Efeitos do extrato aquoso de Ottonia martiana Miq. (Piperaceae), como anestésico local, para o exame oftálmico, em cães

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2010-02-23

Autores

Lisbão, Carolina Bonduki Salles [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Estudaram-se os efeitos anestésicos do extrato aquoso das folhas da Ottonia martiana, sobre a superfície ocular de cães hígidos, adultos, oftalmologicamente sadios, da raça Beagle. Compuseram-se três grupos de tratamento (n=15): grupo controle (GC), grupo proximetacaína (GP) e grupo Ottonia (GO), tratados respectivamente com solução fisiológica, colírio de cloridrato de proximetacaína a 0,5% e extrato aquoso de O. martiana na concentração de 18 mg/mL. Antes dos tratamentos, foram realizados o teste lacrimal de Schirmer a, a pressão ocular (POa) e a estesiometria corneal (Ea). Os tratamentos foram realizados no tempo 0 (T0) e decorridos 3 minutos (T3). Avaliaram-se a sensibilidade axial da córnea por estesiometria, após 5 e 10 minutos de T0, e a produção lacrimal e a pressão ocular, decorridos 10 minutos de T0. Realizaram-se a biomicroscopia com lâmpada em fenda, aos 10 e 20 minutos de T0, e o teste do tingimento pela fluoresceína, aos 20 minutos de T0. Os resultados foram comparados empregando-se o teste t de Student e de análise de variância Kruskal-Wallis, com nível de significância P ≤ 0,05. Relativamente à estesiometria, houve diminuição da sensibilidade corneal nos grupos GP e GO. Relativamente ao teste de Schirmer, observou-se diminuição no GP. Observou-se alteração clínica somente no GP, onde 13 animais apresentaram hiperemia conjuntival. Concluiu-se que a utilização do extrato aquoso de O. martiana como anestésico local no exame oftálmico em cães é factível e que a sua utilização não diminui a produção lacrimal nem causa alterações clínicas na superfície ocular de cães
The anesthetics effects of aqueous extract of Ottonia martiana leaves on dog’s ocular surface were studied. Forty five healthy, adult, ophthalmologically healthy Beagles were used and divided into three groups (n=15): control group (CG), proxymetacaine group (PG), and Ottonia group (OG). They were treated with 0,9% sodium chloride solution, 0,5% proxymetacaine hydrochloride and aqueous extract of O. martiana (18 mg/mL), respectively. The Schirmer tear test 1 (Schirmer 1), intraocular pressure (PO-1), and corneal esthesiometry (E0) was performed before the treatments. The animals received 1 drop of the respective treatment at time 0 (T0) and 3 minutes later (T3). Corneal sensibility was evaluated by esthesiometry, 5 and 10 minutes after T0. Lacrimal production and intraocular pressure were measured 10 minutes after T0. Slit lamp microscopy was performed 10 and 20 minutes after T0. Fluorescein staining was performed 20 minutes after T0. Student t-test and Kruskal-Wallis analysis of variance were used to compare the results. A P value of 0.05 or less was considered statistically significant. Esthesiometry revealed decrease in cornea sensibility on PG and OG groups. An significant decrease of lacrimal production was observed for PG. No significant clinical alteration was observed in OG. Mild conjunctival hyperemia was noticed in 13 animals of PG. It was concluded that the use of aqueous extract of O. martiana as a local anesthetic for ophthalmic examination in dogs is viable and that its use neither reduces the tear production nor causes clinical alterations on ocular surface of dogs

Descrição

Palavras-chave

Dog, Cornea, Anesthesia, Ottonia martiana, Piperaceae, Cão, Córnea, Anestesia, Piperacea, Ottonia martiana

Como citar

LISBÃO, Carolina Bonduki Salles. Efeitos do extrato aquoso de Ottonia martiana Miq. (Piperaceae), como anestésico local, para o exame oftálmico, em cães. 2010. xvi, 46 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, 2010.