Efeito do espaçamento na interferência das plantas daninhas na cultura do amendoim

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2007-02-23

Autores

Dias, Tomás Carneiro de Souza [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A presente pesquisa objetivou avaliar o efeito da redução do espaçamento entrelinhas sobre os períodos de interferência e a produtividade do amendoim rasteiro (Arachis hypogaea cv. Runner IAC 886). O experimento foi instalado no município de Jaboticabal, SP, em um Latossolo Vermelho de textura média. Os tratamentos constaram de dois espaçamentos entrelinhas de semeadura (80 e 90 cm), divididos em dois grupos. No primeiro as plantas daninhas foram controladas desde a emergência até os 0 (inteiramente no mato), 30, 45, 60, 82, 97 e 112 dias. Após estes períodos, as plantas daninhas que germinaram foram deixadas crescer livremente. No segundo, as plantas daninhas conviveram com a cultura pelos mesmos períodos do grupo anterior, sendo que após cada período foram removidas das parcelas. O delineamento experimental foi o de parcelas subdivididas, nas quais se constituíram por parcelas os diferentes espaçamentos e por subparcelas os períodos, totalizando 28 tratamentos em quatro repetições. As principais plantas daninhas presentes na área foram Digitaria sp., Xanthium strumarium, Acanthospermum hispidum e Cenchrus echinatus. Para uma perda tolerável de 5% de produtividade, o período crítico de prevenção da interferência foi dos 27 aos 76 e dos 35 aos 96 dias após a emergência para os espaçamentos de 80 e 90 cm, respectivamente, sendo que a queda de produtividade das parcelas mantidas no mato em relação às no limpo foi de mais de 80%, independentemente do espaçamento.
The research was conducted to evaluate the effect of reduced row spacing on the extension of interfeence periods on peanut yield (Arachis hypogaea cv. IAC Runner 886). The experiment was conducterd in Jaboticabal, SP, Brazil, on a Red- Latosol of medium texture. The treatments consisted of two row spacing (80 and 90 cm), divided in two groups. At the first one, the weeds were controlled since the emergence until 0 (kept with the weeds), 30, 45, 60, 82, 97 and 112 days after the peanut emergence. After those periods, the weed emerged and grew without control. At the second group, the weed grew since the peanut emergence during the same periods from the first group, however, at each period the weeds were removed from the plots. The experimental design was the split-plot scheme, being the main plots constituted by different row spacing and subplots constituted by periods of weedy or weed control, in a whole of 28 treatments with four replicates. The main weed at the area where: Digitaria sp., Xanthium strumarium, Acanthospermum hispidum and Cenchrus echinatus. To an acceptable yield loss of 5%, the critical period of interference control was from 27 to 76 and from 35 to 96 days after the emergence at the spacing rows of 80 and 90 cm, respectively, but the yield reduction at the non-controlled weed plots related to the plots free from interference was more than 90%, independent of the row spacing.

Descrição

Palavras-chave

Amendoim - Cultivo, Erva daninha, Planta daninha, Peanut runner

Como citar

DIAS, Tomás Carneiro de Souza. Efeito do espaçamento na interferência das plantas daninhas na cultura do amendoim. 2007. iii, 44 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2007.