 a 2021. Para cumprir tal objetivo, optou-se pela metodologia de pesquisa exploratória, utilizou-se para tanto o levantamento bibliográfico, a pesquisa documental e entrevistas semiestruturadas, cuja análise foi norteada pela técnica de análise de conteúdo de Laurence Bardin, a qual permitiu organizar os dados e traçar inferências a partir, principalmente de aspectos qualitativos. Os resultados obtidos, possibilitaram afirmar que apesar de expressamente o instrumento de gestão mencionar a participação por meio de pareceres do COMDEMA, não houve efetiva deliberação do órgão colegiado nem no momento da formulação e nem no decorrer da implementação durante o período analisado devido, principalmente, as vulnerabilidades existentes no contexto do próprio conselho as quais enfraquecem que a questão dos resíduos sólidos chegue as pautas das reuniões para pareceres e deliberações. Por fim, espera-se que os resultados da pesquisa permitam novas discussões a respeito do COMDEMA, bem como de sua atuação frente a gestão da questão dos resíduos sólidos e com isso estimular mudanças tanto na redução da produção de resíduos quanto na ampliação da participação social a partir de ferramentas institucionais
  • ItemDissertação de mestrado
    Consumo nas redes sociais: o mercado digital e os conceitos de "Old Money" e “New Money”
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-20) Silva, Lorena de Melo ; Castro, Ana Lúcia de
    O discurso produzido por influenciadores na internet nos chamou atenção por possuir diferentes características, que mudam de acordo com os espaços ocupados por esses agentes. Partindo de dados empíricos coletados em redes sociais e analisados à luz de reflexões teóricas situadas no campo das Ciências Sociais, esta dissertação tem como objetivo contribuir para a compreensão acerca da relação entre os os conceitos de old money e new money dentro do nicho da moda digital, tendo como hipótese a sua operacionalização como instrumentos de distinção social. O caminho que percorremos partiu da fundamentação teórica construída a partir da Sociologia e da Antropologia, trazendo temas como construção de mercados, consumo, internet e elites. Depois utilizamos as ferramentas da Análise de Discurso para analisar os dados dos agentes coletados nas redes sociais. Assim chegamos à algumas conclusões e confirmamos a hipótese colocada como ponto de partida, de que os conceitos de old money e new money são utilizados como características nos discursos e posicionamentos dos influenciadores, com o intuito de estabelecer distinção de outros agentes que compõem o mesmo campo que eles, o nicho de moda digital
  • ItemDissertação de mestrado
    A transposição das personagens femininas de Harry Potter para o cinema: uma análise da representatividade feminina de Gina Weasley
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-28) Ballestero, Verônica Pastre ; Campos, Alexandre Silveira
    Sagas literárias vêm ganhando cada vez mais visibilidade e influência no contexto atual, principalmente entre os públicos mais jovens, este movimento tem como marco principal a publicação do romance Harry Potter e a pedra filosofal em 1997, da autora britânica J. K. Rowling. Desde o início a saga literária de Rowling atingiu um grande público e, com o passar do tempo, se tornou um grande best-seller em nível mundial, ganhando adaptações para o cinema produzidas pelo estúdio Warner Bros Pictures. As adaptações cinematográficas de obras literárias não são projetos recentes, há muitos anos o Cinema conta com este tipo de produção em seu acervo, como é o caso dos filmes Viagem à Lua de 1902 e O retrato de Dorian Gray de 1945, por exemplo, bem como as discussões acerca da mesma, que constantemente geram discussões sobre o valor de cada obra e a fidelidade de uma (obra fílmica) em relação à outra (obra literária), questão amplamente discutida pelo crítico Robert Stam que defende que a questão da adaptação vai além da fidelidade: ela cria uma nova narrativa inspirada em seu texto fonte. Porém o que se pretende na presente pesquisa não é discutir as adaptações da saga britânica como um todo, mas a forma como as personagens femininas dos romances de Harry Potter foram transpostas para o cinema e como um juízo de valor patriarcal pode ter regido a construção das mesmas ao serem representadas ao longo dos filmes da saga, mais especificamente, será analisada a forma como a personagem Gina Weasley foi transposta do romance Harry Potter e o enigma do príncipe do ano de 2005 para o filme homônimo de 2009. Para isso será necessário tratar de teorias de adaptação cinematográfica de Ismail Xavier (2003), por exemplo, que esmiúça questões particulares deste processo adaptativo da literatura para o cinema de sua perspectiva narratológica, de conceitos basilares dos Estudos Literários, como o conceito de personagem para Antno Candido (2009), da crítica e filosofia Feminista da metade do século XX, especificamente, as contribuições de Betty Friedan, e por fim, sendo o romance e a película analisada ambos textos elaborados por um locutor para um interlocutor, se faz necessário também o uso da Semiótica Francesa, abordada por José Luiz Fiorin (2006) e Diana Luz Pessoa de Barros (1994)
  • ItemDissertação de mestrado
    Negociações de sentido em inglês como língua franca em um intercâmbio virtual na área educacional
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-20) Silva, José Ricardo Bueno da ; Salomão, Ana Cristina Biondo
    Devido ao surgimento e a ampliação do acesso às Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDICs), diversos projetos e iniciativas colaborativas têm impulsionado práticas em ambientes mediados tecnologicamente. A disponibilidade de diversos recursos tecnológicos de aprendizagem através da internet tem facilitado o acesso a um universo multicultural e plurilíngue, conectando pessoas de diferentes origens linguísticas, sociais e culturais. Inserido nesse contexto, o 3 Continents Intercultural Telecollaboration (3CIT) é um projeto de intercâmbio virtual situado no Programa Brazilian Virtual Exchange (BRaVE-UNESP) e tem como principal objetivo promover a construção de um ambiente intercultural de ensino, aprendizagem e pesquisa entre estudantes de três continentes diferentes, proporcionando aos interagentes a oportunidade de vivenciar a comunicação intercultural por meio do uso do Inglês como Língua Franca (ILF). O objetivo geral desta pesquisa foi investigar como os participantes negociaram e construíram sentido por meio do ILF, explorando as estratégias comunicativas utilizadas a fim de estabelecer a comunicação durante as atividades, bem como suas percepções sobre a experiência. Para alcançar tal objetivo, o estudo encontrou subsídios teóricos em três pilares: Intercâmbio Virtual (O’Dowd, 2009, 2016, 2018; Salomão, 2018, 2020, 2022), Inglês como Língua Franca (Cogo, 2012, 2015; Cogo; Dewey, 2012; Jenkins, 2000, 2009, 2016; Seidlhofer, 2004, 2011) e Negociação de Sentido (Varonis; Gass, 1985; Smith, 2003). A metodologia de pesquisa e os instrumentos de coleta de dados, que consistem em um questionário inicial, gravações das interações e uma entrevista final, são de natureza qualitativa. A análise dos dados revela que os participantes, como falantes de ILF, se engajaram de forma proativa nas conversações durante os momentos de negociação, buscando compreensão e assegurando a inteligibilidade mútua. Os momentos de colaboração na construção e negociação de significados demonstram a habilidade dos participantes em utilizar recursos linguísticos e tecnológicos à sua disposição para superar mal-entendidos. Espera-se que os resultados obtidos nesse estudo contribuam para a área de estudos linguísticos, demonstrando o papel essencial do ILF em contextos multiculturais a fim de facilitar a comunicação entre falantes com repertórios linguísticos e culturais diferentes
  • ItemTese de doutorado
    A branquitude desvelada: o romance Clara dos Anjos e as relações raciais e de gênero na Primeira República
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-27) Carvalho, Samara dos Santos ; Gileno, Carlos Henrique
    Em 1922, Afonso Henriques de Lima Barreto publica seu último romance, Clara dos Anjos, meses antes de seu falecimento. O romance narra uma história de sedução e abandono vivenciada pela personagem-título, uma jovem mestiça de origem humilde. Descrita pelo autor como “uma natureza amorfa, pastosa, que precisava de mãos fortes que a modelassem e fixassem”, a protagonista é alienada em relação à sua condição racial, cuja trajetória de vida é marcada pela exclusão social e pelo racismo, problemáticas centrais em diversas obras de Lima Barreto. O objetivo do trabalho consiste em analisar, no romance Clara dos Anjos, a emergência de uma crítica à construção social branquitude como um marcador simbólico de distinção social diante das aspirações democráticas do Brasil na Primeira República. A hipótese apresentada é que se pode aferir originalidade e pioneirismo em Lima Barreto ao desvelar o racismo e ao problematizar a branquitude como uma ideologia, ou seja, como um constructo capaz de produzir ideias acerca da realidade social. A metodologia utilizada é a análise literária, realizada a partir da perspectiva empregada por Antônio Candido (2000), que consiste em demonstrar, de forma dialética, as particularidades da obra literária em que os elementos caracterizados como externos – os fatores sociais – tornam-se internos, ou seja, desempenham papel fundamental na estrutura narrativa, convertendo-se em expressão estética. Consoante a esta perspectiva, adota-se também como referencial Sevcenko (1999), que vislumbra a literatura como missão, e Bosi (1982), ao caracterizar a obra de Lima Barreto como romance social, em que as condições da vida particular do ator se entrelaçam com a denúncia social presente em sua obra. Busca-se compreender a obra literária enquanto objeto de investigação sociológica sob dois aspectos indissociáveis: a literatura como um fenômeno social de produção, comercialização e consumo, como também, o referencial de uma época, que permite levantar reflexões acerca das contradições raciais e sociais do contexto histórico vivenciado por Lima Barreto. Por fim, aborda-se a importância de analisar relações étnico-raciais como um fenômeno relacional, compreendido em sua esfera simbólica, atrelada a contextos sociais e políticos específicos
  • ItemDissertação de mestrado
    O fio da imagem: a écfrase na epístola “De Ariadne a Teseu” das Heroides de Ovídio
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-24) Cordeiro, Isabela de Siqueia ; Prado, João Batista Toledo
    Este trabalho objetiva analisar a ekphrasis (écfrase) na representação imagética da puella Ariadne, tendo como córpus a epístola X, “Ariadne a Teseu”, das Heroides, de Ovídio. Esta é uma obra elegíaca-epistolar na qual o poeta simula as personagens femininas da mitologia greco-latina, abandonadas por seus amantes, escrevendo-lhes com um claro intuito de persuadi-los. Assim, cada carta revela uma imagem da heroína autora, pelo modo como a escritora expõe sua face ao destinatário ausente. Dessa forma, tomando o referencial teórico da écfrase antiga, a pesquisa procura demonstrar os traços expressivos dessa figura na carta da heroína. A écfrase é uma figura retórica-poética que descreve vividamente (enargia) colocando uma imagem diante dos olhos para ser visualizada em fantasia (phantasia). Nesse sentido, para atender aos objetivos da pesquisa, primeiro salienta como a antiguidade, nas áreas de Filosofia, Poética e Retórica, consolida um sistema de representação da imagem verbal. Assim, observando os campos da filosofia e poética, a partir de Platão (427 AEC – 347 AEC), Aristóteles (384 AEC – 322 AEC) e Horácio (65 AEC – 8 AEC), compreende-se o conceito de mímesis, como uma atividade (mimeisthai) que permeia a interação dos discursos com o mundo, além de se converter a dimensão técnica para a representação artística, verbal e imagética. No campo retórico, sublinhe-se que, sob o nome de écfrase, a figura só foi categorizada pelos autores dos Progymnasmata (1 AEC – 4. EC). Entretanto, escritores clássicos da retórica, como Aristóteles, Cícero (106 – 43 a. C) e Quintiliano (35 EC – 96 EC), consolidaram um sistema de figuras elocutivas que corresponde às qualidades discursivas da écfrase, com tropos como amplificatio, metafora, enargia ou euidentia, e a hipotipose, além da operação metal fantasia (responsável por projetar imagens descritas na mente do ouvinte/leitor). Assim, as formas do discurso ecfrástico, de certo modo, já prefiguravam nos modos operatórios desses tropos. Com isso, a análise desses campos de estudo da antiguidade clássica demonstra a presença de um fio unificador, que perpassa essas disciplinas, consolidando para os antigos uma indissociável relação entre palavra e representação. Através dessa consciência, Ovídio tem um profundo interesse no emprego de imagens em sua poesia, pela forma como o poeta representa imageticamente seus personagens, mostrando-os agindo e evidenciando visualmente suas paixões. Dessa forma, empenha-se por tópicos do estilo ovidiano, como as técnicas narrativas, a descrição espacial e a etopeia, a matéria imagética do gênero elegíaco, o gênero epistolar, e as relações intertextuais presentes na écfrase de Ovídio. Sabe-se que a carta-poema escolhida possui uma relação intertextual com o poema ecfrástico Catulo 64, assim, Ovídio, decerto, retoma essa écfrase de Ariadne para tecer a imagem da heroína no poema, transferindo-a a seu estilo poético. Por fim, a análise demonstra que uma comunhão entre o estilo estilístico de Ovídio e as noções representativas da antiguidade, pelo modo como o poeta, usando uma descrição vívida, consegue polir a expressão do poema das Heroides, inserindo nela um efeito visual, de tal forma que o leitor é convidado a ver um retrato afetivo de sua heroína
  • ItemDissertação de mestrado
    Desenhos, memórias e múltiplas perspectivas da alteridade: um estudo sobre as coleções de desenhos da segunda expedição de Karl von den Steinen ao Brasil Central
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-28) Feroldi Júnior, Marcel Luiz ; Cunha, Edgar Teodoro da
    Esta pesquisa analisou os desenhos que foram produzidos durante a segunda expedição do etnólogo alemão Karl von den Steinen ao Alto Xingu, a partir de uma relação entre subjetividade e memória, evidenciando as lacunas, as interrogações, os silêncios e os esquecimentos, a respeito das perspectivas e sensibilidades que envolvem estes desenhos; que nos são apresentadas indiretamente, através dos ‘rastros’ deixados pelos sujeitos que os desenharam, e que acabam tensionando, escapando e decompondo toda a ordem e intencionalidade da narrativa proposta por Karl von den Steinen. Nesse sentido, buscamos compreender como foram produzidos, coletados, analisados e narrativizados os desenhos efetuados pelos sujeitos ameríndios durante a segunda expedição e também os desenhos efetuados por Wilhelm von den Steinen e Johannes Gehrts; ao mesmo tempo em que articulamos essas informações com registros sócio-históricos realizados e compilados por não indígenas, de modo que pudéssemos entender quais as correntes de pensamento dominantes neste período, e como estas influenciaram Karl von den Steinen em seus fundamentos teóricos e metodológicos. Além disso, comparamos as análises efetuadas por Karl von den Steinen com as principais pesquisas etnográficas realizadas sobre os povos ameríndios contactados pela expedição, visando compreender os aspectos cosmológicos fundamentais de suas culturas, e em como estes aparecem em seus desenhos. A partir dos resultados obtidos, pudemos compreender que esses desenhos se apresentam enquanto rastros de uma experiência do contato entre diferentes povos e culturas, um processo de reflexão sobre ‘si’ a partir do contato com o ‘outro’. De modo que tanto os desenhistas Boe e Kurâ, quanto os artistas alemães Wilhelm e Gehrts, mesmo sem a intencionalidade de atuar como antropólogos, acabaram registrando a sua experiência de progressiva contaminação pela realidade altera do ‘outro’
  • ItemDissertação de mestrado
    Brasil, pretérito imperfeito: história, memória e literatura em K. - Relato de uma busca
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-23) Reis, Luís Antônio Corrêa dos ; Campos, Alexandre Silveira ; Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara
    O romance K. - Relato de Uma Busca (2011), escrito por Bernardo Kucinski, apresenta uma perspectiva sobre eventos ocorridos no Brasil a partir do golpe militar de 1964, com a instalação do regime que perduraria até 1985. A narrativa polifônica gira em torno do desaparecimento de uma professora de química da Universidade de São Paulo (USP) e acompanha a busca e enfrentamento do pai para descobrir o paradeiro da filha em meio aos mecanismos do regime, assim como revela a permanência desse sistema repressor na sociedade brasileira pós Comissão Nacional da Verdade (CNV). O objetivo da pesquisa consiste em contextualizar a obra no romance contemporâneo brasileiro, especialmente no que se refere às múltiplas abordagens da ditadura militar, assim como compreender em que medida a obra contribui para o debate sobre a memória política nacional. As especificidades estéticas do autor e sua obra serão levantadas tendo por base conceitos da semiótica de linha francesa, segundo apresentados por A. J. Greimas (1984; 2014), especialmente o percurso gerativo de sentido e seus três níveis de leitura, que partem do mais simples e abstrato ao mais complexo e concreto. A leitura deverá considerar também os elementos da enunciação e os mecanismos de instauração de pessoa, espaço e tempo no enunciado que, no caso da obra de Kucinski, alternam traços de objetividade histórica, instância que situa a obra e instaura a veridicção, e efeitos subjetivos do processo político retratado. Também serão considerados os elementos intertextuais que estabelecem um diálogo entre K. – Relato de uma busca e outras obras do mesmo autor, quase todas atravessadas pela experiência da ditadura militar. O texto ainda se nutre de um diálogo com a literatura de Franz Kafka, referência explicitada por meio da denominação do personagem K. Para cumprir com essa proposta, serão considerados autores que trataram das relações entre literatura, história e memória, como Antonio Candido (1992, 2010), Seligmann-Silva (2008), Maurice Halbwachs (2006), Regina Dalcastagnè (1996) e Eurídice Figueiredo (2017, 2020). Os conceitos semióticos serão considerados a partir das abordagens de Greimas e Courtés (1984), José Luiz Fiorin (1999, 2006, 2016, 2018, 2019), Diana Luz Pessoa de Barros (1994, 2004, 2007), entre outros
  • ItemDissertação de mestrado
    A invenção de Ganimedes e os mistérios de Safo: naturalismo e dissidências sexuais nas obras de Abel Botelho e Alfredo Gallis
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-05-24) Silva, Paulo Victor Alves Lima da ; Junqueira, Renata Soares ; Barbieri, Claudia
    No quadro literário de Portugal, especificamente no percurso da campanha naturalista no fin-de-siècle, é possível destacar a relevância e a repercussão da publicação de ciclos de romances dedicados ao estudo das chamadas “degenerescências sociais”, como a série em cinco volumes Patologia Social, de Abel Botelho, e a Tuberculose Social, de Alfredo Gallis, que conta com mais de dez títulos. Seguindo o método do romance experimental defendido por escritores proeminentes como Zola, os autores dedicam-se à identificação e análise das “enfermidades” que acometiam o povo português, com a pretensão pedagógica de oferecer um alerta aos membros da sociedade para urgência de controlá-las antes de uma putrefação total. Em consonância com a difusão dos estudos médicos-científicos sobre as práticas sexuais desviantes, que despontavam desde meados do século XIX, a homossexualidade também é diagnosticada dentre essas patologias, entendida como “aberração” ou “inversão”, e é levada aos “microscópios” dos escritores naturalistas, que nas suas séries escrevem obras especificamente destinadas ao seu exame: O barão de Lavos (1891), de Botelho, e Sáficas (1902) de Gallis, que, respectivamente, tratam da homossexualidade masculina e feminina. À vista disso, a partir da leitura em justaposição crítica da obra de Botelho e Gallis, o que aqui se propõe é uma análise dos elementos que definem as abordagens das sexualidades dissidentes nos romances dedicados ao tema. O objetivo é evidenciar os diálogos e afastamentos de seus propósitos literários, e como os retratos da sociedade portuguesa esboçados nessas narrativas aproximam e distanciam-se dos princípios do naturalismo ao centralizar relações homossexuais femininas e masculinas pelo viés patologizante, mas com episódicas aberturas para expressões empáticas e licenciosas, examinando as manifestações dos desejos interditos nas diferentes trajetórias das protagonistas “degeneradas”
  • ItemDissertação de mestrado
    Financiamento à inovação: o programa PIPE FAPESP
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-02-28) Mesquita, Ana Julia Diniz ; Gomes, Rogerio
    O financiamento para a realização de atividades inovativa é de suma importância para incentivar investimentos para reduzir riscos e incertezas inerentes a estas atividades e, dessa forma, aumentar a competitividade das empresas e a produtividade nacional. As instituições de fomento são responsáveis por repassar recursos para os pesquisadores nas universidades, empresas e instituições de pesquisa, possibilitando que projetos sejam elaborados ou desenvolvidos e, consequentemente, novos e melhores produtos e serviços possam vir a ser comercializados. O presente trabalho tem como objeto o Programa PIPE (Programa para Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas), um programa de financiamento público da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). O Programa se inicia na etapa de viabilidade das propostas, passa pelo desenvolvimento dos projetos e alcança a aplicação comercial por intermédio de parcerias e convênios. O objetivo do estudo é avaliar o perfil e o comportamento do Programa, elencando os principais demandantes por recursos, as filiações institucionais e os municípios do Estado que eles se localizam. Para isso, com dados do PIPE disponibilizados pela Fapesp para o período entre 1998 e 2023, foram realizadas análises descritivas e, adicionalmente, mapas de calor e análises de cluster para caracterizar o que denominamos polos tecnológicos - regiões com maior demanda por recursos. Foi observado que o programa passou por diferentes períodos (estruturação, revisão/reestruturação e consolidação), que repercutiram na abrangência dos benefícios concedidos. Ademais, foi observado que as áreas de conhecimento que a literatura aponta como demandantes por maiores esforços inovativos (engenharia elétrica, engenharia de materiais e metalúrgica e ciência da computação) se destacam como áreas com o maior número de projetos financiados pelo Programa PIPE e, cidades consideradas polos tecnológicos (São Paulo, Campinas, São José dos Campos e Ribeirão Preto) representam não só as cidades com o maior número de projetos como também com os valores mais altos financiados.
  • ItemDissertação de mestrado
    A Incubadora pública de economia criativa e solidária do município de Araraquara: virtudes e fragilidades
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-02-23) Castro, Victor Hugo Moraes de ; Morais, Leandro Pereira
    As incubadoras têm se constituído como uma estrutura essencial de fomento e consolidação de empreendimentos. As incubadoras sociais ou solidárias, em especial, atuam com uma preocupação social, para a diminuição da pobreza e a criação de oportunidades de geração de renda e trabalho digno para grupos precarizados. Estas instituições atuam sobre os princípios da Economia Solidária e atendem exclusivamente empreendimentos econômicos solidários (EESs). Sua atuação é importante para a construção e manutenção do que vem a ser chamado de ecossistema empreendedor solidário, uma comunidade de atores econômicos públicos e/ou privados que interagem em uma região, impactando o desempenho de toda a economia de uma localidade. Em Araraquara–SP, foram criados diversos programas que buscam a inclusão social e produtiva por meio da geração de renda, de forma coletiva e participativa, através da política pública de Economia Solidária do município. Entre elas, destaca-se a Incubadora Pública de Economia Criativa e Solidária (IPECS), instituição de fomento, e apoio a EESs. O objetivo desta pesquisa é analisar as atividades desenvolvidas pela IPECS como instrumento público, municipal e solidário de fortalecimento dos grupos locais e, portanto, do ecossistema empreendedor solidário. E, assim, dar visibilidade a uma iniciativa municipal, já que a incubação solidária é atualmente concentrada nas universidades, de forma a servir de exemplo a gestores de políticas públicas. Para isto, é realizada uma triangulação metodológica entre análise documental, observação empírica e entrevistas semiestruturadas com agentes de incubação e com trabalhadores de EESs incubados pela instituição. A IPECS é semelhante a outras incubadoras pela estrutura de sua metodologia de incubação, entretanto, traz uma nova atividade não observada anteriormente, o direcionamento dos EESs para a conquistas de contratos públicos de prestação serviço. Além disso, entre os principais resultados estão: a IPECS consegue formalizar, dar apoio e graduar EESs, porém, falta uma metodologia de incubação definida, padronizando as atividades do processo; há dificuldade em apoiar grupos que não conseguem competir por contratos públicos da prefeitura; e a percepção de que o quadro de funcionários parece ser insuficiente para gerir as atividades, fator que impacta diretamente os resultados da instituição
  • ItemTese de doutorado
    Do simbólico da morte às metáforas da vida em Grande sertão: veredas
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-01-31) Vital, Luisa Fernandes ; Vieira, Brunno Vinícius Gonçalves ; Cerdas, Emerson
    Esta tese pretende verificar a morte, entendida como símbolo, nas reminiscências de Riobaldo, e a forma como ela é metaforizada pela personagem e narrador do romance Grande sertão: veredas, publicado em 1956, por João Guimarães Rosa. A morte, um evento que não se pode definir conceitualmente, a não ser pela observação da morte do outro, o que impede a criação de um campo semântico para descrever o fenômeno, tem funcionamento simbólico, sendo preenchida semanticamente pelas associações que a reminiscência de Riobaldo cria. Assim, por meio da narração, a morte é metaforizada pelo narrador. Para a constatação dessas metáforas, são analisadas três mortes específicas – a do líder dos jagunços, Joca Ramiro, a morte simbólica da personagem Riobaldo, que se transforma em Urutú-Branco, e aquela da personagem Diadorim, revelando sua verdadeira identidade. A partir desses três eventos marcados na memória de Riobaldo, é observada a construção discursiva da personagem para entender como a morte pode ser metaforizada na viagem, no ritual do pacto demoníaco e no esquecimento, respectivamente, tudo contribuindo para algo essencial: a compreensão da própria vida de Riobaldo. A pesquisa é norteada pela metodologia fenomenológica-hermenêutica proposta por Paul Ricoeur, que visa à compreensão do símbolo de acordo com sua natureza mutável. A bibliografia ainda pode ser dividida em quatro partes: 1) símbolos e sua interpretação; 2) morte; 3) memória, recordação, reminiscência e narrativa; e por fim, 4) fortuna crítica rosiana. Os estudos de Dan Sperber e Gilbert Durand explicam a natureza e o funcionamento do símbolo. Já no segundo grupo, os estudos históricos de Philippe Ariès e antropológicos de Edgar Morin auxiliam a aprofundar o conhecimento sobre a morte. Em seguida, o material fornecido por Aristóteles contribui para as reflexões acerca da memória e da narrativa. Por fim, textos da fortuna crítica rosiana, como os de Antonio Candido, Cavalcanti Proença, Benedito Nunes, Walnice Galvão, Sandra Vasconcellos e Luiz Roncari são importantes para a construção da interpretação das três mortes já especificadas, contribuindo na compreensão de como a ideia de finitude está intrincada na formação de Riobaldo e de que forma ela é metaforizada, ajudando a personagem a compreender a própria existência por meio da organização narrativa
  • ItemDissertação de mestrado
    O grafite nos discursos científicos: uma perspectiva das ciências da linguagem
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-01-23) Silva, Luma Clécia da ; Portela, Jean Cristtus ; Faculdade de Ciências e Letras da Unesp de Araraquara
    O grafite, texto-enunciado de tipo visual ou verbovisual, trata-se de um tipo de texto que possui um caráter sincrético e semissimbólico. Refere-se a uma prática, essencialmente urbana, de cunho social, artístico e marginal e que, além disso, possui grande importância no cenário e desenvolvimento da sociedade contemporânea, uma vez que evidencia manifestações de grupos minoritários, demonstrando ações de ativismo político e de produção artística. Por conseguinte, surge a indagação a respeito da existência de pesquisas que versam sobre o grafite na perspectiva de abordar estudos da linguagem ou se outras áreas fazem uso de teorias linguísticas para incorporar à análise desse tipo de texto. Neste sentido, este trabalho não visa analisar o grafite em si, mas realizar um estudo acerca da forma como o grafite, e todas as suas variações de prática de inscrição, são analisados enquanto objeto de pesquisas nas áreas das ciências da linguagem, tendo em vista a linguística, a análise do discurso e a semiótica. Dessa maneira, foi realizado um recenseamento e análises de textos que tratam do grafite como código linguístico e linguageiro, em bases de dados de diversas universidades estaduais e federais brasileiras, assim como de revistas das áreas das ciências da linguagem, utilizando palavras-chave como grafite em suas diversas grafias, como graffiti, grafito e grafite; pixo; pichação; tag; throw-up; lambe-lambe. Sendo assim, a dissertação busca contemplar a visão que a teoria semiótica, assim como os estudos próximos a ela, têm do grafite, visando a uma sistematização dos aspectos e conceitos utilizados para analisá-lo, de modo a contribuir para o desenvolvimento de análises que focalizam a sua construção de sentido, de maneira a refletir sobre os processos que geram a significação nesse tipo de texto
  • ItemTese de doutorado
    O realismo maravilhoso e a poética da relação na constituição da literatura crioulifrancófona do Caribe
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-01-15) Jean, Dieumettre ; Leite, Guacira Mercondes Machado
    Partindo da hipótese do locus inegável de “fatos históricos fundadores” no imaginário sociopolítico, cultural, artístico-literário e linguístico do assim denominado “Caribe francófono”, a presente tese debruça-se sobre as teorias do “Realismo maravilhoso” e da “Poética da relação” como categorias poéticas e estéticas enunciadas respectivamente pelo haitiano Jacques-Stephen Alexis (1922-1961) e pelo martinicano Édouard Glissant (1928-2011) no intuito de problematizar o assim chamado “Caribe francófono”, “literatura/s francófona/s do Caribe” e formular o neologismo Caraïbe créolifrancophone (“Caribe crioulifrancófono”) o qual se revela capaz de acarretar diversos fatos históricos, sociopolíticos, culturais e linguísticos na apelação dessa região constituída pelo Haiti, Guadalupe, Guiana Francesa e Martinica antigamente colonizada pela França. Inscritas na esteira das “bases identitárias” formuladas nas décadas 1920-1930 pelos proponentes do Indigénisme Haïtien e da Négritude na constituição de um “imaginário-comum” para com os povos-afro vitimados da colonização-escravização, estas duas teorias articulam-se para destacar o locus incontornável de cada uma das três heranças essenciais: indígena, africana e europeia na formação das diversas manifestações cultural-religiosa e artístico-literária dos povos das Américas. Concentra-se em “fatos históricos fundadores” e no estudo dessas duas teorias e, com um escopo analítico composto por quatro romances (Espace d’un cillement, do haitiano Jacques-Stephen Alexis, Le quatrième siècle, do martinicano Édouard Glissant, Le nègre du Gouverneur, do guianense Serges Patient e Les derniers rois mages da guadalupense Maryse Condé) do meado século XX do Caribe crioulifrancófono, estudados sob a luz das teorias do “Realismo maravilhoso”, da “Poética da relação” e da teoria da transtextualidade enunciada por Gérard Genette, esta tese –, que adota uma perspectiva metodológica transdisciplinar (a qual combina abordagem de estudos literários com abordagens historiográfica, antropológica, etnolinguística e sociológica) –, postula que as duas teorias estudadas permitem re-inventariar rastros, vestígios e resíduos do “passado” nas produções literárias das Américas, de um lado, e do outro, oferecem subsídios teóricos e conceituais para conceber o neologismo “Caribe crioulifrancófono” bem como para alicerçar uma ‘fratria’ para com as produções literárias dessa região
  • ItemDissertação de mestrado
    Políticas públicas no estado de São Paulo: análise dos investimentos em cultura nos governos do partido da social-democracia brasileira – PSDB
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-01-18) Santana, Lucas Barbosa de ; Orsi, Rafael Alves
    O presente estudo é uma investigação sobre o orçamento para cultura no estado de São Paulo, durante os anos de 2015 e 2020, em que prevaleceram gestões do PSDB. O estudo de caso apresentado nesta pesquisa, compreende uma análise dos repasses realizados para as cidades sede das regiões administrativas do estado, bem como dos demais municípios que obtiveram investimentos realizados pela Secretaria Estadual de Cultura (SEC). Em conjunto, é analisada a literatura acerca das políticas culturais e dos recursos para cultura. O levantamento dos dados aponta para uma grande concentração de recursos nos contratos de gestão junto às organizações sociais, e baixos investimentos diretos, através de convênios ou acordos com as prefeituras, denotando uma atuação da SEC, essencialmente, como agente financiador. Por fim, estabelecem-se algumas correlações entre a proximidade política dos gestores municipais e estadual e os repasses de recursos às prefeituras.
  • ItemTese de doutorado
    Constituição e funcionamento discursivo da memória dialógica: implicações na fronteira da vida vivida com a contemplada
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-26) Destri, Alana ; Marchezan, Renata Coelho
    A memória em si não foi um objeto de estudo privilegiado no complexo teórico do Círculo de Bakhtin. Suas obras abrem espaço, no entanto, para a pavimentação de interessantes caminhos para uma perspectiva bakhtiniana da memória. Em virtude disso, este trabalho objetiva dois pontos principais. O primeiro justifica-se nos desdobramentos dessa reflexão a fim de solidificar e avançar os estudos na área. Em caráter ensaístico de discussão teórica, pretendeu-se, assim, desenvolver e ampliar as possíveis contribuições do Círculo de Bakhtin para uma abordagem dialógica da memória, de constituição e funcionamento discursivo. A cultura, segundo o autor, é composta por três grandes campos indissolúveis: a cognição, a ética e a estética. Levando isso em consideração, assumimos a rememoração como ato cultural responsável e responsivo que tem como produto uma memória construída axiologicamente. Cada memória é fruto, portanto, de um posicionamento valorativo único e irrepetível sobre determinado evento. Tal fenômeno pressupõe a elaboração de linguagem situada pela qual se desenvolve, em (re)criação autoral, uma realidade isolada e reorganizada do passado em que, a cada rememoração, é enriquecida esteticamente pelas vozes do presente e suas projeções de futuro. Nesses termos, o lugar da memória é na fronteira da vida vivida (em potencial, inacabada no mundo ético) com a vida contemplada (pensada e enformada esteticamente em memória). Entendemos que essa fronteira é chave para conceber a memória como viva, como criação e recriação de ininterruptas relações dialógicas – uma concepção que valoriza a memória na sua capacidade de manter e potencializar, pelo diálogo inconcluso, a existência singular e social do sujeito no mundo unitário da vida e da cultura. O segundo objetivo foi valer-se do avanço teórico proporcionado pelo objetivo anterior para observar e discutir em análise dialógica do discurso as implicações do discurso da memória dentre a vida vivida e a vida contemplada. Para esse propósito, utilizamos como corpus os enunciados de sujeitos ex-soviéticos encadeados em memória literária pela laureada autora belarussa Svetlana Aleksiévitch em O fim do homem soviético. Esta tese apresenta os resultados da investigação sobre como a memória dialógica, na qualidade de fenômeno discursivo fronteiriço entre os domínios da cultura, dispõe de elementos estéticos para constituir a autoria da identidade (forma espaço-temporal) de si e a do outro em resposta ao mundo ético; sobre a influência que as narrativas recorrentes, pelo cordão enunciativo da memória dialógica, têm em pavimentar meandros identitários russo-soviéticos; e sobre a percepção axiológico-temporal do sujeito ex-soviético que a autora tece na arquitetônica de sua memória literária.
  • ItemDissertação de mestrado
    Três passeios pelos bosques de Hogwarts: Os Contos de Beedle, o Bardo e a teia da metaficção
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-28) Nogueira, Lígia de Medeiros ; Rossi, Aparecido Donizete
    O fim da saga Harry Potter em 2007, escrita pela britânica Joanne Rowling, mais conhecida como J. K. Rowling, deixou um vazio no coração e na mente dos inúmeros leitores que acompanhavam a história do bruxinho Harry Potter publicada pela primeira vez em 1997. Um ano depois, a autora decidiu presentear os fãs com um pequeno livro azul intitulado Os Contos de Beedle, o Bardo (2008), contendo cinco contos de fadas bruxos escritos por Beedle, o Bardo, e cinco comentários correspondentes elaborados por Alvo Dumbledore, personagem da série canônica. A coletânea sem os comentários aparecera previamente em Harry Potter e as Relíquias da Morte (2007), pois um dos contos desempenhara papel relevante no desenvolvimento da trama do último volume. A obra inicia-se com uma introdução de Rowling acerca de sua natureza, e é povoada de notas de rodapé advindas da autora e de Dumbledore, além de ser uma tradução feita por Hermione Granger (outra personagem) a partir do original em runas antigas. Da mesma maneira com que mistura gêneros naturais (não-ficcionais) e artificiais (ficcionais), Rowling mescla conteúdos do universo mágico de Harry Potter e fatos de nossa realidade empírica, confundindo as barreiras entre ficção e realidade. Essa conjunção de fatores chamou nossa atenção como pesquisadores de literatura, e por isso decidimos dedicar nossa dissertação à compreensão da transposição desse spin-off literário - pois se trata de uma narrativa derivada do heterocosmo ficcional original - para a nossa realidade empírica como uma obra metaficcional. Para isso, nos propusemos a primeiro estabelecer a cultura da convergência como o contexto criador da obra, assim como discutir os conceitos envolvidos nessa criação, como a narrativa transmídia, o hipertexto e o fenômeno cult. Em seguida, situamos nosso objeto de reflexão na estética da metaficção, responsável por sua constituição e conteúdo, e, por meio da análise de trechos, identificamos as técnicas metaficcionais manipuladas pela autora. Por fim, debatemos como a junção dessas ferramentas produz o leitor-modelo da obra em questão e influi na sua relação com o universo de Harry Potter e com as narrativas de sua própria realidade. Também abordamos como a metaficção significa não o fim dos recursos realistas tradicionais ou do romance, mas uma renovação deles, atendendo às demandas e gostos conscientes e inconscientes do público-leitor. Em suma, chegamos à conclusão de que Os Contos de Beedle, o Bardo são tanto um reflexo de seu momento de criação quanto um estímulo aos consumidores do entretenimento produzido na cultura da convergência, atuando ademais em uma via de mão dupla na relação que estabelecem com seus leitores, uma vez que simultaneamente oferecem uma interpretação mais apurada da sociedade, do enredo e das personagens da saga canônica, um conhecimento mais técnico dos recursos ficcionais que os autores costumam manipular e um olhar mais suspeito para as narrativas supostamente verídicas e neutras que a História nos oferece. O leitor torna-se, assim, alguém que aproveita a leitura enquanto investiga-a, reunindo os três papéis que a metaficção lhe concede: leitor, crítico e autor
  • ItemDissertação de mestrado
    Língua Espanhola na UNATI (Universidade Aberta à Terceira Idade) de Araraquara-SP: um trabalho online com músicas em espanhol
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-09-27) Abreu, Anna Laura Pozzetti de ; Favaro, Denise Maria Margonari
    Com o aumento da longevidade no Brasil (IBGE, 2021), aumenta também a demanda do público da terceira idade, o qual busca maior qualidade de vida (Della Bella, 2007), sendo a sala de aula considerada um ambiente propício para o contato social e a empatia entre professor e aluno (Pizzolatto, 1995). Dessa forma, o contato com línguas estrangeiras é um bom aliado para manter o cérebro em atividade, aspecto cuja importância é destacada por Villani (2007) e também porque promove a interação social, despertando a afetividade (Guimarães, 2006). Como materiais voltados especificamente ao ensino para a terceira idade são escassos no contexto das línguas estrangeiras, investigações que visam o aprimoramento de aulas para esse público são importantes (Della Bella, 2007), visto que é fundamental que o trabalho docente tenha práticas pedagógicas que levem em conta o contexto de aprendizagem na terceira idade, como algumas propostas por Scopinho (2009). As canções em espanhol sempre foram um grande interesse das minhas alunas durante os cinco anos em que estivemos juntas em sala de aula, três de forma online devido à pandemia da COVID-19. E com a ausência de investigações que tenham as canções como foco no ensino de línguas a essa faixa etária, a ideia foi realizar uma primeira experiência, com base no que dizem autores como Mata Barreiro (1996), Santos Asensi (1997) e Figueiroa (2011), que sirva de base e que seja desenvolvida também em outros contextos de ensino de espanhol (ou até de outras línguas estrangeiras) à terceira idade. O presente estudo, portanto, tem como objetivo fazer uma análise sobre o uso de canções no ensino de língua espanhola para um grupo de alunas da UNATI de Araraquara, por meio de dez encontros focados em trabalhar o idioma tendo as canções como os principais materiais. Outras bases teóricas importantes utilizadas no planejamento das aulas foram a gerontagogia, com Portero (1999), Carvajal (2008), Zúñiga (2011) e Gil (2016) e a pedagogia pós-método (KUMARAVADIVELU, 2006; ORTALE, 2023), também levada em consideração no planejamento e execução deste trabalho. Assim, buscamos entender o que as alunas pensam sobre o uso de canções como base para as aulas (que ocorreram de forma online), desenvolvendo, junto a elas, atividades que são executadas em aula e identificando, por meio do andamento dessas atividades, quais adaptações foram sugeridas pelas alunas no decorrer dos encontros. Para isso, uma pesquisa qualitativa foi realizada, mais especificamente um estudo de caso baseado em Lüdke e André (2014), coletando dados em um grupo de 11 alunas de língua espanhola da UNATI por meio de questionários, para responder às perguntas de pesquisa e chegar a resultados que possam ser úteis em outros contextos de ensino-aprendizagem de línguas à terceira idade. Assim, é possível abrir portas para outras investigações nesse sentido, a fim de contribuir para o aprimoramento do trabalho docente voltado a esse público.
  • ItemTese de doutorado
    Precarização do trabalho docente no contexto da Educação Básica privada paulista
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-05-26) Santos, Franciele Del Vecchio dos ; Fernandes, Maria José da Silva
    O mundo do trabalho tem passado por profundas mudanças nas últimas décadas, sobretudo devido à emergência do neoliberalismo e à reestruturação produtiva. A evolução tecnológica, a desregulamentação e a flexibilização têm modificado significativamente a dinâmica social e laboral. Essas transformações impactam diretamente os setores sociais, redefinindo as relações e o papel de instituições como a família, o Estado e a escola. Especialmente a escola pública vivencia um cenário de crises frente a novos papéis que vão sendo assumidos pelo Estado, ganhando espaço a mercantilização da educação. Nesse contexto, verificou-se um crescimento na oferta de vagas em escolas privadas no Brasil com um incremento de vagas de trabalho aos docentes; contudo, apesar de seu crescimento, a Educação Básica privada ainda é pouco explorada em termos de pesquisas e análises. O objetivo geral desta pesquisa é problematizar as condições de trabalho vivenciadas nas escolas privadas do estado de São Paulo e suas possíveis interferências no trabalho docente. Alinhada a este objetivo, a pesquisa buscou traçar um panorama das escolas privadas do estado de São Paulo a partir dos dados oficiais e da literatura especializada e identificar as características e condições de trabalho dos professores de escolas privadas paulistas. Partiu-se da hipótese de que o trabalho docente nessas instituições é pouco conhecido, constituindo-se um quadro impreciso acerca das condições apresentadas a seus trabalhadores e ocultando-se indícios de precarização enfrentados por seus professores. A quase invisibilidade no campo da pesquisa, associada à insegurança, resulta na submissão dos docentes a condições laborais pouco favoráveis e na ausência de ações voltadas à melhoria de suas condições de trabalho. A pesquisa adota um arcabouço teórico que contempla os estudos e proposições de Antunes (2015), Ball (2004), Dardot e Laval (2016), Enguita (1991, 2001, 2004), Oliveira (2005, 2010), Migliavacca (2010), Tardif e Lessard (2013) e Hypolito (2020). Trata-se de pesquisa qualitativa que teve coleta de dados empíricos por meio da aplicação de questionários eletrônicos respondidos por 263 professores de escolas privadas do estado de São Paulo. Os resultados da pesquisa indicaram tendências de precarização nas condições de trabalho dos professores das escolas privadas paulistas, como carga horária excessiva, instabilidade no trabalho e falta de plano de carreira. Além disso, identificou-se que o trabalho docente é pouco valorizado em um ambiente onde a atuação é pautada por aspectos performáticos e mercadológicos. Outra questão relevante é que muitos professores trabalham como horistas, o que resulta na falta de uma concepção de jornada de trabalho e em uma remuneração inadequada diante da carga de trabalho exigida. Do ponto de vista do trabalho coletivo, a falta de união e parceria entre os membros do universo escolar, aliada ao julgamento competitivo, enfraquecem as relações internas da escola e afetam a saúde mental e emocional dos professores. A cultura da performatividade, que valoriza o desempenho em detrimento das relações interpessoais, gera uma sobrecarga de trabalho e perda de sentido no processo de ensino-aprendizagem, contribuindo para a percepção de desvalorização profissional e falta de autonomia docente. É preocupante a baixa participação dos professores em movimentos sociais, especialmente os sindicatos, uma vez que o principal documento que regula as relações de trabalho na educação privada paulista é firmado entre os sindicatos e as entidades patronais.
  • ItemDissertação de mestrado
    O "déficit de crítica da ideologia": um estudo sobre a análise da subjetivação da dominação na Teoria Crítica contemporânea
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-01-22) Panigassi, Pedro Luís ; Segatto, Antonio Ianni
    A presente Dissertação de Mestrado objetivou efetuar uma análise crítica, em perspectiva comparativa, entre os modelos de crítica imanente propostos por dois autores filiados ao campo denominado Teoria Crítica, a saber: Axel Honneth e Rahel Jaeggi. O intuito foi averiguar se a proposta de uma crítica imanente reconstrutiva de Honneth possuiria um suposto “déficit de crítica da ideologia” em relação à análise dos fenômenos atrelados a subjetivação da dominação. Assim, parte-se comparação a crítica imanente-transformativa de Jaeggi que calcada justamente nesse conceito de crítica da ideologia para sua formulação de sua concepção. Para cumprir tal propósito, o trabalho dividiu-se em três capítulos. No primeiro, visamos apresentar alguns aspectos metodológicos da teoria crítica da sociedade desenvolvida por Axel Honneth, passando sobretudo pelos desdobramentos dos conceitos de “reconstrução normativa” e de “patologias sociais” em seus textos anteriores à obra O direito da liberdade. Em seguida, no segundo capítulo, exploramos a possibilidade aventada sobre o possível “déficit de crítica da ideologia” na teoria do autor em seu modelo crítico apresentado em O direito da liberdade. Para isso, reconstituímos alguns dos pressupostos metodológicos do livro em perspectiva comparada com os critérios para fundamentação da crítica imanente postos por Jaeggi. Pretendeu-se, assim, explorar a tese de que tal déficit encontra-se no modo como os conceitos de patologia social e de desenvolvimentos errados compreendem os fenômenos sociais atrelados a uma subjetivação da dominação, tratando deles apenas enquanto falsas interpretações da realidade, sem tomar esta mesma enquanto falsa. Este problema levaria Honneth a produzir uma crítica que leva a uma reprodução do status quo. Por fim, no terceiro capítulo, discutimos o modelo crítico das formas de vida proposto por Jaeggi. Objetivou-se compreender se a proposta da autora consegue, de fato, responder aos problemas relativos à subjetivação da dominação que colocamos referentes a este suposto déficit identificado na proposta de Honneth.