Show simple item record

dc.contributor.authorPoker, José Geraldo Alberto Bertoncini [UNESP]
dc.date.accessioned2014-05-20T13:31:50Z
dc.date.available2014-05-20T13:31:50Z
dc.date.issued2013-01-01
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0101-31732013000400014
dc.identifier.citationTrans/Form/Ação. Universidade Estadual Paulista, Departamento de Filosofia , v. 36, n. spe, p. 221-244, 2013.
dc.identifier.issn0101-3173
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/10834
dc.description.abstractPartindo do pressuposto de que a teoria social elaborada por Habermas em muito se assemelha àquela construída por M. Weber, procedeu-se a um estudo comparativo com a intenção de identificar as formas pelas quais Weber e Habermas elaboraram o conceito de compreensão, ao mesmo tempo em que e o elegeram, cada um a seu modo, como instrumento metodológico adequado às dificuldades da produção de conhecimento científico nas Ciências Sociais. Tanto para Weber, como para Habermas, o conhecimento nas Ciências Sociais não consegue escapar das influências diretas da subjetividade do cientista, como também não é capaz de se proteger das contingências histórico-culturais aos quais inevitavelmente toda ação humana está vinculada. Por isso, fundamentados em suas próprias razões, tanto Weber quanto Habermas apontam a compreensão como a forma possível de conhecimento, o que implica a renúncia às pretensões explicativas e à produção de teorias gerais de fundamentação última, que são típicas das ciências convencionais.pt
dc.description.abstractAssuming that the social theory developed by Habermas is very similar to that constructed by M. Weber, this article performs a comparative study with the intention of identifying the ways in which Weber and Habermas built the concept of understanding. Both authors chose this concept, each in his own way, as a methodological tool appropriate to the difficulties of the production of scientific knowledge in the social sciences. As much for Weber as for Habermas, knowledge in the social sciences cannot escape the direct influences of the subjectivity of the scientist, as it also cannot protect itself from the historical and cultural contingencies to which every human action is inevitably linked. Therefore, based on their own reasons, both Weber and Habermas point to understanding as the possible form of knowledge, which implies the renunciation of the explanatory pretensions and general theories of ultimate foundations typical of the conventional sciences.en
dc.format.extent221-244
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Departamento de Filosofia
dc.relation.ispartofTrans/Form/Ação
dc.sourceSciELO
dc.subjectCompreensãopt
dc.subjectExplicaçãopt
dc.subjectCiências Sociaispt
dc.subjectHabermaspt
dc.subjectWeberpt
dc.subjectUnderstandingen
dc.subjectExplanationen
dc.subjectSocial Sciencesen
dc.subjectHabermasen
dc.subjectWeberen
dc.titleOs sentidos de compreensão nas teorias de Weber e Habermaspt
dc.title.alternativeThe meanings of understanding in the theories of Weber and Habermasen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.description.affiliationUNESP FFC Departamento de Sociologia e Antropologia
dc.description.affiliationUnespUNESP FFC Departamento de Sociologia e Antropologia
dc.identifier.doi10.1590/S0101-31732013000400014
dc.identifier.scieloS0101-31732013000400014
dc.identifier.wosWOS:000320063300014
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Filosofia e Ciências, Maríliapt
dc.identifier.fileS0101-31732013000400014.pdf
dc.relation.ispartofsjr0,100
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record