Teses - Educação - FFC

URI Permanente para esta coleção

Navegar

Submissões Recentes

Agora exibindo 1 - 20 de 485
  • ItemTese de doutorado
    A visão anarquista de Maria Lacerda de Moura: interfaces entre a educação, a igreja católica e o fascismo na década de 1930
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-18) Maurano, Tatiana Ranzani; Celeste Filho, Macioniro [UNESP]
    O objetivo desta Tese em História da Educação, foi entender, segundo os escritos de Maria Lacerda de Moura, em seus livros publicados na década de 1930, quais os instrumentos e mecanismos utilizados por duas instituições, para manter o controle e a domesticação dos corpos e mentes. A primeira delas é a Igreja Católica (Clero), como representante de Deus na Terra, donos do código moral da sociedade, colocando a educação religiosa como única possibilidade de ensino para a salvação da população. A segunda são as instituições governamentais (Estado), na década de 1930, com seus governos autoritários, organizando e nacionalizando o país, dizendo trazer algo novo. Mas ambos têm como premissa a manutenção do Capital e, para isso, se utilizaram de diversos mecanismos de controle, na construção de uma sociedade sem equidade, que tolhe e controla a liberdade dos seres humanos. Dentro dessa lógica perversa de dominação, a educação é um dos principais instrumentos usados por essas instituições, segundo a autora. Os objetivos específicos dessa investigação foram analisar tais escritos, examinar o que Lacerda e outros anarquistas escreviam sobre educação na imprensa anarquista brasileira, na década de 1930, e compreender a concepção de Maria Lacerda de Moura sobre a importância da educação e do quanto a Igreja Católica e o fascismo a ela recorrem, como instrumento de manipulação do povo. Nada como um autodidata para compreender uma autodidata e, nesse sentido, a forma de pensar e questionar o status quo, de Maurício Tratenberg (2004), propiciou a compreensão exata sobre a metodologia da pesquisa. Conhecer a história de vida de Maria Lacerda de Moura, seus escritos e as pesquisas realizadas sobre seus diferentes temários foi crucial para se compreender a autora e verificar que não havia ainda investigações sobre sua obra, em relação à Educação, Igreja Católica e fascismo. Para compreender a concepção educacional, anticlerical, antifacista de Maria Lacerda de Moura sobre a educação e as interferências da Igreja Católica e do fascismo, na década de 1930, assim como de outros anarquistas sobre a educação, fez-se uma análise dos escritos de Maria Lacerda de Moura sobre educação, Igreja Católica e fascismo, na década de 1930, e o que outros anarquistas escreveram sobre educação, na imprensa anarquista brasileira, naquele período. Através dos livros de Maria Lacerda de Moura: Fascismo: filho dileto da Igreja e do Capital, Clero e fascismo: horda de embrutecedores! e Ferrer, o clero romano e a educação laica, e de alguns autores anarquistas que publicaram nos jornais A Lanterna – jornal de combate ao clericalismo e A Plebe – periódico libertário, procurou-se compreender a concepção anarquista sobre educação e a interferência da Igreja Católica e o fascismo, na década de 1930. Através das leituras análise e reflexão dos livros e jornais, pode-se entender essa tríade corruptora apresentada por Maria Lacerda de Moura e outros autores. Ao verificar que o clero e o fascismo não são os únicos responsáveis pelo “embotamento da forma de pensar”, a autora faz uma denúncia contra os intelectuais fascistas, chamando-os de “superelefantes” do fascismo, personagens de uma novela distópica de Han Ryner, autor de referência para ela. Além disso, outro termo muito empregado por ela era o “polvo clerical”, demonstrando dominação da religião católica sobre as instituições sociais. Pela análise dos jornais, pode-se constatar que é um termo utilizado por muitos autores anarquistas da época, como Xisto Leão, o qual se destaca pela concordância de ideias entre os autores. Mas Maria Lacerda de Moura também recebeu críticas de outros anarquistas, as quais são apresentadas, por se acreditar ser importante mostrar que o pensamento de Maria Lacerda de Moura não era uníssono.
  • ItemTese de doutorado
    O processo de criação, implementação e extinção da Escola Normal Rural na meca do ruralismo no Brasil (Piracicaba-SP, 1933 a 1968)
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-28) Leite, Kamila Cristina Evaristo; Chaloba, Rosa Fátima de Souza [UNESP]
    A presente tese de doutorado desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências, Unesp, Campus de Marília, visa historicizar e reconstituir o processo de criação, implementação e extinção da primeira Escola Normal Rural existente no estado de São Paulo, a Escola Normal Rural “Prof. José de Mello Moraes”, em Piracicaba–SP, entre 1933 e 1968, tendo em vista o discurso do Movimento pela Ruralização do Ensino e as disputas políticas e educacionais sobre a existência desse tipo de instituição escolar no estado de São Paulo. O recorte temporal inicia-se no ano de 1933, com o decreto de criação da Escola Normal Rural e finaliza com o ano de 1968, com a reforma de ensino paulista que fixou um currículo básico e comum, sem especificidades, como o ensino ruralizado. Mediante a abordagem da História Cultural, do conceito de Representação e Cultura Escolar, utilizou-se como corpus documental: legislação; artigos de jornais; Relatórios dos Delegados de ensino de Piracicaba; Livro de memórias; e o acervo do Prof. João Chiarini. Em 1932, Sud Mennucci apresentou um projeto de criação de cinco escolas normais rurais, no estado de São Paulo, para formar professores para as escolas primárias rurais e desenvolver uma mentalidade agrícola nos docentes. No entanto, a iniciativa não obteve sucesso. Em 1933, ao retornar à Diretoria Geral de Ensino, ele expôs um novo projeto, reformulando o ensino rural no estado. A proposta foi debatida em âmbito nacional, configurando-se como uma proposição inovadora e distinta de outras regiões do país na criação de escolas normais rurais. Ainda assim, a escola normal rural paulista não se concretizou, imediatamente, demorando a funcionar. Nesse projeto, sendo instituído como decreto em 1933, o educador criou a Escola Normal Rural em Piracicaba, que, segundo Mennucci, era considerada um município vanguardista no ensino rural no Brasil. Dessa forma, conforme as suas convicções, Piracicaba deveria ser a primeira localidade paulista a ter uma escola normal rural, devido às características e as instituições de ensino rural existentes no município. O plano previa, ainda, a criação de outros estabelecimentos educacionais rurais, como os Grupos Escolares Rurais e os Clubes Agrícolas. Das iniciativas propostas no decreto n.º 6.047/1933, apenas a Escola Normal Rural de Piracicaba não obteve êxito e delongou-se 23 anos para o seu funcionamento de fato, sendo implementada no ano de 1956, sob a direção do Prof. Sólon Borges dos Reis, que estabeleceu a Comissão Pró Instalação da Normal Rural. Os resultados da presente pesquisa indicam a existência de diversas iniciativas de escolas normais rurais no estado de São Paulo, em particular a Escola Normal Rural "Prof. José de Mello Moraes", localizada em Piracicaba. A referida unidade escolar é considerada a primeira a funcionar no estado de São Paulo. No entanto, o objetivo de formar educadores primários rurais com uma perspectiva agrícola não foi alcançado, o que resultou em uma educação ruralizada que não conseguisse integrar os habitantes da área rural à terra, contendo o êxodo rural.
  • ItemTese de doutorado
    Efeitos de um programa baseado nos princípios do Desenho Universal para a Aprendizagem na participação de crianças em produções de histórias
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-21) Lopes, Valéria Rosa Farto; Oliveira, Jáima Pinheiro de [UNESP]
    A temática central desta pesquisa foi o uso dos princípios do Desenho Universal para a Aprendizagem (DUA) em uma proposta de produção de histórias, com crianças das etapas iniciais da Educação Básica. Organizaram-se três estudos, com problematizações específicas, que contribuíram para alcançar o objetivo geral desta tese: elaborar e analisar os efeitos de um programa inicial para produção de histórias baseado nos princípios do DUA, direcionado à participação de crianças da Educação Infantil e dos anos iniciais do Ensino Fundamental, em produções dessa natureza. O primeiro estudo, de tipo bibliográfico, de viés descritivo-discursivo, utilizou uma abordagem qualitativa. Objetivou identificar investigações nacionais e internacionais cuja temática fosse os princípios do DUA, com foco na Educação Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental. Os resultados revelaram um panorama carente por publicações científicas nacionais acerca da temática e a necessidade de mais discussões sobre a aplicação desses princípios em mediações, especialmente quanto à produção de histórias. O segundo estudo, com abordagem qualitativa, de natureza exploratório-descritiva, almejou caracterizar as estratégias e recursos pedagógicos adotados por professores em práticas de produção de histórias e analisar a participação das crianças nessas atividades. As investigações aconteceram em quatro escolas municipais de uma cidade do interior do estado de São Paulo, em seis salas comuns de Educação Infantil e oito de Ensino Fundamental, que atendem turmas heterogêneas. A coleta de dados ocorreu pela observação das práticas pedagógicas, registrada em protocolo elaborado para esse fim e em diário de campo. Selecionou-se uma turma de Educação Infantil e duas de Ensino Fundamental para a apresentação dos resultados. A análise dos dados gerados junto a três professores e 58 crianças expôs estratégias de ensino e o uso de recursos que se mostraram eficazes para as intervenções com algumas dessas crianças, porém, evidenciou pouca variabilidade para a participação de todas as crianças nas produções propostas. O terceiro estudo, com abordagem qualitativa, de natureza exploratório-descritiva, pretendeu construir um programa de histórias amparado nos princípios do DUA e no PRONARRAR, testar os efeitos desse programa inicial de histórias e analisar elementos da participação das crianças, usando diferentes materiais das partes iniciais desse programa. Essa construção gerou quatro diferentes formas de apresentação: cenário tridimensional articulado, kit de apoio, audiodescrição e recursos de Comunicação Suplementar e Alternativa. Participaram desse estudo duas turmas de Educação Infantil e duas de Ensino Fundamental. O instrumento de pesquisa adotado foi um roteiro para aplicação do programa. Os dados foram registrados mediante filmagens e em diário de campo. Os resultados descreveram a construção das etapas iniciais do programa e elementos sobre a participação de 52 crianças, de três dessas turmas, na sondagem de uma parte preliminar desse programa. Os dados obtidos indicaram que o programa construído dispôs de modos múltiplos de apresentação, de ação e expressão e de implicação, de engajamento e envolvimento, favorecendo a participação de crianças com diferentes perfis, na produção de histórias. Verificou-se ainda que elas mantiveram a atenção durante a apresentação dos materiais e houve indicadores de que intencionaram obter uma produção de história. Foi possível concluir que o programa maximizou a participação, o envolvimento e o engajamento de todas as crianças, em produções de histórias, pelo uso dos diferentes materiais que o integraram. Na seção Recomendações, há algumas orientações e sugestões sobre utilizações futuras do programa desenvolvido.
  • ItemTese de doutorado
    "Professora, quem destrói a natureza faz parte do meio ambiente?" Preparar, semear, cuidar, colher e ressignificar para recomeçar: uma proposta de educação ambiental com crianças na escola pública
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-28) Maia, Francisane Nayare de Oliveira; Morais, Alessandra de [UNESP]; Mello, Ana Lúcia de
    Tendo como referencial de base a Ecopedagogia e considerando a Educação Ambiental como um processo de aprendizagem e formação, que pode auxiliar na construção de valores, saberes, hábitos e atitudes para o convívio social em equilíbrio com o ambiente, este projeto teve por objetivo geral compreender como o desenvolvimento de atividades dirigidas de Educação Ambiental pode contribuir para a formação ecológica de crianças, em uma escola pública municipal de ensino fundamental I, de período integral, do interior do Estado de São Paulo. Os objetivos específicos foram: planejar e desenvolver atividades dirigidas de Educação Ambiental; investigar os efeitos dessas práticas e saberes para a formação ecológica dos educandos; e contribuir para a sensibilização da equipe gestora, docente, demais funcionários da escola e famílias para a continuidade de iniciativas voltadas para a formação das crianças em Educação Ambiental. A pesquisa foi realizada em uma escola municipal, localizada no interior do Estado de São Paulo. As participantes foram crianças, do sexo feminino e masculino, de 5 a 7 anos, de uma turma de 1º ano do ensino fundamental I, de período integral, totalizando 20 crianças. As atividades de Educação Ambiental foram desenvolvidas semanalmente, em 23 encontros, tendo cada um 3 horas/aula de duração, além do cuidado diário com a horta escolar. No que se refere à metodologia, a pesquisa foi de delineamento quase-experimental e de abordagem quali-quantitativa, em que se buscou verificar o efeito da variável independente (Programa de intervenção em Educação Ambiental) sobre a variável dependente (concepções sobre meio ambiente). Foram realizadas entrevistas semiestruturadas, observações, coleta de relatos orais, desenhos e atividades dirigidas voltadas para a Educação Ambiental. O efeito do Programa de intervenção foi avaliado mediante análise processual e pré e pós-testes. Todo o material coletado foi analisado quali-quantivamente e à luz do referencial teórico pertinente à temática. Os resultados obtidos demostraram uma mudança significativa nas concepções das crianças em relação ao meio ambiente, tanto em termos quantitativos quanto qualitativos. No que diz respeito aos dados quantitativos, os resultados apontaram a existência de diferença estatística significativa entre as comparações do pré-teste e pós-teste para a maioria dos elementos avaliados nos desenhos meio ambiente e meio ambiente bem-cuidado e malcuidado. Este fato evidencia que houve uma melhora dos resultados após a intervenção da professora/pesquisadora em ambos os desenhos. Analisando os dados qualitativos, observou-se que, por meio das falas, desenhos e ações das crianças, após a intervenção, elas passaram a se sentir como parte integrante do meio ambiente, demostraram cuidado e maior senso de pertencimento ao seu entorno. Além disso, puderam expressar suas emoções por meio do contato com elementos da natureza: terra, água, sol etc. Esses resultados evidenciam que as atividades realizadas, principalmente o cultivo de uma horta, contribuíram para que elas experimentassem na prática alguns princípios da Alfabetização Ecológica e da Ecopedagogia. Concluiu-se, portanto, que um trabalho contínuo e sistemático auxiliou na formação ecológica das crianças. Além disso, houve a sensibilização da importância da temática no ambiente escolar, ao passo que alguns funcionários da escola continuaram com o projeto da horta escolar, reforçando o impacto positivo da pesquisa.
  • ItemTese de doutorado
    Ensinar e aprender, interatuando: o reconhecimento de uma trajetória formativa no projeto de alfabetização de crianças com deficiência intelectual
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-20) Papim, Angelo Antonio Puzipe; Oliveira, Anna Augusta Sampaio de [UNESP]
    A presente tese é decorrente de pesquisa contextualizada no campo de estudos que visa a aprofundar a compreensão do processo de ensino e aprendizagem, com ênfase particular na aprendizagem do professor em como ensinar, fundamentada na Teoria Histórico-Cultural. Os estudos sobre como os professores aprendem a ensinar destacam esse processo como marcado por escolhas conscientes feitas em fases específicas da carreira, como o período de formação, um espaço e tempo definidos pela biografia pessoal do professor e pelas tendências pedagógicas vigentes nesse contexto. Contudo, observa-se uma carência significativa de pesquisas sobre a trajetória formativa dos professores, particularmente dos processos de aprendizagem relacionados a como ensinar. Essa lacuna se torna ainda mais evidente, no contexto específico do ensino da linguagem oral e escrita para crianças com deficiência intelectual. A participação do autor como professor-pesquisador em um Projeto de Alfabetização na área da Deficiência Intelectual, integrante da pesquisa intitulada “A questão da leitura e escrita na área da deficiência intelectual: qual a melhor forma de ensino”, despertou o interesse deste estudo, orientado pela seguinte questão de pesquisa: quais as contribuições da Teoria Histórico-Cultural para a autorreflexão do professor-pesquisador, quanto à sua intenção pedagógica, no processo de alfabetização de crianças com deficiência intelectual? A fim de respondê-la, o objetivo consiste em compreender, na análise da trajetória formativa do autor, enquanto professorpesquisador, no Projeto de Alfabetização na área da Deficiência Intelectual, a capacidade de autorreflexão sobre sua intenção pedagógica e sua atuação no ensino da linguagem oral e escrita para a aprendizagem de uma criança com deficiência intelectual. E, para que o objetivo do estudo seja claramente compreendido, é necessário reconhecer que a autorreflexão do professor está profundamente entrelaçada ao desenvolvimento de sua consciência sobre sua atuação no processo de ensino e aprendizagem, como uma unidade dialética, levantando-se a hipótese de que o ensino e a aprendizagem, exercidos como atividade consciente, intencional e motivada pelo professor, nessa realidade concreta, configuram uma interatuação na qual quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. O método para realizar a pesquisa é caracterizado por um estudo de caso composto por dois sujeitos, o professor-pesquisador e a criança com deficiência intelectual, com a análise qualitativa de três cenas, extraídas do acervo de filmagens do Projeto de Alfabetização na área da Deficiência Intelectual, cujo critério de seleção consistiu na demonstração de marcos do desenvolvimento do professor-pesquisador em relação às suas formações cognitivas e emocionais emergentes na atuação com a criança com Deficiência Intelectual, que lhe possibilitaram fazer a autorreflexão, estabelecer uma consciência de si e do outro e criar uma intencionalidade pedagógica relacionada à dinâmica de ensino e aprendizagem, como parte de uma práxis educacional complexa. Os dados deste estudo revelam que o processo de aprendizagem do professor, no ensino, é complexo e multidimensional, envolvendo a intersecção das suas experiências sociais e psicológicas. Assim, fica evidente que, na prática educacional, a criança não só contribui, mas também atua como um mediador significativo na aprendizagem do professor, de forma tão relevante quanto a formação teórica.
  • ItemTese de doutorado
    Diversidade e inclusão a partir de um modelo interdisciplinar: estudo sobre as concepções e atitudes sociais de professores e crianças
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-02-19) Pereira, Adriana Alonso; Omote, Sadao [UNESP]
    A Educação Inclusiva depende de um ambiente acolhedor e adequado às necessidades de todos os alunos. Contudo, são muitas as barreiras para que, de fato, esse paradigma se concretize na realidade escolar. Uma das dificuldades para tal concretização refere-se às barreiras atitudinais, as quais dizem respeito à maneira como as pessoas lidam com as diferenças. Uma maneira de minimizar tais barreiras refere-se à ampliação de espaços de discussão sobre temáticas envolvendo a diversidade e a inclusão. Para tanto, a organização dos currículos escolares a fim de contemplar tais temáticas pode contribuir para a diminuição das barreiras atitudinais, pois os alunos têm a oportunidade de debater tais temas visando promover o respeito às diferenças. Desse modo, a abordagem dos temas diversidade e inclusão, por meio da perspectiva de infusão curricular e interdisciplinar, pode favorecer a construção de um ambiente mais inclusivo, uma vez que os temas não são trabalhados de forma isolada nas disciplinas, mas de forma integrada, considerando o papel das escolas na formação de sujeitos capazes de atuar na sociedade de modo a respeitar as diferenças. Nesse sentido, esta pesquisa objetivou investigar concepções sobre deficiências de professores e estudantes de escolas de tempo integral e os efeitos de encontros formativos sobre diversidade e inclusão numa perspectiva interdisciplinar nas atitudes sociais de professores e estudantes em relação à inclusão. Os encontros formativos envolveram a capacitação de professores, por meio de três encontros formativos, para desenvolver e aplicar atividades relacionadas às temáticas da diversidade e inclusão. Participaram da pesquisa 22 professores de 3º, 4º e 5º anos de três Escolas municipais de Ensino Fundamental I (EMEFs) de tempo integral de uma cidade do interior paulista e seus respectivos estudantes. A fim de verificar possíveis efeitos dos encontros formativos nas atitudes dos professores, foram constituídos dois grupos: o experimental (GE) e o controle (GC). O mesmo ocorreu com os grupos de estudantes, foram compostos grupos de GE e GC, com o intento de investigar possíveis efeitos nas atitudes sociais de tais estudantes, por meio da intervenção realizada pelos seus respectivos docentes, a qual envolveu a abordagem das temáticas diversidade e inclusão no contexto de sala de aula. Os instrumentos de coleta utilizados foram a Escala infantil de atitudes sociais em relação à inclusão (ASI-EI), um questionário sobre as concepções de crianças em relação às deficiências, um questionário sobre as concepções de professores em relação às deficiências e a Escala Likert de atitudes sociais em relação à inclusão (ELASI). A partir das respostas dadas à ASI-EI e ELASI, os participantes tiveram seus escores referentes às atitudes sociais em relação à inclusão calculados. Aos dados provenientes dos questionários sobre as deficiências, tanto dos estudantes como dos professores, foram atribuídas categorias às respostas. Testes estatísticos foram utilizados sempre que a natureza dos dados indicava sua aplicação. Os resultados não evidenciaram alterações significativas nas atitudes sociais dos professores e alunos pertencentes ao grupo experimental (GE). O mesmo pôde ser observado em relação às concepções dos professores e estudantes acerca das deficiências.
  • ItemTese de doutorado
    Validação de um instrumento de identidade moral no contexto brasileiro e sua relação com valores morais
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 0024-03-13) Morais, Mariana Lopes de; Bataglia, Patrícia Unger Raphael [UNESP]
    A identidade pode ser entendida como um conjunto de conteúdos, seja de natureza religiosa, ideologica política, que aparecem como parte da representação que o sujeito elabora sobre si mesmo. É indispensável que o sujeito reconheça esses conteúdos como centrais para o seu senso de si mais básico e o unifique de modo coerente. Muitos autores tem discutido sobre a presente temática, como Augusto Blasi; Colby e Damon e Puig. Há poucas pesquisas no Brasil sobre a identidade moral, sobretudo com crianças, por isso, buscou-se trabalhar com o com o constructo identidade moral e validar para o Brasil uma escala de mensuração desse constructo, o Moral Identity Test (MIT). Entendemos que seria importante utilizar um outro instrumento de avaliação moral, já validado no Brasil, para assim, estabelecer relações que corroborariam para a validação de novo instrumento. O objetivo geral foi relacionar a identidade moral ao nível de adesão aos valores sociomorais de justiça, respeito e convivência democrática. Utilizando-se uma amostra de 503 crianças de 8 a 10 anos de escolas públicas escolhidas por conveniência, aplicou-se o MIT e a escala de valores morais. Com a análise exploratória, realizamos o teste de alfa de cronbach para os dois fatores descobertos na análise estatística, os fatores extra escolares e os escolares. O alpha de cronbach para a escala foi de alpha=0.601, IC95% [0.531, 0.658]. Os autores estatísticos sugerem a intepretação dessa medida como moderada. As duas correlações se mostraram significantes do ponto de vista estatístico e quanto maior a centralidade do valor (MIT) melhores as respostas de adesão a valor na escala de valores, não separados por valor, mas consideramos o resultado como um todo. Os resultados referentes ao tipo de ambiente, nas situações escolares as crianças respondem com menor centralidade na moral do que nas situações extra escola, podendo ser levantada hipóteses dos motivos, como por exemplo, a autoridade do ambiente escolar ser tão proeminente que os estudantes parecem não sentirem que devem se importar tanto com seu envolvimento em tais situações, também levantamos a hipótese de que seria a ligação afetiva das relações extra escola mais significativas e por isso a moral seria mais central nessas situações. Dessa forma, é urgente pensarmos em um ambiente escolar que auxilie na construção de um ambiente ético em que o estudante experimente viver situações que o levem a construir seus valores morais pelo respeito mútuo, desenvolvendo assim, sua autonomia.
  • ItemTese de doutorado
    Heranças político-filosóficas de ensinar e aprender filosofia: do campo do ensino de filosofia à trajetória formativa na UNESP
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-01) Rodrigues, Augusto; Gelamo, Rodrigo Pelloso [UNESP]
    O objetivo desta tese consiste em problematizar as heranças de formação que irradiam, de um lado, em nossas práticas de ensinar e aprender filosofia e, de outro, em nossas práticas de pesquisa na área do ensino de filosofia. Investigamos como a convivência no campo do Ensino de Filosofia e no curso de licenciatura de filosofia da Universidade Estadual Paulista (UNESP), pela nossa trajetória no Grupo de Estudo e Pesquisa sobre o Ensino de Filosofia (ENFILO), permite a emergência de uma forma específica de pesquisar sobre o ensino de filosofia, perspectivado principalmente como um problema filosófico, e, além disso, uma forma de ensinar e aprender filosofia em que a experimentação filosófica seja uma possibilidade para professores e estudantes em sala de aula. Defendemos que as heranças do campo e de nossa formação de professores são recepcionadas dentro do ENFILO e se reinventam como uma prática ético-formativa que emerge como resistência a um disciplinamento moral teórico-prático, e se faz imanente à vida, possibilitando que o filosofar esteja presente tanto na maneira de pesquisar, bem como no que diz respeito às relações educativas. Para tanto, no primeiro capítulo, partimos do debate contemporâneo em torno do campo do Ensino de Filosofia – em que um grupo de pesquisadores da área coloca em questão as relações epistemológicas, éticas, estéticas e políticas que constituem o campo –, e questionamos quais relações mantemos com o campo do Ensino de Filosofia e como elas ressoam nos professores e pesquisadores que nos tornamos. Essas heranças são perspectivadas pela leitura que fazemos da emergência do campo do Ensino de Filosofia e, concomitantemente, da virada discursivo-filosófica que deslocou as produções acadêmicas de um registro pedagógico para colocá-las como uma problemática também de ordem filosófica. No segundo capítulo, verificamos como essas heranças se capilarizam no ENFILO, grupo do qual fazemos parte desde o início de nossa trajetória formativa no curso de filosofia da UNESP. Reconstituímos o contexto de criação do grupo e sua relação com as pesquisas de filosofia da educação, além de retomar os projetos de pesquisa e docência, de maneira a dar forma às características e aos potenciais éticos de uma política filosófica de ensinar e aprender filosofia e de pesquisar no assunto. No terceiro capítulo, mostramos como essa política filosófica, ou filosofia do ensino de filosofia, do ENFILO, só se faz possível como resistência à formação histórico-filosófica no curso de licenciatura da UNESP, além de ser impulsionada e influenciada por um projeto artístico de formação de filósofos. Investigamos a proveniência das práticas de ensinar e aprender de nossa formação de professores, de maneira a destacar sua relação com os hábitos e os ritos institucionais hegemônicos da filosofia acadêmica, deslocando-as, assim, das hipóteses comuns que costumam associar nossas heranças formativas à rotina filosófica implementada na Universidade de São Paulo (USP). Analisamos como o funcionamento dessas heranças na UNESP permite a cisão da experiência de filosofar das práticas de ensinar e aprender filosofia. E, em contrapartida, mostramos como, mesmo dentro do curso, já existiam tentativas de resgatar a visceralidade do filosofar – cujas práticas nos servem de inspiração –, em oposição à redução das relações educativas no curso às práticas do comentário e leitura de textos filosóficos. O encontro dessas heranças político-filosóficas em nós faz-nos vislumbrar uma filosofia de professores, uma experiência de pensamento coletiva em que já não há mais a cisão entre filosofar, ensinar e aprender filosofia.
  • ItemTese de doutorado
    Projeto político-pedagógico de uma creche: contexto para relações humanizadoras
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-03-05) Pereira, Marcelo Campos; Lima, Elieuza Aparecida de [UNESP]
    Esta tese decorre de pesquisa de doutorado realizada junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências, Unesp, Campus de Marília, integrada ao Grupo de Estudos e Pesquisas sobre especificidades em Docência na Educação Infantil – Gepedei. Firma a compreensão de que a creche dirigida à plenitude do desenvolvimento humano infantil efetiva ações didáticas fundamentadas cientificamente, a partir de seu Projeto Político Pedagógico (PPP). Tais ações se dirigem à promoção de relações sociais humanizadoras entre os bebês, crianças pequeninas e deles com os adultos. A pesquisa inscreve-se como investigação teórica fundamentada nos preceitos da Teoria Histórico-Cultural, em resposta ao problema: de acordo com os conhecimentos científicos e o, como as relações sociais vividas na creche podem favorecer o desenvolvimento humano de bebês e das crianças pequeninas? A partir dele, derivou-se o objetivo geral do estudo: compreender e analisar fundamentos científicos produzidos na área bem como os princípios teóricos apresentados no PPP de uma creche no que diz respeito à forma como é planejada a sua organização, no que tange aos seus tempos, espaços, materiais e situações. Para efetivação do estudo, diferentes ações metodológicas efetivaram-se. A primeira envolveu a busca e a reunião de dissertações, teses e artigos produzidos entre 2009 a 2021, com foco no PPP da creche, considerando relações humanas desenvolvidas nesse espaço. A segunda envolveu leitura e sistematização dos trabalhos escolhidos. Como resultado, constatou-se um número pequeno de trabalhos relativos ao PPP na creche, expressando possível carência desse documento nesse espaço. Em acréscimo, poucas produções localizadas utilizam a nomenclatura “relação” ou “relações sociais”, termos essenciais à discussão do tema da pesquisa desenvolvida. Realizou-se, também, a análise documental do PPP de uma creche orientada pelos eixos: Conceito de homem e de criança, atuação docente e lugar da cultura tendo em vista o processo de humanização. Os resultados apontam para o valor da formação teórica de professores e educadores orientada por um PPP baseado em conhecimentos científicos norteadores da atuação pedagógica, processo capaz de promover a composição de uma cultura escolar permeada por relações humanizadoras, nas quais a criança seja capaz de se relacionar com outras pessoas e com a cultura. Desses estudos, derivaram as seguintes implicações: a necessária unidade do T.R.E.M. (tempos, relações, espaços e materiais) como elemento central do currículo; a concretização de relações humanas visando o desenvolvimento das atividades dominantes; a criação de necessidades humanizadoras nos bebês, provocando neles aprendizagens cada vez mais sofisticadas e a essencialidade da participação ativa de toda a comunidade escolar na elaboração e apropriação do PPP. Os estudos realizados evidenciaram a tese de que o Projeto Político-Pedagógico fundamentado cientificamente e apropriado por todos os Professores e Educadores pode orientar a proposição de uma organização escolar que, em sua riqueza e complexidade, efetivamente provoque diferentes relações sociais humanizadoras entre os bebês e crianças pequeninas e deles com os adultos.
  • ItemTese de doutorado
    A decadência ideológica da ciência econômica e a formação política no MST e no 13 de Maio NEP
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2024-02-05) Lubliner, Theo Martins; Novaes, Henrique Tahan [UNESP]
    O objeto de análise desta tese é a formação em economia para a consciência de classe. O argumento central aqui defendido é de que, se por um lado a teoria econômica tem sido uma poderosa arma ideológica da classe dominante, por outro, a apropriação crítica dessa ciência é condição necessária (ainda que insuficiente) ao avanço do processo de consciência das classes trabalhadoras. Ocorre que, como a ciência econômica burguesa é hegemônica nos centros de ensino especializado e nos grandes meios de comunicação de massa (onde a sua crítica é apenas residual) tem cabido em especial aos espaços de formação política de movimentos sociais o papel de fazer o seu contraponto a partir da crítica da Economia Política. Tendo isso em vista, no primeiro capítulo, foi feita uma revisão teórica sobre os temas ideologia e consciência de classe com o intuito de explicar como o processo de decadência ideológica da ciência econômica burguesa – descrito no segundo capítulo – tem criado mecanismos para massificar sua difusão mesmo diante de sistemáticas crises econômicas, científicas e ideológicas. O terceiro capítulo trata do processo de surgimento da ciência econômica proletária a partir da crítica da Economia Política de Marx e o seu amadurecimento ao longo do desenvolvimento do modo de produção capitalista e dos desfechos da luta de classes. O capítulo quarto aborda a manifestação particular no Brasil dos mesmos fenômenos e processos observados nos dois capítulos anteriores com ênfase na questão do desenvolvimento. Por fim, os dois últimos capítulos são estudos de caso das principais contribuições teórico-metodológicas de experiências de Educação Popular para a difusão da ciência proletária no Brasil, em especial no que se refere ao tratamento da temática econômica. Foram analisados o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) e o 13 de Maio NEP (Núcleo de Educação Popular). A intenção da tese foi colaborar para uma reflexão a respeito de teoria econômica, de método e de metodologia de formação política e uma contribuição a respeito da necessidade de se criar meios e formas de difusão não só da crítica da Economia Política mas também de uma crítica da Ciência Econômica burguesa, mais do que nunca necessária ao avanço do processo de consciência das classes trabalhadoras no atual estágio do desenvolvimento capitalista regido pelo negacionismo neoliberal próprio do processo de decadência ideológica das classes dominantes e que tem se cristalizado enquanto a miséria da economia e aprofundado a economia da miséria.
  • ItemTese de doutorado
    Escola normal da corte (1876-1889): um estudo por meio de fontes documentais
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2005-12-01) Mancini, Ana Paula Gomes; Monarcha, Carlos [UNESP]
    Esta pesquisa procurou recuperar uma parcela da trajetória da Escola Normal da Corte, percorrida de 1876 a 1889. A metodologia esteve subsidiada com auxilio de fontes documentais. O período de estudo tem início a partir da criação da Escola no século XIX. De imediato, procuro demonstrar que, não obstante o discurso do fracasso escolar, em razão da Escola Normal da Corte que tem início a idealização de se construir um modelo de formação de professores no Brasil. Dessa forma, procurei pesquisar os antecedentes da criação da Escola, o momento histórico da fundação, a organização didática e pedagógica, os professores e os alunos para que, a partir da reconstrução histórica dessa trajetória, a pesquisa pudesse revelar momentos fundamentais do cotidiano e da cultura geral da escola. Assim, a pesquisa teve por fim revelar a gênese, o desenvolvimento e a trajetória da formação de professores na Escola Normal da Corte nas últimas décadas do século XIX.
  • ItemTese de doutorado
    Noções sobre padrões estéticos de beleza em estudantes universitários e a relação com a construção do possível e do necessário: um estudo piagetiano
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-12-04) Sousa, Lilian Pacchioni Pereira de; Saravali, Eliane Giachetto; Saravali, Eliane Giachetto [UNESP]
    As universidades constituem-se como espaços para reflexões acerca do papel social que os graduandos passarão a assumir na sociedade enquanto cidadãos e profissionais. No contexto de um Brasil multirracial e multicultural, considerar diferentes e variadas possibilidades de desafiar e desconstruir padrões torna-se uma questão importante na formação de futuros profissionais com formação em Publicidade e Propaganda que atuarão em áreas relacionadas à criatividade, linguagens visuais e, especialmente, criadores de objetos e imagens portadores de informações, valores e dimensões estéticas. O objetivo central da presente investigação consistiu em identificar as noções sociais sobre padrões estéticos de beleza em estudantes universitários e a relação com a construção dos mecanismos cognitivos o possível e o necessário. A pesquisa possui abordagem teórico-metodológica na perspectiva construtivista, fundamentada na teoria de Jean Piaget, e consiste em um estudo de caso, com tratamento quali- quantitativo dos dados. Os participantes foram 33 estudantes com idades entre 18 e 31 anos do curso de Comunicação Social com Habilitação em Publicidade e Propaganda de um Centro Universitário, instituição privada localizada no interior do estado de São Paulo. Os instrumentos utilizados foram: 1) Prova Operatória do Possível "O recorte de um quadrado - recortes livres e com fins determinados"; 2) Prova Operatória do Necessário “Condições necessárias e suficientes na constituição de provas” e 3) Entrevista Semiestruturada, a partir de trabalhos realizados pelos estudantes (peças publicitárias), pautada no método clínico-crítico. Os resultados indicaram maior número de indivíduos na prova dos Possíveis (recortes livres) no NÍVEL III – 13 sujeitos – 40%. Na mesma prova (com fins determinados) apresentaram características de NÍVEL IIA – 17 sujeitos – 52%. Na prova do Necessário, a maioria alcançou o NÍVEL II – 17 sujeitos – 52%. Na entrevista, 13 sujeitos – 39% apresentaram características de NÍVEL I. Observamos a partir da entrevista, julgamentos sobre padrões estéticos baseados em características estereotipadas, noções simplistas e conceitos confusos sobre beleza e aspectos relacionados à diversidade. Constatou-se, estatisticamente, correlação positiva entre os dados obtidos nas provas operatórias com dados obtidos a partir da entrevista. A similaridade entre os Possíveis (recortes livres), Possíveis (com fins determinados) e o Necessário foi de cerca de 90%, já a entrevista foi mais dissimilar, 68%. O estudo soma-se às pesquisas realizadas no campo da construção do conhecimento social e subsidia a abertura de diálogos sobre a formação do profissional da publicidade.
  • ItemTese de doutorado
    Imaginação na infância: atividades da criança e da professora da educação infantil nos cantos de trabalho sob a ótica da teoria histórico-cultural e da Pedagogia Freinet
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-12-13) Kusunoki, Karolyne Aparecida Ribeiro; Lima, Elieuza Aparecida de [UNESP]
    O presente estudo de doutoramento, vinculado ao programa de Pós-graduação em Educação da Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista – Unesp – Campus de Marília/SP, originou da ação reflexiva e anseio da pesquisadora – como professora atuante em turmas da Educação Infantil – em compreender a essência dos processos psicológicos na infância em sua intrínseca relação com os encaminhamentos didático-pedagógicos orientados pela ação docente. Amparada nos resultados da pesquisa desenvolvida no curso de mestrado e tateios experimentais com as Técnicas Freinet em suas turmas de Educação Infantil, foi possível depreender que crianças e docente experimentam possibilidades de desenvolvimento em níveis mais sofisticados das capacidades psicológicas humanas à medida que se envolvem em propostas educativas subsidiadas pelas diretrizes teórico-científicas da Teoria Histórico-cultural e pressupostos didático-metodológicos da Pedagogia Freinet – referenciais teóricos adotados neste estudo. Nesta direção, o conteúdo desta tese de doutorado versa – sob o prisma teórico-científico e prático – sobre os elementos motivadores da atividade de imaginação na infância no contexto dos Cantos de trabalho – proposição formativa inspirada nos princípios filosóficos, instrumentos didáticos e técnicas pedagógicas de Célestin Baptistin Freinet (1896-1966) – que, deliberadamente organizados na escola, anseiam promover o desenvolvimento da inteligência e personalidade em suas máximas possibilidades. À vista disso, o objetivo geral da pesquisa consistiu em identificar e analisar as contribuições da ação formativa com os Cantos de trabalho essenciais à mobilização e sofisticação da função imaginação na atividade psicológica da criança. O objetivo específico orientou-se em intervir na realidade educativa a partir da organização intencional dos tempos, materiais, relações e espaços (composição dos Cantos de trabalho) aliada a processos de mediação pedagógica dirigidos à sofisticação da atividade de imaginação na infância. As ações da pesquisa (estudo teórico, atividade em campo e processo de análise dos dados) se estruturaram para responder ao seguinte problema de pesquisa: como a prática pedagógica na Educação Infantil, estruturada sob a forma de Cantos de trabalho, pode potencializar e revelar indícios da mobilização e sofisticação da atividade de imaginação na criança? Como tese destaca-se que a função imaginação no psiquismo infantil pode ser potencializada a partir de proposições formativas com os Cantos de trabalho, uma vez que a dinâmica didático-pedagógica possibilitada por essa prática – motivadora da atividade da criança, da livre expressão, da mediação docente e da organização intencional do trabalho educativo – ativa significativamente o conjunto de funções psíquicas superiores, propiciando, assim, processos educativos reveladores de saltos qualitativos no desenvolvimento psíquico da criança. Para responder ao problema de pesquisa e atingir os objetivos (geral e específico), metodologicamente foram empreendidas ações de pesquisa em fontes bibliográficas (produções acadêmico-científicas) para o aprofundamento de conceitos sob a ótica da Teoria Histórico-cultural e Pedagogia Freinet, a observação participante na turma de pré-escola 2 (5 anos) de um Centro de Educação Infantil do município de Birigui/SP e intervenção na realidade a partir de uma amostra da turma (grupo com 9 crianças) por meio de sessões de experimento didático-formativo estruturado sob a configuração de Cantos de trabalho. Como resultado explicita-se que a participação ativa da criança, possibilitada pela dinâmica favorável dos Cantos de trabalho, contribui para intensificar a atividade intrapsíquica, possibilitando a mobilização sistêmica e indícios da sofisticação das funções psíquicas superiores, em especial a função imaginação. Simultaneamente, nesta proposição didático-metodológica, são possibilitados processos de mediação docente eficazes, capazes de alargar as possibilidades de atuação da criança no mundo, expressando, desse modo, exitosos processos de desenvolvimento dirigidos à formação de inteligências e personalidades humanizadas na escola da infância.
  • ItemTese de doutorado
    O papel da pesquisa pedagógica na formação continuada de professores
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-12-15) Cardoso, Patrick Pacheco Castilho; Araújo, Luciana Aparecida de [UNESP]
    O presente trabalho tem por objeto de investigação a Pesquisa Pedagógica e sua relação com a formação continuada de professores. O estudo justifica-se pela necessidade de se realizarem pesquisas que apontem alternativas para a implementação dos processos de formação docente, neste caso, por meio de desenvolvimento de investigações sobre prática. Os problemas da pesquisa giraram em torno de responder às seguintes questões: a) qual o papel da Pesquisa Pedagógica enquanto modalidade investigativa da prática docente na formação continuada de professores? b) de que modo a pesquisa potencializa a formação continuada e a constituição do professor pesquisador e de sua profissionalidade? c) quais as tendências dos estudos em âmbito acadêmico quando seus objetos são a formação continuada e a pesquisa pedagógica e sua possível relação? A hipótese central é a de que as propostas de formação que tenham como base atitudes de pesquisa da prática consubstanciam a ação pedagógica do professor e contribuem para o desenvolvimento de sua profissionalidade. Nesse sentido, o objetivo geral foi o de proceder estudo teórico acerca do papel e das potencialidades da Pesquisa Pedagógica enquanto modalidade investigativa nos processos de formação continuada de professores, desdobrando-se nos seguintes objetivos específicos: evidenciar conceitos da formação continuada na perspectiva da formação do professor intelectual críticoreflexivo; compreender e relacionar os pressupostos da pesquisa com vistas ao desenvolvimento docente e constituição de sua profissionalidade; conceituar e teorizar a Pesquisa Pedagógica enquanto modalidade investigativa, delineando-a como potencial ferramenta para as ações formativas e para a cultura científica na escola; e proceder mapeamento dos estudos e pesquisas sobre a temática tratada. Para o alcance dos objetivos propostos, metodologicamente, o estudo dividiu-se em duas partes, a primeira, sendo pesquisa bibliográfica com o objetivo de tratar a temática do ponto de vista teórico-epistemológico, buscando um avanço acerca da discussão e, a segunda, com base no mapeamento dos estudos sobre pesquisa pedagógica e formação continuada realizados entre 1996 e 2022 a fim de Os resultados apontam para a necessidade de que a formação continuada em serviço ocorra com base em práticas que as potencializem e deem significado, sendo a Pesquisa Pedagógica uma importante modalidade nesse sentido, que deve ser estudada e definida com vistas ao avanço de sua compreensão do ponto de vista epistemológico e prático para essa finalidade, suscitando a problematização, o levantamento de hipóteses, a relação teoria e prática, dentre outros fatores, principalmente aspectos relacionados à constituição da profissionalidade do professor ao longo da carreira e à abertura do espaço para o desenvolvimento de uma cultura científica no contexto escolar.
  • ItemTese de doutorado
    Relações entre Clima escolar e nível de adesão de valores morais: um estudo com professores dos anos iniciais do ensino fundamental
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-12-06) Fernandes, Elen Daiane Quartaroli; Martins, Raul Aragão [UNESP]
    Esta pesquisa surgiu a partir da necessidade de conhecer melhor sobre o nível de adesão de valores morais de um grupo de professores e em como isso influencia a convivência no ambiente escolar. Para isso, buscamos identificar as percepções deles sobre o clima escolar, a fim de relacioná-las com a adesão aos valores. O objetivo principal desse estudo consistiu em estabelecer relações entre clima escolar e o nível de adesão aos valores morais em professores dos anos iniciais do Ensino Fundamental, partindo da percepção que eles têm da escola em que atuam e de como aderem aos valores justiça, respeito, solidariedade e convivência democrática. O caminho metodológico, seguiu a partir da oferta de uma formação profissional breve, que consistiu em três etapas: 1) apresentação da pesquisa com a explanação de conceitos sobre clima escolar e valores morais e disponibilização do questionário online, relacionado ao tema; 2) apresentação dos dados da pesquisa, retornados através das respostas ao questionário; e 3) que consistiu em dois encontros, sendo o primeiro com discussões sobre Clima escolar e o segundo, sobre valores morais. A pesquisa caracterizou-se como exploratória com enfoque quantitativo e qualitativo. Participaram do curso 208 profissionais da educação e destes,102 responderam ao questionário online. A partir da análise dos resultados, constatou-se que nas três dimensões do Clima escolar avaliadas (2, 3 e 7) o clima se mostrou predominantemente intermediário. Quanto aos valores morais foi possível avaliar sobre a adesão da justiça, da solidariedade e da convivência democrática. Constatou- se que os professores se dividiram em três grupos com porcentagens similares, indicando adesão baixa, intermediária e alta aos valores. O fato de um terço dos dcoentes apresentarem baixa adesão aos valores morais é um fator preocupante, já que influencia diretamente na prática docente e no desenvolvimento da autonomia moral. Ao cruzarmos os dados entre Clima escolar e valores, constatou-se a relação de que os profissionais que consideram o clima positivo, possuem uma adesão maior aos valores morais e aqueles que consideram o clima negativo, possuem uma adesão menor. Concluiu-se que os educadores precisam conhecer mais sobre aspectos referentes a teoria da moralidade para promoverem a boa convivência do ambiente escolar. Evidenciou-se a necessidade de haver cada vez mais pesquisas que proponham vivências para formação docente, que provoquem reflexões, inovações e transformações para uma educação em valores efetiva.
  • ItemTese de doutorado
    Pelo direito às experiências estéticas na escola: o lugar da poesia na formação humanizadora de crianças
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-11-22) Tortorelli, Cleunice Terezinha da Silva Ribeiro; Girotto, Cyntia Graziella Guizelim Simões [UNESP]
    É indubitável a relevância da poesia na formação do ser humano e, em especial, da criança leitora. A literatura é um direito inalienável, mas raramente a poesia frequenta a escola da infância ou quando está presente é apenas em ocasiões especiais ou no livro didático. Por vezes, possui caráter utilitário, didático e autoritário com fins de estudos da estrutura do poema ou como pretexto para a abordagem de alguma temática. Diante dessa arena, ao pensar no grande palco da leitura como ato de liberdade e de troca social na contramão da uniformidade do ser é que foi considerado o problema desta pesquisa. Portanto, a pesquisa corporificada nesta tese de doutorado teve como seres da pesquisa as crianças (com 9 e 10 anos de idade) de duas turmas de 4.º ano do Ensino Fundamental - Anos Iniciais de uma escola municipal de Marília-SP, e, ainda, as duas professoras dessas turmas que atuaram como cocriadoras. A minha tese é a defesa da presença constante da poesia como direito na escola da infância pelas experiências estéticas tendo como objeto de estudo o trabalho com poemas na escola, a fim de compreender o lugar da poesia na formação de crianças. Assim, os estudos foram respaldados pelos encontros dialogados e pelas trocas verbais no Grupo de Pesquisa Processos de Leitura e Escrita: Apropriação e Objetivação (PROLEAO) e Centro de Estudos e Pesquisas em Leitura, Literatura e Infância (CEPLLI), ambos integrantes da linha de pesquisa Teoria e Práticas Pedagógicas do Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) da Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC) da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Marília. A hipótese é abordar a relevância da experiência estética com a Literatura, em especial da poesia como como constituidora do humano e do que é sensível como o sentimento cada leitor. O objetivo é compreender de que forma a poesia chega a esse pequeno leitor literário, via filosofia da linguagem, como superdestinatário na dialogia da vida. Para alcançar esse objetivo, a metodologia abarcou a abordagem qualitativa, a não mensurada, aquela ciência outra que pauta na heterociência, uma linha teórica voltada para os estudos da Filosofia da Linguagem com as contribuições dos filósofos russos Volóchinov, Bakhtin, Medviédev, que atuaram no início do século XX, e outros estudiosos contemporâneos como Arena, Miotello, Ponzio, Geraldi, Girotto, Mello, entre outros, que apresentam discussões relacionadas ao signo como arena de luta, alteridade, dialogismo, o eu singular, o Outro, estética do cotidiano, responsividade, refração, amorosidade, etc. E, também, de autores com reflexões sobre a leitura e a Literatura como Arena, Maria Teresa Andruetto, Antonio Candido, Jakubinskij, Bajard, Jolibert, Chartier e vários outros. Para o cotejo da temática e o efetivo estudo, as ações metodológicas perpassaram pela Revisão de Literatura, Pesquisa de campo em uma escola municipal de Marília-SP, Encontros Dialogados com as professoras da Escola-arena e a leitura performática de poesias, o que possibilitou a questão da ambivalência durante o cotejo de enunciados orais produzidos pelas crianças e professoras e signos visuais pelos livros lidos. Essas ações puderam ampliar a compreensão sobre o lugar da poesia na escola. Os dados foram organizados de forma a refletir sobre os seguintes núcleos temáticos: Luzes pedagógicas ao professor; Capacidade da criança de “viver poeticamente o conhecimento e o mundo”, A leitura de poesia como “primeira visão direta das coisas”; A promoção de uma formação contínua de aprendizado, preservando na criança e no seu professor “o fundo mágico, lúdico, intuitivo e criativo; Relação de troca e amorosidade entre pesquisados e pesquisador; Diálogo sobre as atividades experimentadas pelas leituras e performances. Ao que tudo indica, o resultado pautado nos estudos da experiência literária e estética apresenta condição essencial para dar lugar à poesia na formação leitora das crianças. As possibilidades de contribuição da poesia para a vivência da experiência estética, levando em consideração o movimento de aula, além de levar as professoras cocriadoras ao ato responsável e responsivo como impulso à humanização das crianças.
  • ItemTese de doutorado
    Da terra indígena Araribá para além da sala de aula: por um “onhombo’e rapé” e uma escutatória-dialogal na formação e na prática docente
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-12-06) Nascimento, Sueli do; Carvalho, Alonso Bezerra de [UNESP]
    A escuta e o diálogo em sala de aula tornam-se cada vez mais indispensáveis no processo de ensino e aprendizagem, e na prática docente. Na atualidade, considera-se um grande desafio educacional para o professor instigar transformações, incluindo atrair a atenção de crianças e jovens e, ainda, torná-los sujeitos ativos na construção do conhecimento. Acredita-se, portanto, na criação de um “Onhombo’e Rapé”, que significa, em guarani nhandewa, ‘caminho do aprendiz’, ao qual se chama de escutatória-dialogal, que são a escuta e o diálogo na convivência com a diversidade, no reconhecimento cultural e étnico e, assim, na luta contra a invisibilidade, o domínio e a exclusão. Também se acredita que o “Onhombo’e Rapé”, por sua vez, provoque os Nhanimboatyá Nhanderu rekó-re - os círculos de saberes ancestrais -, a partir do pressuposto de um bem viver em acordo com a cosmovisão indígena. Em seu meio e segundo essa sua cosmovisão, a Terra é mais do que simplesmente o lugar em que se vive. Parte dela uma relação, sagrada, que faz germinar plantas e as acolhe, assim como acolhe animais e a infinidade de seres vivos, além dos humanos. Assim sendo, a Terra está na base do bem viver. Disso é que derivou o objetivo principal da pesquisa, que foi o de criar a “Onhombo’e Rapé” – a escutatória-dialogal -, utilizando-a metodologicamente com o público-alvo - professores da educação básica; do ensino superior; e da escola indígena da Terra Indígena Araribá. Para pensar em bem viver, é necessário beber da fonte ancestral, da riqueza cultural e da sabedoria milenar dos povos originários. A conversa com os participantes da pesquisa adotou essa perspectiva em seus objetivos específicos, para estabelecer o que entendiam por bem viver e o que seria necessário, nesse contexto, para se ter uma educação voltada a tal bem viver, ou para ele convergente. Durante o processo também se discutiu como esses docentes concebem seus saberes profissionais, assim como qual o peso e o lugar dos componentes disciplinares, com vistas a uma reflexão decolonial, correlacionando, em especial, interculturalidade e currículo. Para tanto, adotou-se na pesquisa uma abordagem qualitativa e, como procedimento metodológico, a pesquisa-participante. Desta maneira, para a coleta de dados foram utilizados como instrumentos a observação participante e o diário de campo. No decorrer da pesquisa, foram essenciais os pensadores latino-americanos e indígenas para dialogar em conjunto com a fala dos participantes sobre formação, saberes ancestrais e currículo. A escutatória-dialogal reverberou na atual condição do trabalho docente, que sofre restrições no acesso a recursos de ordem econômica e cultural e ao poder presente na Educação – esta, enquanto parte da esfera pública e regulada pelo Estado. Os resultados obtidos - pensar a educação a partir da experiência do ser real e de reflorestar o imaginário num caminho guiado por uma consciência ancestral – estimulam a aplicabilidade do “Onhombo’e Rapé” e acentuam a importância metodológica da escutatória-dialogal em sala de aula. Nesse processo, sugere-se que professores e alunos estejam juntos num Onhombo’e Rapé e na ação-reflexão-ação do conhecimento, para que, assim, tanto a prática quanto a formação docente reconheçam o sujeito como protagonista numa dimensão decolonial a partir dos quatro princípios andinos dos povos Quechua e Aymara, que concebem o Bem Viver, ou Viver em Plenitude, como relacionalidade, complementaridade, reciprocidade e integralidade, relações essas brotadas da escutatória-dialogal ao longo da caminhada.
  • ItemTese de doutorado
    Estudo comparativo do regulamento de avaliação das instituições de ensino superior de Angola e do Brasil
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-08-31) Chiquemba, Henrique Adelino; Brandão, Carlos da Fonseca [UNESP]
    A tese em destaque teve como objetivo identificar o Regulamento de Avaliação das Instituições de Ensino Superior de Angola e do Brasil, assim como apresentar as instituições que se dedicam às avaliações, a partir de procedimento bibliográfico e documental. Pretendeu-se, ainda, estabelecer uma comparação entre os mesmos regulamentos usando como referência a metodologia comparada, proposta pelo George Z. F. Bereday. A avaliação desempenha um papel muito importante em qualquer instituição, portanto, quando diz respeito ao Ensino Superior, é necessário que seja colocada em evidência a qualidade das Instituições de Ensino Superior, bem como o desempenho e o aproveitamento dos estudantes. Com isso, reflete-se sobre a Avaliação no Ensino Superior. Para essa tese, com maior relevância, centrou-se a análise nos tipos de avaliação, nas suas etapas, nos princípios, nas dimensões, nos eixos, nos indicadores nas instituições envolvidas e no papel de cada ator no processo de avaliação, assim como estabeleceu-se uma análise separada e, depois comparada entre os dois regulamentos de avaliação das Instituições de Ensino Superior dos dois países em destaque: Angola e Brasil, como também verificou-se e apresentou-se as semelhanças e diferenças, com base na metodologia comparada proposta por Bereday. Apresentamos, também, no desenvolvimento desta pesquisa, as informações relacionadas aos aspectos geográficos, demográficos, históricos e econômicos de Angola e do Brasil. Concluiu-se que entre o Regulamente de Avaliação das Instituições de Ensino Superior de Angola e do Brasil existe algumas semelhanças e algumas diferenças nos termos normativos e procedimentais.
  • ItemTese de doutorado
    Revolução dentro da ordem e contra a ordem: o pensamento educacional de Florestan Fernandes (1959-1994)
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-11-06) Okumura, Julio Hideyshi; Novaes, Henrique Tahan [UNESP]
    A presente pesquisa visou analisar quais foram os marcos do desenvolvimento do pensamento educacional em Florestan Fernandes entre os anos de 1959 a 1994. A pesquisa é de natureza teórica e baseou-se em todos os livros e artigos escritos pelo autor dentro da temática educacional no período delimitado, além de seus intérpretes. Como procedimentos técnicos metodológicos, aplicou-se a pesquisa bibliográfica e documental. Os eixos elencados para a análise da obra educacional do autor foram: a) o trabalho do professor em uma sociedade subdesenvolvida, b) a escola pública e os dilemas históricos brasileiros e c) a relação entre escola e formação da democracia. Entre os anos de 1959 a 1994, Florestan Fernandes militou em defesa da escola pública, de modo revolucionário tanto dentro da ordem (nas décadas de 1950 e 1960 focando na construção da democracia) quanto dentro e contra a ordem política e econômica vigente (nas décadas de 1980 e 1990 com propostas socialistas), em marcos importantes da história dos embates político-educacionais no Brasil, a saber: na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) promulgada em 1961; nos debates a respeito da Reforma Universitária de 1968 (LEI Nº 5.540 de 1968); como deputado federal constituinte pelo Partido dos Trabalhadores (PT) nos anos de 1987-1988; e nos debates que precederam a nova LBD de 1996. A pesquisa revelou que há uma consistência teórica e de luta política em sua militância pela escola pública brasileira presentes nesses marcos: a defesa da escola pública, gratuita, de qualidade, laica e para todos como princípios para o formação e concretização da democracia no Brasil; a importância do trabalho do professor qualificado pelos saberes científicos e pelos valores democráticos; a importância da democratização da educação para possibilitar o acesso e a permanência da classe trabalhadora; a organização das escolas como instituições que visam formar para a democracia; a importância da representatividade da comunidade escolar nos colegiados em todas instâncias deliberativas; um ensino voltado às necessidades e interesses da classe trabalhadora; esses pensamentos/proposições são compreendidos como ações de revolução dentro da ordem. Há também em seus textos, a partir da década de 1980, outros pontos importantes apontados na análise do seu pensamento educacional: a importância da formação política da classe trabalhadora e do professor; a utilização da escola pública como espaço de formação da autoconsciência e autoemancipação da classe trabalhadora; e a necessidade da organização da luta dos educadores por meio dos movimentos sociais, sindicatos e partidos políticos; esses pensamento/proposições estão relacionados às ações de revolução contra a ordem. Porém, ambas devem acontecer concomitantemente para que haja a possibilidade da conquista da democracia e do socialismo.
  • ItemTese de doutorado
    Lugar e papel da afetividade na formação inicial de professores no Brasil e na França: análise das representações dos formadores e de suas práticas pedagógicas
    (Universidade Estadual Paulista (Unesp), 2023-08-29) Francelino, Ricardo; Carvalho, Alonso Bezerra de; Acioly-Régnier, Nadja Maria; Université Lumière Lyon 2
    O presente trabalho está inserido no campo de pesquisa “cultura, cognição e afetividade” e teve como objetivo central investigar o lugar e o papel da afetividade nos cursos de formação inicial de professores, no Brasil e na França. Os aspectos contextuais nos remeteram ao crescimento da manifestação de determinados fenômenos na sala de aula como: dificuldades de mediação dos processos de ensino e de aprendizagem, violência entre alunos, bullying, assédio e violência contra professores, o que nos levou a repensar a importância atribuída à afetividade na formação inicial de professores. Partimos da hipótese de que conhecimentos e competências afetivas são pouco valorizados na formação de professores no que diz respeito aos conteúdos e competências profissionais. Para investigar nossa hipótese inicial, buscamos entender como a afetividade é compreendida e trabalhada pelos docentes formadores, atores centrais do processo formativo. Quanto aos procedimentos teórico-metodológicos, nos pautamos nas contribuições teóricas de Wallon (1968), Vygotsky (1998) e Damásio (2012) sobre o campo afetivo e as contribuições de Freire (1997) para a formação de professores. Nosso quadro metodológico se pautou na cross-fertilization (Leong et al. 2010) apoiados na junção de métodos quali-quantitativos de construção, tratamento e análise de dados. Os dados foram construídos em uma amostragem 9 professores dos INSPÉs (Institut National Supérieur du Professorat et de l’Éducation), das academias de Lyon, Marseille e Paris e, 9 professores dos campus da UNESP, das cidades de Marília, Bauru, Presidente Prudente e São José do Rio Preto. Para alcançar nossos objetivos realizamos a construção dos dados em três níveis: no nível macro, analisamos os repositórios institucionais e diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores. No nível meso analisamos os projetos pedagógicos e os conteúdos ministrados nas disciplinas Psicologia da Educação (desenvolvimento e da aprendizagem) no Brasil e nas unidades de ensino ligadas à psicologia na França. Coletamos informações por meio de questionário eletrônico via LimeSurvey, com o objetivo de construir dados mais amplos sobre as representações dos formadores sobre a presença e a importância da questão afetiva. Foi também enviado a 132 professores em formação (estudantes) um questionário via GoogleForms®, com o objetivo de compreender se a afetividade foi tema de trabalho durante a formação. A nível micro, realizamos entrevistas com os formadores e observações das aulas. Os dados foram tratados com os programas SPAD 9.2, para os dados textuais de base lexicométrica, e pelo programa CHIC 7, com base no quadro da análise estatística implicativa (ASI). Os resultados apontaram para a presença modesta dos componentes do campo afetivo nas leis, planos de ensino, unidades de ensino e maquetes de formação. Os docentes formadores, em sua maioria, apresentaram nos discursos a consciência da importância da afetividade para a formação docente, contudo reconhecem também que tais competências são secundarizadas na formação inicial em consequência da pouca carga horária e estrutura dos currículos atuais. Não foi possível perceber nas observações uma postura consciente ligada aos micro gestos de expressão profissional que favorecessem o desenvolvimento de competências afetivas. Os estudantes em formação de igual modo não se sentem preparados, do ponto de vista de competências afetivas, para desempenhar suas funções profissionais. Os dados mostraram que das poucas vezes que o tema da afetividade aparece na formação inicial, não especificam modos de ação, conhecimentos a serem construídos ou competências ligadas diretamente à afetividade a serem desenvolvidas pelos futuros profissionais. Em suma, o lugar e o papel da afetividade na formação inicial de professores precisam ser repensados.