Show simple item record

dc.contributor.advisorBraga, Eliana Mara [UNESP]
dc.contributor.authorPancieri, Ana Paula [UNESP]
dc.date.accessioned2015-03-23T15:26:29Z
dc.date.available2015-03-23T15:26:29Z
dc.date.issued2011
dc.identifier.citationPANCIERI, Ana Paula. Checklist de cirurgias da OMS: análise da segurança e comunicação da equipe cirúrgica de um hospital escola. 2011. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Enfermagem) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2011.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/120397
dc.description.abstractWHO has launched the “Safe Surgery Saves Lives” program with the purpose to reduce damage to surgical patients and define safety standards specifically in order to reduce such patients’ morbi-mortality by providing surgery teams and hospital managers with orientation about the standards of safe surgery and a uniform service evaluation instrument for national and international surveillance. Hence, this study aimed at applying the WHO safe-surgery checklist to the surgical specialties of a university hospital and evaluating the team’s opinion about the influence of its application on the safety of surgical process and on the team’s interpersonal communication. It was a descriptive, analytical, qualitative field study conducted in the surgery facilities of a university hospital in a public establishment in São Paulo state. The checklist was applied to eight surgical specialties, resulting in a total number of 30 surgeries. Its application was conducted by the researcher in three phases: Sign in, Time out, Sign Out. Next, one member of the surgery team was invited to voluntarily participate in the study by signing an informed consent form and answering guiding questions. Thirty members of the surgery team participated in the study. Bardin’s Content Analysis Method was used to organize and analyze the data. As regards the safety provided by the checklist, the following thematic categories emerged: “It reduces risk and possible complications”; “It standardizes conducts and reviews safety steps”; “It allows for better understanding of the process”; and “It provides safety to the team as a whole”. The category “It is not included in the institution’s routine” emerged from the subjects’ statements when they understood that, in this form, the checklist does not provide safety to surgical procedures. As regards communication, two thematic categories emerged: ...(Complete abstract click electronic access below)en
dc.description.abstractEm 2007, a OMS lançou o programa “Cirurgia Segura Salva Vidas” pretendendo reduzir a ocorrência de danos ao paciente cirúrgico e definir padrões de segurança. O resultado de uma avaliação em oito instituições pilotos no mundo mostra que o uso do checklist praticamente dobrou a chance dos usuários receberem o tratamento cirúrgico com padrões de cuidado adequados. Os objetivos da OMS com a campanha são diminuir a morbimortalidade em pacientes cirúrgicos dando às equipes cirúrgicas e administradores hospitalares orientações sobre o padrão de uma cirurgia segura e oferecer um instrumento de avaliação uniforme do serviço para vigilância nacional e internacional. Aplicar o checklist de “cirurgia segura” da OMS nas especialidades cirúrgicas de um hospital escola e verificar a opinião da equipe cirúrgica sobre a influência da aplicação do checklist na segurança do processo cirúrgico e na comunicação interpessoal da equipe. Tratou-se de um estudo de campo, descritivo, analítico com abordagem qualitativa, realizado no Centro Cirúrgico de um Hospital Escola em uma instituição pública no interior do estado de São Paulo, no segundo semestre de 2011. O checklist foi aplicado numa média de quatro cirurgias de oito especialidades cirúrgicas, resultando num total de 30 cirurgias. A aplicação do checklist foi conduzida pela pesquisadora em três etapas: Identificação, Confirmação e Registro. A seguir, foi destacado um componente da equipe cirúrgica para participar voluntariamente do estudo, assinando o TCLE e respondendo à algumas questões norteadoras. Participaram da pesquisa 30 membros da equipe cirúrgica. Para organização e análise dos dados, recorremos ao Método de Análise de Conteúdo de Bardin. Quanto à segurança proporcionada pelo checklist, emergiram as seguintes categorias temáticas: “Diminui riscos e possíveis complicações”...(Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectComunicação na medicinapt
dc.subjectSala de cirurgiapt
dc.subjectHospitais – Medidas de segurançapt
dc.titleChecklist de cirurgias da OMS: análise da segurança e comunicação da equipe cirúrgica de um hospital escolapt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina, Botucatupt
dc.identifier.aleph000692088
dc.identifier.filepancieri_ap_tcc_botfm.pdf
dc.identifier.lattes4670180558948205
unesp.undergraduateEnfermagem - FMBpt
unesp.author.lattes4670180558948205
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record