Show simple item record

dc.contributor.advisorSilva, Osvaldo Aulino da [UNESP]
dc.contributor.advisorCasagrande, José Carlos [UNESP]
dc.contributor.authorMoreira, Paulo Roberto [UNESP]
dc.date.accessioned2014-06-11T19:30:58Z
dc.date.available2014-06-11T19:30:58Z
dc.date.issued2005-04-28
dc.identifier.citationMOREIRA, Paulo Roberto. Manejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, Poços de Caldas, MG. 2004. xv, 139 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2004.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/100645
dc.description.abstractNa maioria das vezes, os solos das áreas degradadas apresentam níveis baixos de nutrientes e com características físico-químicas diferenciadas, quando comparadas ao solo original. Portanto, o êxito inicial na recuperação de um ecossistema degradado depende das práticas de manejo a serem efetuadas no sítio e de espécies da flora regional, dando início desta forma, ao restabelecimento dos processos ecológicos. Este estudo compreende uma avaliação das intervenções técnicas de manejo na melhora das propriedades físico-químicas do solo e crescimento da vegetação em área minerada de bauxita, sendo desenvolvido entre os meses de abril/00 a set/04. O projeto de pesquisa foi desenvolvido em área de extração de bauxita, localizada na Cia Geral de Minas, empresa do Grupo Alcoa, no planalto de Poços de Caldas (Minas de Campo: Morro das árvores). Os objetivos do trabalho foram verificar o efeito da subsolagem, da adição da camada superficial do solo topsoil, da correção da fertilidade do solo e da adubação verde na recuperação de área degradada, avaliada a partir da performance do crescimento e desenvolvimento de espécies arbóreas da flora regional implantada, decorrente da sua interação com as intervenções de manejo. O solo é uma associação de Cambissolos/Neossolos. Posteriormente à instalação do experimento, foi semeado a lanço um coquetel de propágulos de adubo verde de inverno e imcorporado no solo 126 dias depois do plantio. Foi utilizado delineamento experimental de blocos ao acaso com parcelas subdivididas: as parcelas (A) receberam os tratamentos primários (com e sem subsolagem) e as subparcelas (B) os tratamentos secundários, que se constituiu em: T com calagem, sem fertilização, com semeadura direta, mais adição de serapilheira (28Kg); F fertilização mineral e calagem com posterior plantio das 18 espécies arbóreas nativas...pt
dc.description.sponsorshipFundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
dc.format.extentxv, 139 f. : il., tabs., fots.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectEcologiapt
dc.subjectFertilidade do solopt
dc.subjectAdubação verdept
dc.subjectPráticas de manejopt
dc.subjectEspécies arbóreaspt
dc.subjectFertilization Greenen
dc.titleManejo do solo e recomposição da vegetação com vistas a recuperação de áreas degradadas pela extração de bauxita, Poços de Caldas, MGpt
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramCiências Biológicas (Biologia Vegetal) - IBRCpt
unesp.knowledgeAreaBiologia vegetalpt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências, Rio Claropt
dc.identifier.aleph000285408
dc.identifier.filemoreira_pr_dr_rcla.pdf
dc.identifier.capes33004137005P6
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record