Show simple item record

dc.contributor.advisorBraga, Eliana Mara [UNESP]
dc.contributor.authorSantos, Mariana Souza [UNESP]
dc.date.accessioned2014-06-11T19:28:20Z
dc.date.available2014-06-11T19:28:20Z
dc.date.issued2011-02-24
dc.identifier.citationSANTOS, Mariana Souza. Vivência comunicativa do enfermeiro com pacientes e familiares de unidades críticas: do discurso à prática. 2011. 92 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2011.
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/96466
dc.description.abstractEste estudo teve como objetivo conhecer as estratégias comunicativas dos enfermeiros de unidades críticas no momento das interações com pacientes e familiares de um hospital público do interior do Estado de São Paulo. Trata-se de um estudo de abordagem qualitativa, que utilizou o referencial teórico da Comunicação Interpessoal e o referencial metodológico da Análise de Conteúdo. Foram entrevistados 12 enfermeiros assistenciais das unidades críticas compreendidas por Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto, Pediátrica, Neonatal e Sala de Recuperação Pós-operatória. A coleta dos dados ocorreu em três etapas consecutivas, por meio de entrevista semiestruturada gravada em aparelho áudio e digital, com aplicação de uma escala adaptada de Silva (2008) de uso efetivo e/ou ineficaz da comunicação não verbal e registro em diário observacional de campo, a fim de conhecer o comportamento comunicativo verbal e não verbal durante as interações desses enfermeiros com pacientes e familiares. Os resultados evidenciaram que os enfermeiros têm consciência da importância do processo comunicacional com pacientes e familiares neste momento de angústia, medo e incertezas que representa a internação de um ente querido em uma unidade crítica. Estes resultados estão demonstrados por meio das seguintes categorias temáticas: os enfermeiros reconhecem a admissão como momento de interação com pacientes e familiares; utilizam os procedimentos técnicos e o horário de visitas como oportunidade de criar vínculo; iniciam o processo comunicativo de forma verbal; complementam e substituem o verbal de forma não verbal; demonstram afetividade; buscam validar a comunicação, mas por outro lado, encontram dificuldades em serem reconhecidos como coordenadores do cuidado por parte dos pacientes e familiares. Esses profissionais reconhecem admissão como necessidade de uma abordagem...pt
dc.description.abstractThis study aims to know the nurse`s communication strategies of critical care units in the moment of patient and family`s interactions of a public hospital inside São Paulo`s State. It consists of a qualitative approach using the theoretical reference of Interpersonal Communication and methodological reference of Content Analysis. We interviewed 12 nurses critical care units included in the Intensive Care Unit (ICU) Adult, Pediatric, Neonatal, and the Post-operative room. Data collection occurred in three consecutive steps, using semi-structured interviews and recorded on digital audio device, applying a scale adapted from Silva (2008) for effective and/or ineffective use of nonverbal communication and observational journaling field to know the communicative behavior verbal and non verbal of these nurses during the contact with patients and families. Results showed that the nurses are conscious about the communicational process`s importance in these moments of angst, fear and uncertainty. These results are demonstrated through the following themes: nurses recognize the admission as their interactions with patients and families; using the technical procedures and time of visits as an opportunity to create bonds; begin the process of communicating verbally; complement and replace the verbal form of nonverbal; show affection; seeking to validate the communication, but on the other hand, have difficulties in being recognized as coordinators of care for patients and families. They recognize the need an adequate first contact to initiate the communicative process with an adapted verbal language. They considered the communication like a humanistic process. They also complement the verbal language with a non verbal way, using the touch, the look and emotional expressions, they bonded to patients and families and show affective. The nurses intended yet, to authenticate the communication asking ... (Complete abstract click electronic access below)en
dc.description.sponsorshipMinistério da Saúde
dc.format.extent92 f.
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.sourceAleph
dc.subjectEnfermeirospt
dc.subjectPacientespt
dc.subjectCuidados em enfermagem - Planejamentopt
dc.subjectInterpersonal relationshipsen
dc.titleVivência comunicativa do enfermeiro com pacientes e familiares de unidades críticas: do discurso à práticapt
dc.typeDissertação de mestrado
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (UNESP)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
unesp.graduateProgramEnfermagem (mestrado profissional) - FMBpt
unesp.knowledgeAreaPráticas de enfermagempt
unesp.researchAreaProcesso de cuidar em saúde e enfermagempt
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (UNESP), Faculdade de Medicina, Botucatupt
dc.identifier.aleph000646073
dc.identifier.filesantos_ms_me_botfm.pdf
dc.identifier.capes33004064081P0
dc.identifier.lattes4670180558948205
unesp.author.lattes4670180558948205
Localize o texto completo

Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record