O ensino remoto emergencial na unesp devido à pandemia de covid-19: uma análise baseada na percepção estudantil

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-11-29

Orientador

Spalding, Marianne [Unesp]

Coorientador

Pós-graduação

Biopatologia Bucal - ICT

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

With the advancement of the Covid-19 pandemic around the world, its negative impacts have been increasingly evident. As a consequence, there was a temporary closure of educational institutions in many countries, including Brazil. With the presented scenario, it was necessary to seek strategies for the continuity of the educational process. Thus, Emergency Remote Education, through the use of digital tools, has been presented as one of the alternatives used for the development of educational actions during the period of isolation. Therefore, this study aims to analyze the perception of students of college education courses on different campuses at Universidade Estadual Paulista - Unesp regarding the use of digital tools applied remotely in an emergency during the period of social distance, as well as the possible impacts on perception of learning. An analytical quantitative research, of a descriptive nature, was adopted as a methodological instrument through the application of a questionnaire, offered to students from 136 undergraduate courses on the 24 Unesp campuses. The partial results, which make up the sample, show the participation of 1,278 students. Of these, 66% (including health courses) had only theoretical classes, not in person and 18.8% had classes totally suspended. Of the sample participants, 69.4% considered their performance to be unsatisfactory during non-classroom classes. Compared to face-to-face classes, 68.3% of the students considered that their performance was inferior. As for learning, 78.4% had the perception that it was worse in relation to face-to-face classes. In addition, 83.2% of students stated that non-face-to-face classes are worse when compared to face-to-face classes, with preference (78.6%) for face-to-face classes. Regarding the students' perception, most had a predilection for on-site teaching, when compared to remote teaching, during the initial period of the pandemic. However, remote learning proved to be feasible, as it was the only alternative for the period.

Resumo (português)

Com o avanço da pandemia da Covid-19, seus impactos têm sido cada vez mais evidentes. Como efeito, houve o fechamento temporário de instituições de ensino em inúmeros países, incluindo o Brasil. Com o cenário apresentado, foi necessário buscar estratégias para a continuidade do processo educacional. O Ensino Remoto Emergencial, por meio do uso de ferramentas digitais, tem se apresentado como alternativa para o desenvolvimento de ações educacionais durante o isolamento. O presente estudo analisa a percepção dos estudantes de cursos superiores de diferentes campi da universidade estadual paulista – Unesp, com relação ao uso de ferramentas digitais, aplicadas de forma remota emergencial, bem como os possíveis impactos na percepção da aprendizagem. Foi realizada uma pesquisa quantitativa analítica, de natureza descritiva, com dados levantados por meio da aplicação de questionário. O público-alvo incluiu discentes de 136 cursos de graduação dos 24 campi da Unesp. Os resultados que compõe a amostra apresentam a participação de 1.278 estudantes. Destes, 66% (incluindo cursos da área da saúde) tiveram somente aulas teóricas, não presenciais e 18,8% tiveram aulas totalmente suspensas. Dos participantes da amostra, 69,4% consideraram seu desempenho insatisfatório durante as aulas não presenciais. Comparando com aulas presenciais, 68,3% dos discentes consideraram que seu desempenho foi inferior. Quanto ao aprendizado, 78,4% teve a percepção de que foi pior em relação às aulas presenciais. Ademais, 83,2% dos alunos afirmaram que as aulas não presenciais são piores, quando comparadas às presenciais, tendo preferência (78,6%) por aulas presenciais. Em relação à percepção dos estudantes, a maioria teve predileção pelo ensino presencial, quando comparado ao ensino remoto, durante o período inicial de pandemia. No entanto, o ensino remoto se apresentou exequível, por se tratar da única alternativa para o período.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Financiadores