Biologia da broca do pedúnculo floral de coqueiro (Homalinotus coriaceus (Gyllenhal, 1836), coleoptera : curculionidae) em três dietas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2002-02

Autores

Sarro, Fernanda Bueno [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Como a broca do pedúnculo floral, Homalinotus coriaceus, é uma das pragas limitantes da produção de coco no Brasil, provocando a queda das flores femininas e dos frutos imaturos, pela interceptação do fluxo de seiva, realizou-se esse trabalho com o objetivo de obter informações sobre sua biologia e comportamento e desenvolver uma metodologia de criação em laboratório. Toletes de cana-de-açúcar foram utilizados como substrato para alimentação e oviposição dos adultos coletados no campo, na região de Saquarema - RJ. As fêmeas colocaram ovos individualizados a intervalos de tempo que variaram de 2 a 60 dias, cujo período de incubação variou de 6 a 14 dias. As larvas foram criadas em três dietas no Laboratório de Entomologia da EMBRAPA Centro de Pesquisa Agropecuários Tabuleiros Costeiros, em Aracajú, SE, à temperatura de 25+2°C, umidade relativa de 70+10% e fotofase de 12 horas. As dietas quepossibilitaram o desenvolvimento larval foram: o mesocarpo de coco; a dieta da broca do olho do coqueiro e a dieta para criação da broca dos citros, sendo esta a que proporcionou o melhor desenvolvimento larval e a obtenção de adultos perfeitos. As larvas se desenvolveram em 112 dias passando por 5 a 7 ínstares. O período pupal médio foi de 30 dias. A longevidade do adulto de H. coriaceus pode variar de 9 meses a 2 anos, sendo o ciclo total médio de ovo a adulto de 5 meses. Os adultos criados no laboratório apresentaram um volume corpóreo menor do que o obtido no campo. Os machos apresentaram fototaxia negativa, enquanto que as fêmeas não. As observações realizadas nos campos experimentais da EMBRAPA Tabuleiros Costeiros no município de Ilha das Flores/ SE permitiram verificar que os adultos de H. coriaceus ficam preferencialmente alojados nos cachos das folhas 9 e 10 e que a subvariedade preferida por essa praga é o coqueiro anão-verdede- Jiqui.
The Black coconut bunch weevil, Homalinotus coriaceus is an important coconut pest in Brazil, making the female flowers and immature fruits fall down. This paper aimed to get information about its biology and behavior and develop a laboratory rearing methodology. Sugar cane pieces were the adults nourishment and the oviposition substrate. To start the laboratory rearing in EMBRAPA Coastal Tableland Research Center Entomology Laboratory, the adults were collected from Saquarema, RJ, coconut crops. Females used to lay their isolated eggs at intervals from 2 to 60 days. Incubation period ranged from 6 to 14 days. The larvae were reared in three diets at temperature of 25+2°C, relative humidity of 70+10% and photophase of 12 h. The three different diets where the larvae developed were coconut mesocarp, coconut American palm weevil diet and citrus stem borer diet. The citrus stem borer diet provided the best larval development and the best adults. The larval development period was 112 days, with 5 to 7 instars. The mean pupal period was 30 days. The adult longevity reached from 9 months to 2 years. The mean total cycle (from egg to adult) was 5 months. Laboratory adults reared showed body volume smaller than the adults from the field. The males showed negative phototaxis, but females did not. The observations done in Ilha das Flores/ SE, experimental fields showed that H. coriaceus adults preferred to stay in the bunchs of the 9th and 10th leaves. It was also observed that anão-verde-de-Jiqui coconut cultivar was the most preferred by this species.

Descrição

Palavras-chave

Broca (Inseto), Coqueiro, Coleoptera, Pragas agricolas

Como citar

SARRO, Fernanda Bueno. Biologia da broca do pedúnculo floral de coqueiro (Homalinotus coriaceus (Gyllenhal, 1836), coleoptera : curculionidae) em três dietas. 2002. xvi, 70 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, 2002.