Avaliação das atividades antinociceptiva e anti-inflamatória do extrato diclorometano das raízes de Arrabidaea brachypoda (dc.) Bureau em camundongos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2017-03-03

Autores

Rodrigues, Vinícius Peixoto [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A dor é um dos principais indicadores de enfermidade. Ela é uma sensação desagradável, complexa e extremamente subjetiva, relacionada a algum estímulo lesivo ou potencialmente lesivo ao organismo. Quando esses estímulos danificam tecidos do organismo a resposta inflamatória é iniciada. Essa resposta é necessária para a resolução de diversos danos e essencial para a defesa do organismo. A inflamação é uma resposta vascular realizada por mediadores inflamatórios. Se houver falha neste processo pode haver a perda da função tecidual. A abordagem mais comum para reduzir a dor e a inflamação é através do uso de medicamentos anti-inflamatórios não esteroidais (AINEs). Entretanto, o uso destes fármacos sem as devidas orientações, ou por longos períodos, pode levar ao aparecimento de sérias reações adversas como as úlceras pépticas. Uma alternativa para o tratamento da dor e inflamação é o uso de espécies vegetais com propriedades medicinais. Nesse contexto, a espécie Arrabidaea brachypoda é uma espécie medicinal comumente utilizada nas regiões sudeste e nordeste brasileira para o tratamento de cálculo renal e dores nas articulações. Considerando a utilização popular da planta, o objetivo do projeto foi avaliar a ação antinociceptiva e anti-inflamatória do extrato diclorometano das raízes de A. brachypoda (DEAB) em modelos experimentais in vivo e seus mecanimos de ação. Neste trabalho avaliamos a toxicidade aguda do DEAB e também o efeito desse extrato sobre a performance motora dos animais. A avaliação da atividade nociceptiva do DEAB foi realizada através do teste da formalina. A caracterização dos mecanismos de ação antinociceptivo do DEAB foram realizados através de testes caracterizaram o envolvimento de receptores TRPV1, TRPA1, TRPM8 e ASICS, além da participação dos sistemas opioidérgico, glutamatérgico e o envolvimento supraespinhal na antinocicepção do extrato. Avaliamos também a ação antiedematogênica e anti-inflamatória do extrato pelo modelo de edema de orelha induzido por xilol e ácido araquidônico. Os resultados obtidos demonstram a ausência de toxicidade aguda por via oral do DEAB, caracteriza o envolvimento dos receptores TRPM8, ASIC e do sistema opiodérgico na sua atividade antinociceptiva, além do seu efeito antiedematogênico ao combater o efeito do xilol na indução do edema. Os resultados obtidos até o presente indicam o grande potencial do extrato de A. brachypoda como recurso terapêutico para o tratamento da dor e inflamação.
Pain is one of the main indicators of illness. It is an unpleasant, complex, and extremely subjective sensation related to a harmful or potentially harmful stimulus to the body. When these stimuli damage any body’s tissues the inflammatory response is initiated, this reaction is necessary for the resolution of several damages and essential for the defense of the organism. Inflammation is a vascular response performed by inflammatory mediators. If this process fails, there may be loss of tissue function. The most common approach to reducing pain and inflammation is through the use of non-steroidal anti-inflammatory drugs (NSAIDs). However, the use of these drugs without proper guidelines, or for long periods, can lead to the appearance of serious adverse reactions such as peptic ulcers. An alternative for the treatment of pain and inflammation is the use of plant species with medicinal properties. In this context, the species Arrabidaea brachypoda is a medicinal species commonly used in the southeastern and northeastern Brazilian regions for the treatment of kidney stones and joint pain. Considering the popular use of the plant, the objective of this project was to evaluate the antinociceptive and anti-inflammatory action of the dichloromethane extract of the roots of A. brachypoda (DEAB) in in vivo experimental models and its action mechanisms. In this work we evaluate the acute toxicity of DEAB and also the effect of this extract on the motor performance of the animals. The evaluation of the nociceptive activity of the DEAB was performed through the formalin test. The characterization of the mechanisms of antinociceptive action of DEAB were performed through tests characterized the involvement of TRPV1, TRPA1, TRPM8 and ASICS receptors, as well as the participation of the opioidergic, glutamatergic and supraspinal systems in antinociception of the extract. We also evaluated the anti-edematogenic and anti-inflammatory actions of the extract through the models of ear edema induced by xylene or arachidonic acid. The results demonstrate the absence of acute oral toxicity of DEAB, characterized the involvement of TRPM8, ASIC receptors and the opioidergic system in its antinociceptive activity, as well as its anti-edematogenic effect in combating the effect of xylene on the induction of edema. The results obtained to date indicate the great potential of the extract of A. brachypoda as a therapeutic resource for the treatment of pain and inflammation.

Descrição

Palavras-chave

Dor, Nocicepção, Inflamação, Arrabidaea brachypoda, Pain, Nociception, Inflammation

Como citar