Show simple item record

dc.contributor.advisorGreco, Camila Coelho [UNESP]
dc.contributor.authorMoreira, Natalia Camargo [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-23T15:23:41Z
dc.date.available2015-03-23T15:23:41Z
dc.date.issued2012
dc.identifier.citationMOREIRA, Natalia Camargo. Reprodutibilidade do pico de torque do músculo tríceps braquial em nadadores treinados. 2012. 20 f. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Educação Física) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Instituto de Biociências de Rio Claro, 2012.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/120077
dc.description.abstractA natação é um esporte praticado em meio líquido o que a torna muito dependente da técnica do nadador, pelo fato de apresentar maior resistência quando comparado com o meio terrestre. A força muscular, composição corporal e a técnica do nado são alguns fatores determinantes para a melhora do desempenho esportivo do atleta. Sendo assim, a capacidade de gerar força propulsiva e minimizar a resistência ao meio líquido são altamente influenciadoras do desempenho nesta modalidade. Um dos principais músculos utilizados na propulsão da braçada do nado crawl é o tríceps braquial o qual é responsável pela extensão do cotovelo. O nível de força dos membros dominante e não dominante também pode influenciar no desequilíbrio muscular dos nadadores e consequentemente na propulsão do atleta. Sendo assim, o objetivo deste estudo foi analisar a reprodutibilidade de pico de torque (PT) durante as contrações isométrica e isocinética concêntrica em diferentes velocidades do músculo tríceps braquial nos membros dominante e não dominante em nadadores. Participaram do estudo nadadores velocistas e meio fundistas do gênero masculino, com idade entre 18 e 28 anos, com experiência no mínimo de 3 anos na modalidade. Os voluntários foram solicitados a comparecer no laboratório em 3 ocasiões em dias diferentes. Primeiramente para obter as medidas antropométricas (massa, estatura, envergadura e dobras cutâneas) e logo em seguida foi feita a familiarização ao teste isométrico e isocinético no dinamômetro. Nas próximas visitas os atletas realizaram no dinamômetro isocinético, o teste máximo para determinação do PT da contração isométrica e isocinéticas concêntricas em diferentes velocidades. O procedimento foi realizado duas vezes em dias diferentes. O teste para determinação do PT isométrico e isocinético foi realizado de forma aleatória... (Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.format.extent20 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectNataçãopt
dc.subjectTorquept
dc.subjectMembros superiorespt
dc.subjectAptidão físicapt
dc.subjectMusculospt
dc.titleReprodutibilidade do pico de torque do músculo tríceps braquial em nadadores treinadospt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Instituto de Biociências, Rio Claropt
dc.identifier.aleph000714209
dc.identifier.filemoreira_nc_tcc_rcla.pdf
dc.identifier.lattes7416129894680689
unesp.undergraduateEducação Física - IBRCpt
unesp.author.lattes7416129894680689
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record