Comportamentos interativos e sincronia de díades mãe-bebê e pai-bebê: identificação e intervenção

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2020-11-27

Autores

Chiodelli, Taís

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A compreensão dos comportamentos interativos dos cuidadores em diferentes contextos e de variáveis que influenciam a interação cuidador-bebê possibilita o planejamento e execução de intervenções preventivas. Defende-se a tese de que intervenções de curta duração nos primeiros meses de vida do bebê e que utilizam vídeo feedback podem ser efetivas para a aquisição ou manutenção de comportamentos interativos responsivos de cuidadores, independente do gênero. O objetivo geral do estudo foi investigar a interação cuidador-bebê em dois contextos de observação e testar o efeito do Programa Promovendo Interação entre Pais e Bebês (PIPAB), considerando o gênero do cuidador, sexo do bebê e a prematuridade. Foram realizados dois estudos com 63 díades cuidadores-bebês de três a sete meses de idade, utilizando observações codificadas com o protocolo Interadíade. No Estudo 01 analisou-se o efeito do gênero do cuidador, sexo do bebê e da prematuridade sobre os comportamentos dos cuidadores (estimulação, responsividade, intrusividade e verbalizar negativamente para o bebê) e dos bebês (comportamentos interativos positivos, negativos e não interativos) em dois contextos. As díades foram observadas em interação livre durante cinco minutos e no procedimento do Face-to-Face Still-Face (FFSF) durante nove minutos, divididos em três episódios de três minutos: 1) play - o cuidador interagia face a face com o bebê, 2) still-face - o cuidador deixava de responder ao bebê e, 3) reunião – o cuidador retomava a interação. Os comportamentos diádicos nos dois contextos foram analisados a partir de ANOVAs de três vias. Os principais resultados encontrados no contexto de interação livre foram: (a) as mães estimularam mais os seus bebês do que os pais; (b) os pais foram mais responsivos na interação com seus bebês do que as mães; (c) cuidadores de bebês pré-termo foram mais responsivos do que os cuidadores de bebês a termo; (d) cuidadores de bebês a termo estimularam mais os seus bebês do que os cuidadores de bebês pré-termo; (e) bebês pré-termo apresentaram mais comportamentos não interativos com seus pais do que os bebês a termo. No episódio play do FFSF destacaram-se os resultados: (a) os pais de bebês a termo foram mais responsivos do que as mães de bebês a termo e os pais de bebês pré-termo; (b) os pais de bebês pré-termo foram mais intrusivos do que as mães de bebês pré-termo e os pais de bebês a termo; (c) os bebês a termo apresentaram mais comportamentos não interativos na interação com os pais do que os bebês pré-termo na interação com os pais e os bebês a termo na interação com as mães; (d) bebês do sexo feminino nascidos a termo e do sexo masculino nascidos pré-termo apresentaram mais comportamentos interativos positivos do que os bebês do sexo masculino nascidos a termo. No episódio de reunião: (e) bebês do sexo feminino apresentaram mais comportamentos interativos negativos na interação com os pais do que os bebês do sexo feminino na interação com as mães e do sexo masculino na interação com os pais; e (f) os bebês do sexo masculino emitiram mais comportamentos não interativos com seus pais do que os bebês do sexo feminino. Dos resultados obtém-se comportamentos-alvo para intervenção. No Estudo 02 buscou-se identificar o efeito do PIPAB, considerando o gênero do cuidador e a prematuridade do bebê, sobre os comportamentos dos cuidadores, dos bebês e à sincronia da díade. Participaram as 63 díades cuidadores-bebês e o delineamento foi pré-teste-pós-teste com um grupo. O PIPAB teve duas sessões de intervenção utilizando vídeo feedback. Antes e após cada sessão de intervenção foi realizada uma observação da interação livre. Análises de regressão binomial negativa indicaram aumento significativo da responsividade dos cuidadores, todavia, houve aumento, também, dos comportamentos não interativos dos bebês o que pode ter resultado no aumento da sincronia baixa e regular entre o pré-intervenção 1 e o pós-intervenção 2. Neste período também ocorreram diminuições de intrusividade dos cuidadores, dos comportamentos interativos negativos dos bebês e da sincronia baixa e ruim. O gênero do cuidador diferenciou os comportamentos de estimulação, responsividade e intrusividade e, a prematuridade os comportamentos de estimulação. A sincronia foi melhor para as díades cuidadores-bebês a termo do que para as de bebês pré-termo. Identificou-se que o PIPAB foi promissor em promover mudanças nos comportamentos das díades. Todavia, são necessários estudos com outros delineamentos para que seja avaliada a sua efetividade.
Understanding the interactive behaviors of caregivers in different contexts and the variables that influence the caregiver-infant interaction makes possible to plan and execute preventive interventions. The thesis is defended that short duration interventions in the first months of the infant’s life that use video feedback may be effective for the acquisition or maintenance of responsive interactive behaviors of caregivers, regardless of gender. The general objective of the study was to investigate the caregiver-infant interaction in two contexts of observation and to test the effect of the Program Promoting Interaction between Parents and Babies (PIPAB), considering the caregiver’s gender, sex of the infant and prematurity. Two studies were done with 63 caregiver-infant (three to seven months of age) dyads, by using observations coded with the Interdyad protocol. In study 01, it was analyzed the effect of the caregiver’s gender, infant’ sex and prematurity on the caregiver’s behaviors (stimulation, responsivity, intrusiveness, and verbalizing negatively to the infant) and on the infants’ (positive interactive behaviors, negative and noninteractive) in two contexts. Dyads were observed in free play interaction for five minutes and in the Face-to-Face Still-Face (FFSF) paradigm for nine minutes, divided into three minute episodes: 1) play - the caregiver interacts face to face with the infant, 2) still-face - the caregiver no longer responds to the infant and 3) meeting - the caregiver interacts again. Dyadic behaviors in both contexts were analyzed from three ways ANOVAs. The main results found in the free play interaction context were: (a) mothers stimulated their infants more than the fathers; (b) fathers were more responsive in the interaction with the infants than the mothers; (c) caregivers of preterm infants were more responsive than caregivers of full-term infants; (d) caregivers of full-term infants stimulated their infants more than caregivers of preterm infants; (e) preterm infants displayed more noninteractive behaviors with their parents than full-term infants. In FFSF’s play episode, these results stood out: (a) fathers of full-term infants were more responsive than mothers of full-term infants and fathers of preterm infants; (b) fathers of preterm infants were more intrusive than mothers of preterm infants and fathers of full-term infants: (c) full-term infants displayed more noninteractive behaviors in the interaction with their fathers than preterm infants in the interaction with their fathers and full-term infants in the interaction with their mothers; (d) female full-term infants and male preterm infants displayed more positive interactive behaviors than male full-term infants. In the reunion episode: (e) female infants displayed more negative interactive behaviors in the interaction with their fathers than female infants in the interaction with their mothers and male infants in the interaction with their fathers; and (f) male infants emitted more noninteractive behaviors with their fathers than female infants. From the results, we get target behaviors for intervention. In study 02, it was sought to identify PIPAB’s effect, regarding the caregiver’s gender and infant’s prematurity, on caregivers’ and infants’ behavior and dyad synchrony. 63 caregiver-infant dyads participated, and the design was pretest-posttest in a group. PIPAB two intervention sessions using video feedback. Before and after each intervention session, an observation was done regarding free play interaction. Analyses of binomial regression indicated a significant increase in caregivers’ responsivity, although, there was a rise too, in noninteractive behaviors of the infants, which may have resulted in increasing low and regular synchronicity between preintervention 1 and postintervention 2. In this period, decreases in caregivers’ intrusiveness, in negative interactive behaviors of the infants and in low and bad synchronicity also occurred. The gender of the caregiver differentiated behaviors of stimulation, responsivity and intrusiveness, and prematurity those of stimulation. Synchrony was better for full-term caregiver-infant dyads than for preterm ones. PIPAB was determined as being promising in promoting behavioral change in dyads. Still, studies are needed with other designs to evaluate its effectiveness.

Descrição

Palavras-chave

Interação mãe-bebê, Interação pai-bebê, Sincronia, Vídeo feedback, Sexo do bebê, Prematuridade, Mother-infant interaction, Father-infant interaction, Synchrony, Infant sex, Prematurity, Video feedback

Como citar