Controle químico de Panicum repens e Paspalum repens

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2004-09-01

Autores

Carbonari, Caio Antonio [UNESP]
Martins, D. [UNESP]
Terra, M.A. [UNESP]
Marchi, S.R. [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas

Resumo

Panicum repens e Paspalum repens são espécies infestantes de ambientes úmidos e alagados, freqüentes em margens de lagos, reservatórios, canais de irrigação e drenagem. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a eficiência de diferentes herbicidas no controle dessas duas espécies. O experimento foi conduzido no Núcleo de Pesquisas Avançadas em Matologia, do Departamento de Produção Vegetal, pertencente à Faculdade de Ciências Agronômicas/UNESP, campus de Botucatu-SP. As plantas foram cultivadas em caixas d'água e as pulverizações foram realizadas utilizando-se um pulverizador costal pressurizado a CO2. Os tratamentos testados foram: glyphosate a 2.400, 3.360 e 4.320 g e.a. ha-1 + Aterbane 0,5% v/v, glyphosate a 2.400, 3.360 e 4.320 g e.a. ha-1 + Silwet 0.1% v/v, imazapyr a 750 e 1.500 g e.a. ha-1 e diquat a 400 e 800 g i.a. ha-1 (em aplicações seqüenciais de 200+200 g i.a. ha-1 e 400+400 g i.a. ha-1), além de uma testemunha sem aplicação de herbicidas. O delineamento experimental utilizado foi inteiramente casualizado, com quatro repetições. Avaliações visuais de controle foram realizadas, sendo a massa seca das plantas determinada ao final do estudo. O herbicida glyphosate na dose de 4.320 g e.a. ha-1, independentemente do adjuvante utilizado, assim como na dose de 3.360 g e.a. ha-1 com Aterbane, proporcionou bom controle de Panicum repens e, em todas as doses e adjuvantes testados, promoveu controle excelente de Paspalum repens. O herbicida imazapyr, independentemente da dose testada, apresentou resultados insatisfatórios no controle das plantas de Panicum repens, porém promoveu um excelente controle de Paspalum repens; o herbicida diquat, apesar das duas aplicações e independentemente da dose utilizada, mostrou-se ineficiente para controle das duas espécies.
Two experiments were carried out to evaluate the susceptibility of Panicum repens and Paspalum repens Bergius to different herbicides applied in postemergence. The plants were cultivated in reservoirs and the treatments tested were: glyphosate (Rodeo) at 2,400, 3,360 and 4,320 g a.e. ha-1 plus Aterbane 0.5% v/v; glyphosate at 2,400, 3,360 and 4,320 g a.e. ha-1 plus Silwet 0,1% v/v; imazapyr (Arsenal) at 750 and 1,500 g a.e. ha-1, diquat (Reward) at 400 and 800 g a.i. ha-1 (in sequential applications of 200+200 g a.i. ha-1 and 400 + 400 g a.i. ha-1, respectively) and an untreated control. A CO2 backpack sprayer with 2 bars and consumption of 200 L ha-1 of spray solution was used.The experimental design was completely randomized with four repetitions. The control was evaluated visually and plant dry matter determined at the end of the study. The herbicide glyphosate at 4,320 g a.e. ha-1, regardless of the adjuvant used, and at 3,360 g a.e. ha¹ with Aterbane, provided a good control of Panicum repens, and an excellent control of Paspalum repens at all the doses tested; the herbicide imazapyr, regardless of the dose tested, presented unsatisfactory results in controlling Panicum repens plants, but provided an excellent control of Paspalum repens; the herbicide diquat was inefficient in controlling both species, despite the two applications and regardless of the dose applied.

Descrição

Palavras-chave

planta aquática, adjuvante, glyphosate, imazapyr, diquat, aquatic plant, adjuvant, glyphosate, imazapyr, diquat

Como citar

Planta Daninha. Sociedade Brasileira da Ciência das Plantas Daninhas , v. 22, n. 3, p. 453-460, 2004.