Show simple item record

dc.contributor.advisorRezende, Letícia Marcondes [UNESP]
dc.contributor.authorWamser, Camila Arndt [UNESP]
dc.date.accessioned2018-06-06T13:16:09Z
dc.date.available2018-06-06T13:16:09Z
dc.date.issued2018-05-10
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/154170
dc.description.abstractNossa hipótese de pesquisa é a de que o ensino, por meio das atividades epilinguísticas, proporciona ao aluno a apropriação da língua e a autonomia diante do seu uso. Desse modo, contrapõe-se ao método pautado na memorização das regras gramaticais e na separação da gramática e da produção textual. Sustentamo-nos teoricamente na Teoria das Operações Predicativas e Enunciativas, formulada pelo linguista francês Antoine Culioli e que prevê a materialidade da língua – o texto oral ou escrito – como unidade de trabalho do linguista, assim, entendemos que é também a unidade de trabalho do ensino de língua. Com essa concepção, não é possível a dissociação entre texto, léxico e gramática, logo o trabalho do professor é propiciar ao aluno a apropriação da linguagem e essa não pode ser confundida com descrição de língua no ensino. Assim, propõe-se a linguagem para a sala de aula por meio das atividades epilinguísticas. São também objetivos da pesquisa: determinar as operações e processos linguísticos desencadeados pela marca como; identificar a ausência do trabalho reflexivo nas atividades tradicionais do ensino das conjunções e do período composto, especificamente no que se refere à marca como; elaborar um modelo de aula que possa servir de parâmetro para o ensino por meio das atividades epilinguísticas. Para o alcance dos objetivos, dividimos nossa pesquisa em duas partes: uma de análise de enunciados sob os pressupostos da TOPE e outra de um trabalho de prática de ensino por meio de atividades epilinguísticas. A análise dos enunciados visa a encontrar, dentre a variação radical e ambiguidades geradas pela marca como, a invariância que permite essa variação e a passagem de um valor sintático-semântico a outro. Já para o desenvolvimento da parte prática, trabalhamos com três turmas do ensino fundamental na cidade de Caçador/SC no turno vespertino: duas de nono ano da Escola de Educação Básica Dra. Nayá Gonzaga Sampaio; e uma turma de sexto ano da Escola Municipal Pierina Santin Perret. Em uma das turmas de nono ano, realizamos atividades que agissem sob o nível epilinguístico dos alunos, enfatizando as operações desencadeadas pela marca como; na outra turma de nono ano, observamos a metodologia utilizada no ensino tido como tradicional, ou seja, pautado pelo ensino da norma, em suas classificações e regras. O trabalho realizado com a turma de sexto ano, também foi baseado nas atividades epilinguísticas e teve por objetivo demonstrar as diferenças de se propor esse tipo de método a crianças e a adolescentes. Os enunciados trabalhados tanto na análise quanto na prática foram os mesmos, pois somente podemos comprovar nossa tese relacionando esses dois momentos – análise e prática. Desse modo, o trabalho com a marca como mantém a coerência da nossa pesquisa e permite a superação da polarização entre teoria e prática no ensino. Assim, pretendemos comprovar que o ensino por meio das atividades epilinguísticas é mais relevante e significativo, pois possibilita ao discente a elaboração de uma metalinguagem operatória que lhe confere reflexão e autonomia diante dos fatos da língua.pt
dc.description.abstractThis research is based on the hypothesis that teaching mother tongue language through epilinguistic activities provides the students with appropriation and autonomy regarding their uses of language. Thus, this method differs from the one based on the memorization of grammar rules and on the separation of grammar and textual production. Theoretically, the study is based on the Theory of Predicative and Enunciative Operations, created by Antoine Culioli. This theory considers the materiality of language, which means oral or written texts, as the unit of work for linguists, so we also understand that it should be the unit of work for teaching the language. From this conception, the dissociation between text, lexical, and grammar is not possible. The teacher's job is to propitiate intimacy with language to the students. Thereby language is brought into the classroom by epilinguistic activities. The aims of this research are: to determine the language operations and linguistics processes unleashed by the mark como ; to identify the absence of reflexive work in traditional activities of teaching of conjunction and subordinate clauses, specifically regarding the mark como; to elaborate a model of class that serve as parameter for teaching by epilinguistic activities. To reach out these aims, our research was divided into two parts: one of analysis of statements according to the theoretical and methodological assumptions of TOPE and another of a practical work of teaching by epilinguistic activities. The statement analysis was done to find the invariance between the variance and the ambiguities created by the mark like. This invariance allows not just the variance, but the passage from one syntactic-semantic value to another. To develop the practical part, we worked with three classes of elementary school in Caçador/SC city: two classes were in the ninth grade of Nayá Gonzaga Sampaio School and one was in the sixth grade of Pierina Santin Perret School. Both schools were public. In one of the ninth-year classes, we performed activities that act on the epilinguistic level of the students, emphasizing the operations unleashed by the mark como. In the other ninth grade, we observed the methodology used in traditional teaching, which means based on the grammar rules and in its classification lists. The work realized with the sixth grade was also based on the epilinguistic activities and aimed to demonstrate the differences of proposing this type of method to kids and to teenagers. The statements analyzed were the same for the classes applied to the students, because the only way to prove our hypothesis is relating these two moments – theory and practice. Thus, the work with the mark como keeps the coherence of our research and allows the overcoming of the polarization between theory and practice in teaching. Therefore, we intend to prove that teaching by epilinguistic activities is more relevant and significative, because it enables the elaboration of an operative metalanguage to the students which provides them reflection and autonomy regarding the facts of the language.en
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.subjectEnsino de língua maternapt
dc.subjectAtividade epilinguísticapt
dc.subjectTeoria da Operações Predicativas e Enunciativaspt
dc.subjectMother Tongue Teachingen
dc.subjectEpilinguistic Activitiesen
dc.subjectTheory of Predicative and Enunciative Operationsen
dc.titleAtividade epilinguística e ensino de língua materna: uma proposta de gramática reflexiva sobre a marca como para o ensino fundamentalpt
dc.title.alternativeEpilinguistic activity and mother tongue teaching: a proposal of reflexive grammar on the mark COMO for elementary schoolen
dc.typeTese de doutorado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramLinguística e Língua Portuguesa - FCLARpt
unesp.knowledgeAreaLinguística e língua portuguesapt
unesp.researchAreaEnsino e aprendizagem de línguas: Análise dos procedimentos linguísticos desenvolvidos pelos falantes no ensino/aquisição da língua materna.pt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Ciências e Letras, Araraquarapt
unesp.embargoOnlinept
dc.identifier.aleph000902472
dc.identifier.capes33004030009P4
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record