Distâncias biológicas: influência da distância do ponto de contato interproximal até a crista óssea e da distância das faces interproximais de dentes adjacentes sobre a presença ou ausência da papila gengival interproximal

Imagem de Miniatura

Data

2003-02-17

Autores

Perez, Fabiano [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O objetivo deste trabalho foi o de observar a previsibilidade da presença ou ausência da papila gengival interproximal, em relação à distância do ponto de contato interproximal dentário até a crista óssea, e da distância das faces interproximais de dentes adjacentes. Para isso, foram selecionados pacientes divididos em 3 grupos com faixas etárias distintas, sendo que o grupo 1 ia dos 20 aos 30 anos, o grupo 2 ia dos 31 aos 40 anos, e o grupo 3 ia dos 41 aos 50 anos. Os pacientes eram, então, submetidos a um exame clínico que tinha por objetivo a constatação da presença ou ausência da papila gengival nas áreas examinadas. Essas áreas situavam-se entre os incisivos centrais superiores, e entre o canino e o primeiro pré-molar superior. Assim, ambas as regiões, anterior e superior, foram estudadas. Para ser considerada presente, a papila gengival deveria ocupar todo o espaço interproximal, não deixando nenhum espaço visível da área interproximal. Depois do exame clínico, os pacientes eram submetidos a tomadas radiográficas das regiões anterior e posterior, sendo que uma tela milimetrada (grid) com fios de bário era adaptada junto ao filme para que a imagem radiográfica obtida pudesse ser mensurada mais satisfatoriamente. Depois de obtidas as radiografias, as medidas eram realizadas e relacionadas com a presença ou ausência da papila gengival. Com a análise dos dados obtidos, permitiu-se concluir que a região anterior apresenta uma tendência maior à ausência da papila gengival interproximal. Além disso, verificou-se que a idade dos pacientes não interferiu na presença ou ausência da papila gengival. Por fim, observou-se que a distância das raízes adjacentes não interferiu nos resultados obtidos, o que não aconteceu com a distância do ponto de contato interproximal até a crista óssea, já que esse fator teve grande influência sobre a presença ou ausência da papila gengival interproximal.
The purpose of this work was to observe the predictability of the presence or absence of the gingival papilla, in relation to the distance from dental contact point to the crest of the bone, and in relation to the distance between the interproximal faces of adjacent teeth. For that they were selected 45 patients, divided into 3 well defined age groups: Group 1: 20 to 30 years old; Group 2: 31 to 40 years old and Group 3: 41 to 50 years old. The patients were submitted to a clinical examination to verify the presence or absence of the gingival papilla on the examined areas. Those areas were between the maxillary cuspids and maxillary bicuspids, so, they were studied both anterior and posterior regions. If the gingival papilla occupied all interproximal site and didn't last any visible area of that, it was deemed to be present. After the clinical examination, the patients were submitted to radiographic examinations of the anterior and posterior regions, with a radiographic grid with barium wires, copled to the film, permitting correct measurements. The measurements were made on the obtained radiographs and related to the presence or absence of the gingival papilla. From the obtained results, it was concluded that the anterior region presents a high tendency to show the absence of the interproximal gingival papilla. Moreover, the age factor had no influence on the presence or absence of the gingival papilla. Finally, it was observed that the distance of adjacent roots didn't influenced on the obtained results, what didn't occur with the distance between the contact point and the crest of the bone, since this factor showed high influence on the presence or absence of the interproximal gingival papilla.

Descrição

Palavras-chave

Gengiva, Gingiva, Biological distances

Como citar

PEREZ, Fabiano. Distâncias biológicas: influência da distância do ponto de contato interproximal até a crista óssea e da distância das faces interproximais de dentes adjacentes sobre a presença ou ausência da papila gengival interproximal. 2003. 102 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Odontologia de Araraquara, 2003.