Dermatite associada à incontinência em idosos hospitalizados

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2016-12-21

Orientador

Abbade, Luciana Patrícia Fernandes
Bocchi, Silvia Cristina Mangini

Coorientador

Pós-graduação

Enfermagem (mestrado profissional) - FMB

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Introdução: A Dermatite Associada à Incontinência (DAI) no idoso apresenta implicações significativas na qualidade de vida e reflete a qualidade da assistência e cuidados ofertados. Sua prevenção e tratamento precoces requerem dos profissionais de enfermagem, intensificação dos cuidados por meio de Sistematização da Assistência de Enfermagem, aliada a protocolos baseados em evidências cientificas, bem como, somar esforços junto aos cuidadores, a fim de que o cuidado contínuo, mesmo após hospitalização, possa ser atingido. Objetivo: Determinar a prevalência e características clínicas da DAI, em idosos hospitalizados e propor um guia para sua prevenção e manejo direcionado aos cuidadores dos idosos. Método: Estudo transversal, exploratório em dois hospitais públicos do interior de São Paulo, com pacientes idosos incontinentes, em enfermarias clínica (41 leitos), cirúrgica (41 leitos) e de longa permanência (25 leitos). Todos os aspectos éticos foram preservados. Os dados foram coletados por meio de um instrumento elaborado para esse fim, composto por dados sociodemográficos, clínicos e referentes a cuidados com a pele e por meio de consulta de prontuário eletrônico e exame físico da região de fraldas. Os dados de prevalência de DAI e suas associações foram obtidos por meio do cálculo da razão, variáveis categóricas e ordinais foram representadas por percentuais e comparadas entre os grupos pelos testes do qui-quadrado, exato de Fisher e qui-quadrado de tendência. A dimensão do efeito foi estimada pela razão de chances (Odds Ratio) e seu intervalo de confiança de 95%. Dados foram tabulados e analisados no software IBM SPSS 22. A significância estatística foi definida como valores de p<0,05. Resultados: Foram incluídos 138 participantes, com idade média de 77,2 anos (± 9,3), 75 (54,3%) do sexo feminino, 92 (66,7%) brancos e com incontinência fecal associada à urinária em 69 (50%) participantes. A prevalência de DAI foi 36,2% (50), 28%(14) dos pacientes com DAI apresentavam associadamente lesão por pressão e 14% (7) apresentavam candidose. Houve associação de DAI com isolamento de contato (OR 3,0 [1,01-9,49]; p=0,04), tempo de internação (OR=5,0 [2,50-12,90); p=0,00), maior intervalo para a troca de fralda (p=0,04), obesidade (OR= 3,6 [1,2-10,47]), baixo peso (OR=2,5 [1,08- 5,96]). Também houve associação do nível de dependência e DAI (p<0.01), ou seja, a medida que aumenta o nível de dependência, maior a chance de desenvolver DAI (OR=2,4 [1,19-5,09]). O tipo de efluente, fezes líquida, demonstrou relação com o desenvolvimento de DAI (p=0,017), bem como pacientes que apresentaram riscos elevados para desenvolvimento de lesão por pressão também apresentaram maior risco de desenvolver DAI [OR=6,1 (1,4-26,9)]; p≤ 0.0001. Nenhuma das unidades possuíam protocolo de prevenção e/ou manejo da DAI, nem abordagem com os cuidadores sobre o referido tema. Produto: Guia de Boas Práticas para os cuidadores a fim de contribuir com a prevenção e manejo da DAI durante internação e após alta hospitalar. Conclusões: O presente trabalho, demonstra a magnitude e importância de investigação sobre o tema, do olhar e ações acuradas da equipe de enfermagem e dos cuidadores, em especial, nas condições que contribuam para aumento do risco de desenvolvimento de DAI, e que sejam passíveis de intervenção.

Resumo (inglês)

Introduction: Elderlies Incontinence associated dermatitis (IAD) implicates into their quality of lives and reflects the care offered. Its early treatment and prevention require care intensification from nursing professionals through the Systemization of Nursing Care, combined with protocols based on scientific evidences, such as add efforts along with caregivers, so that continuous care can be reached even after the hospitalization. Objective: To determinate the clinical characteristics and prevalence of IAD in elderly hospitalized patients and suggest guide to their prevention in a way it is focused on elderly caregivers. Method: A cross-sectional, exploratory study in two public hospitals from the countryside of Sao Paulo, with elderly incontinent patients, in clinical (41 beds), surgical (41 beds) and long-stay (25 beds) wards. All ethical aspects have been preserved. The data was compiled from an instrument developed for this purpose. It is composed of sociodemographic, clinical and skin care data, electronic medical records, and also physical examination in the diaper region. The most important data from IAD and its associations are resulted through by calculating the ratio, categorical and ordinary variations were represented by percentages and compared between the groups by chi-square, Fisher exact and chi-square test. The effect size was estimated by Odds Ratio and its 95% confidence interval. Data were tabulated and analyzed in the IBM SPSS 22 software. Statistical significance was defined as p values <0.05. RESULTS: A total of 138 participants, mean age of 77.2 years (± 9.3), 75 (54.3%) female, 92 (66.7%) whites and urinary fecal incontinence were included in 69 (50%) participants. The prevalence of IAD was 36.2% (50), 28% (14) of the patients with IAD were associated with pressure injury and 14% (7) presented with candidiasis. There was an association of IAD with contact isolation (OR 3.0 [1.01-9.49], p = 0.04), length of hospital stay (OR = 5.0 [2.50-12.90]); P = 0.00), greater range for diaper change (p = 0.04), obesity (OR = 3.6 [1.2-10.47]), low weight (OR = 2.5 [1,08-5, 96]). There was also an association between the level of dependence and IAD (p <0.01), that is, as the level of dependence increases, the greater the chance of developing IAD (OR = 2.4 [1.19-5.09]). The effluent type, liquid stool, was related to the development of IAD (p = 0.017), as well as patients who presented high risks for development of pressure lesions were also at higher risk of developing IAD [OR = 6.1 (1, 4-26,9)]; P≤ 0.0001. None of the units had a protocol for the prevention and / or management of IAD, nor did they approach the caregivers with this topic. Product: Good Practices Guide for caregivers in order to contribute to the prevention and management of IAD during hospitalization and after discharge. Conclusions: The present study demonstrates the magnitude and importance of research on the subject, the look and accurate actions of the nursing team and the caregivers, especially in the conditions that contribute to an increased risk of developing IAD, Intervention.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados

Financiadores