Determinação do polo paleomagnético do Grupo Passa Dois e da Formação Pirambóia no setor nordeste da Bacia do Paraná.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-06-30

Autores

Falcão, Juliana Areias [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O paleomagnetismo é uma ferramenta da geofísica que tem como base o estudo do magnetismo de rocha e compreendê-la permite correlacionar unidades estratigráficas, derivar idades e reconstruir movimentos litosféricos. De acordo com a literatura, o levantamento cronoestratigráfico para o Grupo Passa Dois muito se baseia em correlações feitas partir da bioestratigrafia e parte por geocronologia isotópica; no entanto, existe uma carência de outros métodos investigativos que possam contribuir para as discussões acerca das idades encontradas. Ademais, os depósitos sedimentares da Formação Pirambóia apresentam escassez em teor fossilífero com valor cronoestratigráfico, resultando em diferentes interpretações para os mesmos e gerando idades não conclusivas. Com objetivo de contribuir com dados paleomagnéticos para o conhecimento das camadas sedimentares depositadas entre o Permiano e o Mesozoico na Bacia do Paraná, foram coletadas amostras das unidades de interesse, totalizando 83 da Formação Corumbataí, 24 da Formação Teresina, 20 da Formação Rio do Rasto e 40 da Formação Pirambóia. Foram submetidas a investigações paleomagnéticas, buscando identificar a magnetização original, suas variações e interpretar suas origens. A investigação consistiu em medir a magnetização remanescente de cada amostra e a partir delas foi calculado o paleopolo do campo geomagnético no momento da formação de cada unidade, permitindo identificar as idades. A princípio, os resultados encontrados para este trabalho posicionam o Grupo Passa Dois no intervalo entre o final Permiano e o Neotriássico, sugerindo divergências em relação as idades referidas em bibliografias. Para a Formação Pirambóia, foi encontrada idade no limite entre o Neotriássico e Eojurássico. No entanto, sob uma perspectiva crítica dos dados bioestratigráficos encontrados em literaturas pretéritas, somado a interpretações estruturais e tectônicas para a área foco de estudo, concluiu-se que os paleopolos calculados se encontram possivelmente deslocados devido a movimentos tectônicos associados ao evento da abertura do Oceano Atlântico, resultando em idades não precisas. Desta forma, sugere-se novos levantamentos estruturais para a área, a fim de determinar uma correção que possa ser aplicada aos dados paleomagnéticos.
Paleomagnetism is a geophysical tool based on the study of rock magnetism and understanding it allows for the correlation of stratigraphic units, derivation of ages, and reconstruction of lithospheric movements. According to the literature, the chronostratigraphic survey for the Passa Dois Group heavily relies on correlations made through biostratigraphy and partly on isotopic geochronology. However, there is a lack of other investigative methods that could contribute to the discussions regarding the ages found. Also, the sedimentary deposits of the Pirambóia Formation have a scarcity of fossil content with chronostratigraphic value, resulting in different interpretations and inconclusive ages. In order to contribute with paleomagnetic data to the knowledge of sedimentary layers deposited between the Permian and Mesozoic in the Paraná Basin, samples were collected from the units of interest, totaling 83 from the Corumbataí Formation, 24 from the Teresina Formation, 20 from the Rio do Rasto Formation and 40 from the Pirambóia Formation. They underwent paleomagnetic investigations to identify the original magnetization, its variations, and interpret their origins.The investigation involved measuring the remanent magnetization of each sample and using them to calculate the paleopole of the geomagnetic field at the time of formation of each unit, thereby allowing the identification of the ages. Initially, the results obtained from this study position the Passa Dois Group in the interval between the Late Permian and the Late Triassic, suggesting discrepancies compared to the ages mentioned in previous literature. For the Pirambóia Formation, an age was found at the boundary between the Late Triassic and Early Jurassic. Nevertheless, with a critical perspective on the biostratigraphic data found in past literature, combined with structural and tectonic interpretations for the study area, it is concluded that the calculated paleopoles are possibly displaced due to tectonic movements associated with the opening of the Atlantic Ocean, resulting in imprecise ages. Therefore, it is suggested to conduct new structural surveys in the area in order to determine a correction to be applied to the paleomagnetic data.

Descrição

Palavras-chave

Polo Paleomagnético, Paleomagnetismo, Idade Grupo Passa Dois, Idade Formação Pirambóia, Paleomagnetic pole, Paleomagnetism, Age of Passa Dois Group, Age of Pirambóia Formation

Como citar