Associação das concentrações plasmáticas de proteína C-reativa com fatores de risco e componentes da síndrome metabólica e comorbidades

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2009-02-27

Autores

Moreto, Fernando [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A proteína C-reativa (PCR) é um marcador muito utilizado na caracterização do estresse inflamatório, uma co-morbidade frequentemente associada à presença de síndrome metabólica (SM) e seus componentes diagnóstico. Verificar os determinantes do estresse inflamatório associado à presença de SM e caracterizar suas causas. Participaram do estudo 435 indivíduos adultos acima de 40 anos de idade triados clinicamente para programa de mudança de estilo de vida. Foram submetidos a avaliações nutricionais, médica, de aptidão física e laboratorial e classificados como portadores ou não de SM conforme os critérios da NCEP-ATPIII modificado para valores de glicemia maiores que 100mg/dL. Os valores de PCR foram distribuídos em quartis, compondo três grupos (G1 <p25; G2 p25-p75; G3 >p75). Os testes estatísticos utilizados para processamento dos dados foram a descritiva, teste t de Student, ANOVA one-way, correlações de Pearson e razão de chance (Odds ratio - OR) com significância para p<0,05. Resultados: entre os indivíduos com as maiores concentrações de PCR (G3>p75) a prevalência de SM foi maior. Dentre os componentes da SM, as maiores concentrações de PCR foram observadas para circunferência abdominal (CA) e glicemia (Glic) com razão de chance (OR) para predizer o risco para elevação das concentrações de PCR de OR= 3,16 (IC=1,70 – 5,88) e OR=2,43 (IC=1,42 – 4,18) respectivamente. A contagem de leucócitos e a atividade da enzima hepática γ-glutamil transferase (Gama-GT) também apresentaram OR significante. Os valores de consumo máximo de oxigênio (VO2max) foram menores nos indivíduos com maiores concentrações de PCR. A SM cursa com estado pró-inflamatório induzido principalmente pelo acúmulo adiposo central e elevação da glicemia com participação importante do sedentarismo.
C-reactive protein (CRP) is a useful biomarker to characterize inflammatory stress, a pathological process associated with metabolic syndrome (MS) and its diagnosis components. To verify the determinants of the inflammatory stress associated with metabolic syndrome and characterize their causes. 435 adults subjects, ≥ 40 years old, were accessed to a life-stile change program. They were assessed nutritional, medical, physical and laboratorial and then classified with or without MS following the NCEP-ATPIII criteria, with glycemic abnormal values ≥ 100mg/dL. CRP values were distributed into groups: G1 (<p25), G2 (p25-p75) and G3 (>p75). Statistical tests used were descriptive, ANOVA one-way, Pearson’s correlation and Odds Ratio (OR), with statistical significance to p<0,05. Prevalence of MS was higher in those subjects with elevated CRP levels. Waist circumference and glucose were associated with higher CRP levels, with OR 3,16 (IC=1,70 – 5,88) and 2,43 (IC=1,42 – 4,18), respectively. Leukocytes counts and γ-glutamil transferase also presented significant OR. Cardiorespiratory fitness was lower in those subjects with higher CRP levels. The major determinants of inflammatory stress associated with MS were elevated adipose tissue deposition and hyperglycemia, with participation of the sedentarism.

Descrição

Palavras-chave

Metabolismo, Estilo de vida sedentário, Obesidade, C-reactive Protein, Metabolic syndrome, Leukocytosis

Como citar

MORETO, Fernando. Associação das concentrações plasmáticas de proteína C-reativa com fatores de risco e componentes da síndrome metabólica e comorbidades. 2009. 50 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Medicina, 2009.