Reflexões sobre a abordagem Open Dialogue e um estudo em Nova Iorque e Vermont

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2019-08-08

Autores

Barros, Ana Carolina Florence de

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Esta pesquisa de Doutorado apresenta a história, as evidências e os princípios da abordagem Open Dialogue (OD) e investiga a recepção norte-americana desta abordagem em dois estados: Nova Iorque e Vermont. Originalmente desenvolvida na Finlândia, a abordagem OD é uma forma de psicoterapia e um modo de organizar sistemas de saúde mental. Nos últimos anos, o interesse nesta abordagem tem crescido em função de seus resultados positivos, especialmente no tratamento do primeiro episódio psicótico, e tem sido adaptada em diversos lugares do mundo. A maneira como esta abordagem foi recebida e adaptada nos Estados Unidos foi por nós estudada em Vermont e Nova Iorque. Para tanto, empregou-se a metodologia qualitativa. Foram conduzidas 6 visitas a campo, 16 entrevistas qualitativas e 2 grupos focais. A população selecionada para este estudo incluiu pacientes, familiares, membros das equipes e membros da comunidade. A análise dos dados empregou a descrição qualitativa informada pela fenomenologia. Os dados mostraram que, em Vermont, uma estratégia de implementação gradual com treinamentos pequenos ao longo de anos tem expandido a oferta de serviços na perspectiva OD. Trabalhadores receberam positivamente a abordagem e pacientes e familiares tiveram experiências positivas de tratamento, sentindo-se mais escutados e menos estigmatizados. Em Nova Iorque, o programa Parachute foi financiado pelo governo federal dos Estados Unidos para a implementação de 4 Centros de Crise e 4 Equipes Móveis trabalhando na perspectiva OD. O Programa foi interrompido depois de 3 anos. Os desafios e o contexto da implementação do Parachute NYC foram discutidos neste trabalho.
This doctoral research presented the history, evidence and principles of the Open Dialogue (OD) approach and investigated the north american reception of this approach in two states: New York and Vermont. Originally developed in Finland, the OD approach is a form of psychotherapy and a way to organize mental health systems. In the past years there has been a growing interest in the approach due to reported positive outcomes, especially in first episode psychosis. It has been adapted in different places around the world. The way this approach was received and adapted in the United States was studied in New York and Vermont. This study employed qualitative methodology to do so. It comprised 6 field visits, 16 qualitative interviews and 2 focus groups. The study sample included patients, family members, members of the community and staff in two research sites. Data analysis was conducted through qualitative description informed by phenomenology. Data showed that, in Vermont, a bottom-up implementation strategy with small trainings over the years has been expanding services informed by OD. Staff had a positive experience with the approach and patients and family members as well, feeling listened to and less stigmatized. In New York, the Parachute Program was funded by the US Federal Government to implement 4 Respite Center and 4 Mobile Crisis Teams to work with the OD approach. The program was discontinued after 3 years. The challenges and the context of Parachute NYC’s implementation were discussed in this thesis.

Descrição

Palavras-chave

psicoterapia, saúde mental, psicoses

Como citar