Role-playing como estratégia facilitadora da análise funcional em contexto clínico

Nenhuma Miniatura disponível

Data

2012

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (inglês)

In behavioral therapy several techniques are used, among them the role-playing and functional analysis. Role-playing is feasible to model relevant behaviors while functional analysis is used for diagnostic evaluation and to produce self-knowledge. However, some clinical problems have characteristics that hinder the creation of self-knowledge, without which the client may not develop the modeling of alternative repertoires. This study aims to illustrate the combination of role-playing and functional analysis as a procedure to facilitate the development of self-awareness in clients with deficits in discrimination of functional relations and interpersonal difficulties. A session was selected from a total of 12 group meetings. The main result was the increase of self-revelations and discrimination of functional relationships by customers. It is concluded that the role-playing can be an environment to teach the client to describe functional relations and produce self-knowledge when facing interpersonal problems and difficulties on the discrimination of the actual contingencies in place.

Resumo (português)

Na terapia analítico-comportamental, utilizam-se diversas técnicas, entre elas o role-playing e a análise funcional. O role-playing é viável para modelar comportamentos relevantes, enquanto a análise funcional é utilizada para avaliação diagnóstica e para produzir autoconhecimento. Entretanto, algumas queixas apresentam características que dificultam a produção de autoconhecimento, sem o qual o cliente pode não aderir à modelagem de repertórios alternativos. O presente trabalho busca exemplificar a associação de role -playing e análise funcional enquanto procedimento para facilitar o desenvolvimento de autoconhecimento em clientes com déficits de discriminação de relações funcionais e dificuldades interpessoais. Uma sessão foi selecionada, de um total de 12 encontros em grupo. Como resultado principal, destaca-se o aumento de autorrevelação e discriminação de relações funcionais pelos clientes. Conclui-se que o role-playing possa ser ambiente para ensinar o cliente a descrever relações funcionais e produzir autoconhecimento diante de queixas interpessoais e dificuldade de discriminação das contingências em vigor.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Revista Brasileira de Terapia Comportamental e Cognitiva, v. 14, n. 3, p. 102-122, 2012.

Itens relacionados

Financiadores