Efeito da radiação UV -B na interação Botrytis cinerea – clonostachys rosea em morangueiro e do ácido 4 - aminobenzóico no controle do patógeno em tabaco

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2014-07-24

Orientador

Bettiol, Wagner

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (inglês)

The incidence of ultraviolet (UV 100 to 400 nm) in the earth , especially UV - B radiation (280 - 320 nm) is being altered with climate change. The solar radiation is an import ant component for the development of microorganism in the environment, thus is important evaluate the tolerance of plant pathogens as well as the biocontrol agents to UV - B radiation. T he present study aimed to study the interaction of strawberry x Botrytis cinerea x Clonostachys rosea x UV - B radiation. There were significantly differences among the thirteen B. cinerea strains in relation to spore germination and sporulation on leaf disks after irradiation ranging from 2.9 to 8.9 KJ m - 2 . The relative germina tion ranged from 95 to 75% and the sporulation varied more than 100% among B. cinerea strains after exposure to 4 radiation of 6.4 KJ m - 2 . The LQC - 150 strain showed high germination and sporulation on leaf disk after irradiation and was selected as a toleran t strain. Survival curve of B. cinerea strain LQC - 150 showed lethal dose 50 (LD 50 ) of 6.2 KJ m - 2 . The sporulation of both fungi on leaf disks was inversely proportional to the dose of UV - B radiation, while inoculated alone. When confronted in the same leaf disk and not irradiated, C. rosea reduced the incidence of the pathogen and its sporulation in about 50% and 80%, respectively. However, the ability of C. rosea to control B. cinerea on leaf disks was gradually reduced with the increase of UV - B radiation, reaching 20% and 50%, respectively for pathogen incidence and sporulation, on higher UV - B doses. When the bioagent was applied in the morning, the development was lower than when applied afternoon. The effect of PABA in the induction of resistante in plan ts of Nicotiana benthamiana against B. cinerea was evaluated and it was found that plants treated with PABA were more resistant to the pathogen. The evaluations of size of plants and leaves ...

Resumo (português)

A incidência de radiação ultravioleta (UV 100 a 400 nm) na terra , em especial a radiação UV - B (280 - 320 nm), por ser filtrada exclusivamente pela camada de ozônio e apresentar grande efetividade biológica , quando comparada com os outros espectros da radiação UV , está sendo alterad a com as mudanças climáticas . Sendo a radiação solar um importante componente climático durante o desenvolvimento de um microrganismo no ambiente, se fez necessário avaliar a tolerância de fitopatógenos, bem como de agentes de biocont role à radiação UV - B . Assim , o presente trabalho teve como objetivo s estudar alguns aspectos d a interação morangueiro × Botrytis cinerea × Clonostachys rosea × radiação UV - B. Nos estudos foram observadas diferença s significativa s entre os 13 isolados de B. cinerea em relação a germinação de esporos e esporulação em discos de folhas de morango após irradiação com UV - B de 2, 9 a 8, 9 KJ m - 2 . A germinação relativa variou de 75% a 9 5% e a esporulação variou em mais do que 100% entre os isolados de B. cinerea após exposição à radiação UV - B de 6,4 KJ m - 2 . O isolado LQC - 150 de B. cinerea apresentou maior germinação e esporulação em discos de folhas após irradiação e foi selecionado como o mais tolerante. O isolado LQC - 150 de B. cinerea apresentou LD 50 de 6,2KJ m - 2 . A esporulação de ambos os fungos em discos de folhas de morangueiro , quando inoculados individualmente, foi inversamente proporcional ...

Descrição

Idioma

Português

Como citar

COSTA, Lúcio Bertoldo. Efeito da radiação UV -B na interação Botrytis cinerea – clonostachys rosea em morangueiro e do ácido 4 - aminobenzóico no controle do patógeno em tabaco. 2014. viii, 87 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas de Botucatu, 2014.

Itens relacionados

Financiadores