Caracterização do perfil auditivo de frentistas de postos de combustível

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017

Autores

Zucki, Fernanda
Corteletti, Lilian Cássia Bórnia Jacob
Tsunemi, Miriam Harumi
Munhoz, Graziela Simeão
Quadros, Isabela Alves De
Alvarenga, Kátia De Freitas

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Academia Brasileira de Audiologia

Resumo

ABSTRACTIntroductionResearches into populations with low solvent exposures, or exposures within tolerance levels allowed in the occupational field are still restricted.PurposeTo characterize the hearing profile of gas station attendants.MethodCross-sectional study, constituted of two groups, matched by gender and age: Control Group - 23 subjects without exposure to noise or chemicals; Experimental Group - 21 gas station attendants. An audiological evaluation was performed, composed by pure tone audiometry, speech audiometry and acoustic impedance tests. The statistical analysis used average calculation, standard deviation, minimum and maximum value; Chi-square Test and Pearson’s correlation coefficient. The significance level was 5%.ResultHearing loss was verified in gas station attendants characterized by impairment of the peripheral auditory system, suggesting toxic effects of exposure to fuels. There was a correlation between age and solvent exposure time. Comparing the groups, the acoustic reflex showed more alterations in the experimental group, with a difference for the ipsilateral acoustic reflexes of the right ear and contralateral ones of the left ear.ConclusionThere was no difference between the groups for the hearing thresholds; however, the difference observed in the ipsilateral and contralateral acoustic reflexes in the experimental group suggests retrocochlear impairment. Due to the evidence observed in this study, it is considered relevant to include the acoustic reflex research in the auditory evaluation of the gas station attendants, as well as the integration of this professional category into hearing loss prevention programs.
RESUMOIntroduçãoPesquisas voltadas para as populações com baixas exposições a solventes, ou exposições dentro dos níveis de tolerância permitidos em âmbito ocupacional ainda são restritas.ObjetivoCaracterizar o perfil auditivo de frentistas de postos de combustíveis.MétodoEstudo transversal, constituído por dois grupos, pareados por gênero e idade: Grupo Controle - 23 indivíduos sem exposição a ruído ou agentes químicos; Grupo Experimental - 21 frentistas de postos de combustíveis. Foi realizada avaliação audiológica, composta por audiometria tonal liminar, logoaudiometria e medidas de imitância acústica. A análise estatística utilizou cálculo de média, desvio padrão, valor mínimo e máximo, teste Qui-quadrado e coeficiente de correlação de Pearson. O nível de significância adotado foi de 5%.ResultadoForam verificadas alterações auditivas nos frentistas, caracterizadas por comprometimento no sistema auditivo periférico, sugerindo ação tóxica da exposição a combustíveis. Houve correlação entre idade e tempo de exposição a solvente. Na comparação entre os grupos, o reflexo acústico demonstrou maior número de alterações no grupo experimental, com diferença para os reflexos acústicos ipsilaterais da orelha direita e contralaterais da orelha esquerda.ConclusãoNão houve diferença entre os grupos para os limiares auditivos, porém, a diferença verificada nos reflexos acústicos ipsilaterais e contralaterais no grupo experimental sugere comprometimento retrococlear. Diante das evidências observadas neste estudo, considera-se relevante incluir a pesquisa do reflexo acústico na avaliação auditiva dos frentistas, bem como a integração desta categoria profissional aos programas de prevenção de perda auditiva.

Descrição

Palavras-chave

Hearing, Gasoline, Solvents, Occupational exposure, Chemical compound exposure, Audição, Gasolina, Solventes, Exposição ocupacional, Exposição a produtos químicos

Como citar

Audiology - Communication Research. Academia Brasileira de Audiologia, v. 22, p. -, 2017.