Show simple item record

dc.contributor.advisorMódolo, Norma Sueli Pinheiro [UNESP]
dc.contributor.authorAndrade Neto, José de Souza
dc.date.accessioned2018-01-10T12:53:05Z
dc.date.available2018-01-10T12:53:05Z
dc.date.issued2017-10-16
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/152453
dc.description.abstractIntrodução: a lesão renal aguda (LRA) é prevalente em pacientes hospitalizados e responsável por alta morbimortalidade. No entanto, ainda não há um marcador precoce e acurado para seu diagnóstico. Pacientes idosos estão em risco de desenvolver LRA no pós-operatório de grandes cirurgias. Objetivos: avaliar o biomarcador cistatina C plasmática como preditor precoce de LRA no período pós-operatório de cirurgia para correção de fratura de fêmur em idosos. Método: cinquenta e nove pacientes idosos submetidos à cirurgia de correção de fratura de fêmur foram estudados prospectivamente por 48 horas do pós-operatório. Amostras de sangue foram coletadas para análise de cistatina C plasmática nos seguintes tempos: logo ao término da cirurgia, no período de 4 e 24 horas depois. Amostras da creatinina foram coletadas na admissão hospitalar, ao término da cirurgia, 4, 24 e 48 horas no pós-operatório. Para a determinação do diagnóstico e estadiamento de LRA foi utilizado o critério KDIGO (Kidney Disease Improve Global Outcomes Acute Kidney Injury Workgroup). Foi analisada a precocidade e acurácia, esta última por meio da área sob a curva receiver operating characteristic (AUC ROC), da molécula de cistatina C plasmática para diagnóstico de LRA (KDIGO ≥1). Resultados: vinte e um pacientes (35,5%) apresentaram LRA. A cistatina C plasmática foi um marcador precoce de LRA elevando-se 4 horas após o fim da cirurgia (p < 0,003). Obteve uma AUC ROC em 4 horas de 0,750 (IC 95% de 0,610 a 0,860) e de 0,778 (IC 95% de 0,640 a 0,870) em 24 horas do pós-operatório. Conclusão: a molécula de cistatina C plasmática é um marcador precoce e com boa acurácia (apresentou AUC ROC > 0,70) para LRA, além de possuir elevado valor preditivo negativo para o ponto de corte de 0,92mg/L após 4 horas do término da cirurgia.pt
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectcistatina Cpt
dc.subjectidosospt
dc.subjectlesão renal agudapt
dc.subjectbiomarcador renalpt
dc.subjectcreatininapt
dc.subjectfratura de fêmurpt
dc.subjectcystatin Cen
dc.subjectelderlyen
dc.subjectacute renal injuryen
dc.subjectrenal biomarkeren
dc.subjectcreatinineen
dc.subjectfemur fractureen
dc.titleCistatina C plasmática como biomarcador de lesão renal aguda em idosos após correção de fratura de fêmurpt
dc.title.alternativePlasma Cystatin C in acute renal injury in the elderly after subarachnoid block for correction of femur fractureen
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramAnestesiologia - FMBpt
unesp.knowledgeAreaQualidade e segurança em anestesiologiapt
unesp.researchAreaAvaliação de Qualidade em Anestesiologiapt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina, Botucatupt
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000895735
dc.identifier.capes33004064076P6
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record