Tendências de Internação e Mortalidade por Hemorragia Subaracnoide e Aneurisma Cerebral Não-Roto no Brasil, 2011-2019

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2024-02-02

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A hemorragia subaracnoide espontânea (HSA) corresponde a aproximadamente 8,9% dos acidentes vasculares cerebrais e tem altas taxas de morbidade e mortalidade. Sua causa mais frequente são os aneurismas cerebrais. A literatura internacional dispõe de trabalhos que definem incidência de HSA e prevalência de aneurismas cerebrais não-rotos (ANR) e esses dados são relevantes como indicadores de saúde da população, seja pela avaliação da eficácia do controle de fatores de risco preveníveis, seja pelo cálculo dos altos custos financeiro e social causados pela rotura de um aneurisma. Porém, o Brasil (e muitos países em desenvolvimento) não dispõe de dados epidemiológicos sobre estas doenças. O objetivo deste trabalho foi determinar os coeficientes de internação e mortalidade por HSA e ANR no Brasil bem como suas tendências no período entre 2011 e 2019. Foi realizado um estudo nacional de base populacional usando dados de internação hospitalar e mortalidade incluindo tendência temporal, por regressão linear e joinpoint regression; e análise geoespacial. O estudo incluiu todas as hospitalizações e óbitos ocorridos no país nos quais HSA e ANR foram descritos como causa básica para o período definido. Os dados foram obtidos respectivamente do Sistema Nacional de Informações sobre Hospitalização (SIHSUS) e do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), ambos do Ministério da Saúde (MS), e os dados populacionais foram obtidos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os coeficientes de internação e mortalidade por HSA foram 4,33 e 2,23 por 100.000 habitantes ao ano, respectivamente, e os coeficientes de internação e mortalidade por ANR foram 1,09 e 0,21 por 100.000 habitantes ao ano, respectivamente. Houve tendência nacional de estabilidade nas internações por HSA e aumento da mortalidade em 0,062 casos por 100.000 habitantes por ano (p<0,001; IC95%: 0,0505 - 0,075). Houve tendência nacional de aumento de internações por ANR com acréscimo de 0,074 casos por 100.000 habitantes ao ano (p<0,001; IC95%: 0,05 - 0,098) e de redução da mortalidade em 0,07 casos a cada 100.000 habitantes ao ano (p=0,001; IC95%: -0,1- -0,04). Observaram-se diferentes tendências de acordo com as regiões do país analisadas. As taxas encontradas apontam estabilidade das hospitalizações e aumento da mortalidade por HSA. Houve tendência de aumento da taxa de internações para os casos de ANR com redução da mortalidade.
Spontaneous Subarachnoid Hemorrhage (SAH) accounts for approximately 8,9% of strokes and has high morbidity and mortality rates. Its most frequent cause is the rupture of brain aneurysms. Incidence and prevalence of SAH and Unrupted Brain Aneurysms (UBA) are well documented in international literature. These studies are relevant as they indicate populational health, efficacy in controlling risk factors and also its financial and social burden. However, Brazil (and many developing countries) doesn´t have such epidemiological data. The objectives of this study were to determine SAH e UBA hospitalization and mortality coefficients in the country as well as its trends in the period between 2011 and 2019. A national population-based study was undertaken using hospital admission and mortality data, including temporal trends, with linear and joinpoint regression analysis, as well as geospatial analysis. The study includes all hospitalization and deaths that took place in the country during the mentioned period in which SAH and UBA were described as the underlying cause. Data was obtained respectively from National Hospitalization Information System (Sistema de Informação sobre Hospitalização, SIH-SUS) and Mortality Information System (Sistema de Informação sobre Mortalidade, SIM), both from de Ministry of Health (Ministério da Saúde, MS), and populational data was obtained from the Brazilian Institute of Geography and Statistics (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, IBGE). The SAH average hospitalization and mortality coefficients were 4,33 and 2,23 per 100.000 inhabitants per year, respectively. The UBA average hospitalization and mortality coefficients were 1,09 and 0,21 per 100.000 inhabitants per year, respectively. There was a SAH national stable hospitalization trend and, nevertheless, an increasing mortality trend of 0,062 deaths per 100.000 inhabitants per year (p<0.001; 95%CI: 0,0505 – 0,075). There was a national UBA hospitalization increasing trend of 0,074 cases per 100.000 inhabitants per year (p<0,001; 95%CI: 0,05 – 0,098) and a mortality decreasing trend of 0,07 deaths per 100.000 inhabitants per year (p=0,001; 95%CI: -0,1 - -0,04). There were differences in trends variation according to each Brazilian region and a stability trend in hospitalization due to SAH, while an increasing mortality rate for SAH. There was an increasing trend for UBA hospitalization and a decreasing trend in its mortality rate.

Descrição

Palavras-chave

Aneurisma cerebral, Hemorragia subaracnoide, Internação, Mortalidade

Como citar