Show simple item record

dc.contributor.advisorNunes, José Horta [UNESP]
dc.contributor.authorGarcia, Dantielli Assumpção [UNESP]
dc.date.accessioned2014-06-11T19:30:28Z
dc.date.available2014-06-11T19:30:28Z
dc.date.issued2011-10-18
dc.identifier.citationGARCIA, Dantielli Assumpção. A revista do IHGB e o saber linguístico: um gesto de documentação. 2011. 300 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, 2011.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/100112
dc.description.abstractNossa tese de doutorado consiste em analisar como o saber linguístico se constituiu no discurso da Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (RIHGB) no século XIX (1838-1889). Objetivamos analisar que formas de saberes linguísticos foram coletadas/metodizadas/divulgadas na RIHGB. A tese segue quatro direções: (i) Um discurso de abertura: o IHGB, (ii) O saber linguístico na RIHGB, (iii) Os instrumentos linguísticos e (iv) A RIHGB n° 400 (1998). Em (i), analisamos os discursos de abertura do IHGB que aparecem no primeiro tomo da RIHGB (1839), o modo como esses discursos se formulam e constituem um dizer do/sobre o IHGB no Brasil do século XIX. Em (ii), evidenciamos como o saber linguístico aparece na Revista do IHGB, que concepções linguísticas circulam nas RIHGB, como a RIHGB conceitua língua e como esse conceito aparece nas Revistas. Que teorias são consideradas para a produção desse saber linguístico? Quais são os autores que escrevem na Revista? Que obras são documentadas? Em (iii), observamos o modo como os instrumentos linguísticos (principalmente os dicionários) são coletados e divulgados nas RIHGB. Nessa direção, analisamos como um verbete se constitui. Para isso analisamos os prefácios, a nomenclatura, a definição, os exemplos, a etimologia que são apresentados nesses instrumentos linguísticos. Por fim, nessa direção, compreendemos como uma Revista, aqui especificamente a RIHGB, participou do processo de gramatização no Brasil do século XIX. Em (iv), analisamos como a RIHGB n° 400 funciona como um índice, isto é, analisamos como um índice sistematiza, ordena, data e seleciona os saberes sobre as línguas do Brasil desde a primeira publicação da Revista (1839) até 1998. Nossa perspectiva teórica é a da Análise de Discurso em articulação com a História das Ideias Linguísticaspt
dc.description.abstractOur doctoral thesis analyzes how the linguistic knowledge was constituted in the discourse of Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (RIHGB) in the 19th century (1838-1889). We aim at examining which forms of linguistic knowledge were collected/methodized/disclosed in RIHGB. The thesis follows four directions: (i) Um discurso de abertura: o IHGB, (ii) O saber linguístico na RIHGB, (iii) Os instrumentos linguísticos and (iv) A RIHGB n° 400 (1998). In (i), we analyze the opening speeches of the IHGB that appear in the first volume of RIHGB (1839), how these discourses are formulated and constitute a saying of/about the IHGB in nineteenth-century Brazil. In (ii), we highlight how the linguistic knowledge appears in the IHGB magazine, which linguistic conceptions circulate in RIHGB, how the RIHGB conceptualizes language and in which way this conception appears in the magazines. Which theories are considered in order to produce such linguistic knowledge? Who are the authors who write for such magazines? Which works are documented? In (iii) we observe how the linguistic tools (especially dictionaries) are collected and divulged in RIHGB. In this direction, we analyze how an entry is composed. In order to do that, we examine the prefaces, the nomenclature, the definition, the examples, and the etymology presented in such language tools. Eventually, in this direction, we comprehend how a magazine, here specifically RIHGB, took part in the process of grammaticization in nineteenth-century Brazil. In (iv), we analyze how RIHGB n° 400 serves as an index, i.e. we study how an index systematizes, orders, dates and selects the knowledge about the languages in Brazil since the first publication of the magize (1839) until 1998. The theoretical perspective which supports our work is the Discourse Analysis in conjunction with the History of Linguistic Ideasen
dc.format.extent300 f. : il.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectLinguistica historicapt
dc.subjectAnálise do discursopt
dc.subjectLinguística - Documentaçãopt
dc.subjectLinguistic knowledgeen
dc.titleA revista do IHGB e o saber linguístico: um gesto de documentaçãopt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramEstudos Linguísticos - IBILCEpt
unesp.knowledgeAreaAnálise linguísticapt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências Letras e Ciências Exatas, São José do Rio Pretopt
dc.identifier.aleph000680351
dc.identifier.file000680351_20211018.pdf
dc.identifier.capes33004153069P5
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record