Análise da relação entre a flexibilidade dos isquiotibiais com a força muscular e sua resposta a liberação miofascial

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-06-10

Autores

Goulart, Murilo Ruiz [UNESP]
Ferreira, Antonio Carlos Alasmar [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

INTRODUCTION: The decrease in flexibility can contribute to postural changes, a deficit in the ability to produce strength and predispose to injuries. Currently, several myofascial release techniques work to improve muscle flexibility. OBJECTIVE: To analyze the relationship between flexibility and joint strength and to verify the acute effect of two myofascial release modalities on hamstring flexibility. METHODS: 45 women participated in this study, divided into: Manual Liberation Group, Instrumental Liberation Group and Control Group. A sit and reach test, a third floor finger test, an assessment of the popliteal angle and an assessment of knee flexion joint strength were performed. Afterwards, the volunteers received a myofascial release session in the hamstring muscle group. After treatment, the volunteers were reevaluated. Results: Both groups that received myofascial release performed better in the flexibility tests. There was no correlation between hamstring flexibility and knee flexion muscle strength. Conclusion: The flexibility of the hamstring muscles did not influence the ability to produce knee flexion torque and both myofascial release techniques were effective in improving the flexibility of this musculature.
INTRODUÇÃO: A diminuição da flexibilidade pode contribuir para alterações posturais, déficit na capacidade de produzir força e predispor a lesões. Atualmente, diversas técnicas de liberação miofascial atuam para melhorar a flexibilidade da musculatura. OBJETIVO: Analisar a relação entre flexibilidade e força muscular dos flexores de joelho e verificar efeito agudo de duas modalidades de liberação miofascial sobre a flexibilidade dos isquiotibiais. MÉTODOS: Participaram deste estudo 45 mulheres divididas em: Grupo Liberação Manual, Grupo Liberação Instrumental e Grupo Controle. Foi realizado teste de sentar e alcançar, teste do terceiro dedo chão, avaliação do ângulo poplíteo e avaliação da força muscular de flexão de joelho. Posteriormente, as voluntárias receberam uma sessão de liberação miofascial no grupo muscular isquiotibial. Após o tratamento, as voluntárias foram reavaliadas. Resultados: Ambos os grupos que receberam liberação miofascial apresentaram melhor desempenho nos testes de flexibilidade. Não houve correlação entre flexibilidade dos isquiotibiais e capacidade de produzir torque articular de flexão de joelho. Conclusão: A flexibilidade dos músculos isquiotibiais não influenciou na habilidade de produzir torque de flexão de joelho e ambas as técnicas de liberação miofascial foram eficazes para melhorar a flexibilidade dessa musculatura.

Descrição

Palavras-chave

Joint range of motion, Musculoskeletal manipulations, Fáscia, Amplitude de movimento articular, Manipulações musculoesqueléticas

Como citar