Show simple item record

dc.contributor.advisorPeraçoli, Maria Terezinha Serrão [UNESP]
dc.contributor.authorMatsumoto, Larissa Emi [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-23T15:22:25Z
dc.date.available2015-03-23T15:22:25Z
dc.date.issued2008
dc.identifier.citationMATSUMOTO, Larissa Emi. Efeito da opsonização de células leveduriformes de Paracoccidioides brasiliensis com soro humano sobre a atividade fungicida de monócitos. 2008. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Biológicas) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu, 2008.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/119902
dc.description.abstractMonócitos e macrófagos são células da imunidade inata que desempenham importante papel na defesa contra infecções fúngicas, através do reconhecimento dos fungos, ativação e desenvolvimento de atividade fungicida. A função das células fagocitárias depende do seu estado de ativação, induzido principalmente pelo ambiente de citocinas, presentes durante a interação com o microrganismo. O presente projeto teve por objetivo avaliar o efeito da opsonização de células leveduriformes de Paracoccidioides brasiliensis com soro humano sobre a produção de peróxido de hidrogênio (H2O2) e atividade fungicida de monócitos humanos, estimulados ou não com Interferon-gama (IFN-γ), contra P. brasiliensis. Monócitos de sangue periférico, obtidos de indivíduos saudáveis, foram cultivados na ausência ou presença de IFN-γ por 24h a 37oC. A seguir, essas células foram desafiadas com a amostra Pb18 de P. brasiliensis por 60 min para determinação da produção de H2O2 e por 4h para a avaliação da atividade fungicida nas proporções fungomonócito de 1:50. A suspensão fúngica foi previamente incubada por 30 min a 37oC na ausência de soro (SS) ou na presença de pool de soro humano normal, inativado (SI) por aquecimento a 56oC ou soro humano fresco (SF) não submetido à inativação do sistema complemento, nas concentrações de 5%, 10%, 20% e 30% em meio de cultura RPMI. A atividade fungicida de monócitos contra a amostra Pb18 foi avaliada por plaqueamento dessas co-culturas em meio de cultivo BHIágar e determinação da recuperação de fungos viáveis após 14 dias de incubação a 36oC. A produção de H2O2 por monócitos foi determinada através da técnica de redução do vermelho de fenol. Os resultados mostraram que a adição de SF ou SI em diferentes concentrações a culturas de P. brasiliensis não interfere com a viabilidade... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectFungos - Biologiapt
dc.subjectParacoccidioides brasiliensispt
dc.subjectImunologiapt
dc.titleEfeito da opsonização de células leveduriformes de Paracoccidioides brasiliensis com soro humano sobre a atividade fungicida de monócitospt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências, Botucatupt
dc.identifier.aleph000611560
dc.identifier.filematsumoto_le_tcc_bot.pdf
dc.identifier.lattes6486557387397806
unesp.undergraduateCiências Biológicas - IBBpt
unesp.advisor.lattes6486557387397806
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record