Show simple item record

dc.contributor.advisorKokubun, Eduardo [UNESP]
dc.contributor.advisorNakamura, Priscila Missaki [UNESP]
dc.contributor.authorLemos, Natalia de [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-23T15:20:40Z
dc.date.available2015-03-23T15:20:40Z
dc.date.issued2009
dc.identifier.citationLEMOS, Natalia de. Prevalência e fatores associados à inatividade física em escolares do ensino médio das escolas do município de Rio Claro - SP. 2009. 67 f. Trabalho de conclusão de curso (licenciatura - Educação Física) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2009.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/119613
dc.description.abstractCerca de um terço do total de doenças em adultos estão associadas a condições ou comportamentos que começaram na juventude. No Brasil, a porcentagem de Inatividade Física (IF) nos adolescentes varia entre 29% a 94%, que é um dado alarmante, pois esses adolescentes provavelmente serão adultos inativos fisicamente e com um risco maior de adquirirem uma doença de agravo não transmissível. Desse modo, o objetivo do estudo foi verificar a prevalência e os fatores associados à IF em escolares do Ensino Médio do município de Rio Claro- SP. Estudo do tipo transversal, de base populacional, realizado no primeiro semestre letivo de 2009 contou com a participação de 467 alunos (213 homens e 254 mulheres) das escolas particulares e estaduais do Ensino Médio do município de Rio Claro-SP. Para avaliar o de nível de Atividade Física (AF) dos adolescentes foi utilizado o Physical Activity Questionnarie-Children (PAQ-C). Foi aferido a circunferência de abdômen e calculado o Índice de Massa Corpórea (IMC). Os pais responderam um questionário para avaliar o nível de AF através do International Physical Activity Questionnarie (IPAQ) e o nível socioeconômico. Para verificar a associação entre as variáveis (sexo, nível socioeconômico, IMC e circunferência de abdômen) com o nível de AF dos adolescentes foi realizado a Regressão Logística e para verificar a associação entre o nível de AF dos adolescentes e dos pais foi realizado o Teste Qui-Quadrado. A prevalência de IF dos adolescentes foi de aproximadamente 83% e, dentre as variáveis analisadas, apenas sexo mostrou-se significante (p=0,00), sendo o sexo feminino com maior chance de IF.pt
dc.format.extent67 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.sourceAleph
dc.subjectMedicina esportivapt
dc.subjectAdolescentespt
dc.subjectEpidemiologiapt
dc.subjectSaudept
dc.subjectInatividade físicapt
dc.titlePrevalência e fatores associados à inatividade física em escolares do ensino médio das escolas do município de Rio Claro - SPpt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
dc.identifier.aleph000607053
dc.identifier.filelemos_n_tcc_rcla.pdf
dc.identifier.lattes3650843918755682
unesp.undergraduateEducação Física - IBRCpt
dc.identifier.orcid0000-0002-9404-3444
unesp.author.lattes3650843918755682
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record