Show simple item record

dc.contributor.advisorAguiar, Carmen Maria [UNESP]
dc.contributor.authorMelo, André Luis [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-23T15:22:42Z
dc.date.available2015-03-23T15:22:42Z
dc.date.issued2009
dc.identifier.citationMELO, André Luis. Arte-educação e identidade cultural: um devir criança e o Cacuriá. 2009. 51 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Educação Física) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2009.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/119941
dc.description.abstractEste estudo procura problematizar as compreensões e explicações à cerca da “(re)construção da identidade cultural”. Questionamos se o termo crise é apropriado para refletir sobre identidades já que elas jamais foram fixas e, assim, não podem entrar em crise. As diferentes crises que afetam o sujeito contemporâneo – econômicas, políticas, sociais, ambientais e culturais – insere em nós feixes de mal-estares, nos inquietando. E, diante de um processo de criação cultural, em permanente construção e transformação, em seu exercício direto e indireto na produção dos sujeitos e na valoração e interpretação dos significados das culturas populares, somos forçados a procurar novos caminhos e identificações da própria existência na constituição do sujeito. Neste caos existencial contemporâneo é possível observar a dificuldade de sustentar “identidades culturais”, justamente pelas características das transformações culturais dinâmicas, presente na sociedade globalizada. Tais mudanças provocam confusões no sujeito, principalmente quando este se questiona sobre sua “identidade cultural”. São muitos abalos internos e socioculturais, as denominadas “crises de identidade”. O fluxo rápido de informações e a facilidade de troca de experiências disponíveis nos dias de hoje trazem à tona a falta de referência, que desestabiliza e fragmenta a idéia de identidade do próprio indivíduo. As crenças que envolvem questões de sentido cultural estão sofrendo abalos pela velocidade das transformações que sofre o homem contemporâneo. Desta forma, as expressões livres, diversas e criativas, estão a caminho da homogeneização, sendo assim, aparenta ser impossível para alguma “identidade” resistir intacta ao massacre da cultura de massa globalizada, tida pelas políticas de subjetivação e pelas forças da indústria cultural. Neste exercício... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.format.extent51 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectCulturapt
dc.subjectCultura popularpt
dc.subjectSubjetividadept
dc.subjectIndustria culturalpt
dc.subjectGlobalizaçãopt
dc.subjectDanças popularespt
dc.titleArte-educação e identidade cultural: um devir criança e o Cacuriápt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências, Rio Claropt
dc.identifier.aleph000607559
dc.identifier.filemelo_al_tcc_rcla.pdf
dc.identifier.lattes9054423139563231
unesp.undergraduateEducação Física - IBRCpt
unesp.author.lattes9054423139563231
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record