Show simple item record

dc.contributor.authorSilva, Andreia Cristina T. Ferreira [UNESP]
dc.contributor.authorLeite, Izabel Cristina [UNESP]
dc.contributor.authorBraz, Leila Trevizan [UNESP]
dc.date.accessioned2021-07-14T10:44:34Z
dc.date.available2021-07-14T10:44:34Z
dc.date.issued2000-08
dc.identifierhttp://dx.doi.org/10.1590/S0103-31312000000200006
dc.identifier.citationRevista Brasileira de Fisiologia Vegetal. Lavras, MG, Brazil: Sociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal, v. 12, n. 2, p. 156-165, 2000.
dc.identifier.issn0103-3131
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/212747
dc.description.abstractThe objective of this research was to evaluate the behavior of five cultivars ( Carmem, IPA- 5, Principe gigante, Santa Clara TSW - 10 ) and tomato line ( CL5915), in relation to high temperature tolerance, using pollen viability. In the Experiment I the pollen was picked from different genotypes and germinated in glass slide containing Sacarose 10% and boric acid 100 mgL-1. The flowers were transferred to germination chamber with temperature regulated to 30ºC, 35º C, 40ºC and 45ºC during 1, 2, 3 and 4 hours. The parameters evaluated were pollen germination and polinic tube length. In the Experiment II the genotypes were grown in greenhouse and some agronomic trairs were analyzed. Based in pollen germination in vitro technique and the percentage of fruit set during growth in greenhouse, it was verified that exposition to higher temperatures, the line CL 5915 showed the highest pollen germination percentage and polinic tube length, like Santa Clara, that was initially considered as sensitivity standard to high temperature, it was one that showed low pollen germination percentage, as well low fruit set. In another way, difference in results were observed between techniques in vivo and in vitro were not verified.en
dc.description.abstractO objetivo foi avaliar o comportamento de cinco cultivares (Carmen, IPA-5, Príncipe gigante, Santa Clara e TSW-10) e uma linhagem de tomateiro (CL5915), quanto à tolerância a altas temperaturas, por meio da viabilidade do pólen. O Experimento I constou na coleta do pólen dos diferentes genótipos e germinação em lâminas contendo um meio com 10% de sacarose e 100 mg.L-1 de ácido bórico. As flores foram levadas à câmara de germinação regulada nas temperaturas 30ºC, 35ºC, 40ºC e 45°C por 1, 2, 3 e 4 horas. Foram avaliados a porcentagem de germinação do pólen e o comprimento do tubo polínico. O Experimento II constou no plantio dos genótipos em casa-de-vegetação e avaliação de caracteres agronômicos. Pela observação dos resultados obtidos por meio da técnica de germinação de pólen in vitro e para a porcentagem de fixação de frutos no cultivo in vivo em casa-de-vegetação, constata-se que, ao considerar as maiores temperaturas de exposição, a linhagem CL5915 foi a que apresentou a maior porcentagem de germinação de pólen e comprimento do tubo polínico, assim como a cultivar Santa Clara, inicialmente considerada como padrão de sensibilidade a alta temperatura, foi uma das que apresentaram menor porcentagem de germinação do pólen, como também menor fixação de frutos. Por outro lado, diferenças quanto aos resultados entre as técnicas in vitro e in vivo foram verificadas. Esse fato pode ser em virtude de as condições de temperatura na casa-de-vegetação não serem exatamente as mesmas em que os genótipos foram submetidos no laboratório, como por exemplo, permanecer um longo período na mesma temperatura, sem oscilações.pt
dc.format.extent156-165
dc.language.isopor
dc.publisherSociedade Brasileira de Fisiologia Vegetal
dc.relation.ispartofRevista Brasileira de Fisiologia Vegetal
dc.sourceSciELO
dc.subjectGermination in vitroen
dc.subjecttomatoen
dc.subjectLycopersicum esculentumen
dc.subjectGerminação in vitropt
dc.subjecttomatept
dc.subjectLycopersicon esculentumpt
dc.titleAvaliação da viabilidade do pólen como possível indicativo de tolerância a altas temperaturas em genótipos de tomateiropt
dc.title.alternativeViabilty evaluation of pollen as possible indicator of high temperature tolerance in tomato genotypesen
dc.typeArtigo
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista, Departamento de Produção Vegetal
dc.description.affiliationUniversidade Estadual Paulista, Departamento de Biologia Aplicada
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista, Departamento de Produção Vegetal
dc.description.affiliationUnespUniversidade Estadual Paulista, Departamento de Biologia Aplicada
dc.identifier.doi10.1590/S0103-31312000000200006
dc.identifier.scieloS0103-31312000000200006
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.identifier.fileS0103-31312000000200006.pdf
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record