Avaliação do potencial cicatrizante de uma nanoemulsão contendo extrato de própolis verde no tratamento de feridas de ratos hiperglicêmicos infectadas com Staphylococcus aureus resistentes a meticilina.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-01-31

Orientador

Pellizzon, Claudia Helena

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Ciências Biomédicas - IBB

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Trabalho de conclusão de curso

Direito de acesso

Acesso restrito

Resumo

Resumo (português)

A Diabetes é doença crônica que acomete milhões pelo mundo. Entre as várias complicações que acometem os pacientes, as úlceras cutâneas são um fator que provoca grande mal-estar físico e social, devido a exposição e constrangimento que as feridas promovem. Buscando terapias alternativas para a cicatrização dessas feridas, foi desenvolvida um hidrogel de nanoemulsão contendo extrato de própolis verde 6%, cuja planta possui atividade anti-inflamatória já estudada. Assim, foi realizada uma análise quantitativa do extrato padronizado de própolis verde por HPLC, onde mostrou a presença de ácido cumárico, artepelin C e bacarina, correspondendo a 3,2%, 16,8% e 2,3% (m/m), respectivamente. Após a análise fitoquímica do extrato obtido, foi desenvolvida uma Nanoemulsão do tipo óleo/água contendo extrato de própolis verde (NE-PV). Formulada a nanoestrutura, foi realizado um teste de viabilidade celular realizado em células HaCat (queratinócitos humanos) que indicou baixa toxicidade da nanoestrutura obtida. Posteriormente, um hidrogel de uso tópico foi desenvolvido e apresentou estabilidade física em testes preliminares após a incorporação de NE-PV ao longo de 30 dias de análises em três temperaturas diferentes (ambiente, estufa e geladeira). Para os testes in vivo, foram utilizados ratos Wistar machos, os quais foram submetidos à indução de hiperglicemia por única aplicação intraperitoneal de estreptozotocina. Após 5 dias de indução de hiperglicemia, foi procedido a anestesia e, posteriormente, a indução de feridas na região dorsal. Em seguida, o inoculo bacteriano (S. aureus (USA 300) resistente à meticilina) foi aplicado na lesão cirúrgica dos animais e em seguida foram coletados swabs periódicos para a determinação da UFC/Ml (Unidades formadoras de colônias por mililitro). Os animais foram tratados com Hidrogel de Nanoemulsão contendo extrato de própolis 6% por 10 dias e realizada a eutanásia no décimo primeiro dia. A análise da retração das feridas mostrou que nos grupos tratados com Mupirocina, Hidrogel de Nanoemulsão com Própolis Verde 6% e Própolis Verde 6% Livre apresentaram um alto percentual de retração significativamente melhor que o grupo com feridas infectadas sem tratamento. A determinação de UFC/mL mostrou uma redução significativa na infecção nos grupos tratados com Mupirocina, Hidrogel de Nanoemulsão com Própolis Verde 6% e Própolis Verde 6% Livre. Dessa forma, os resultados obtidos indicam que a nanoemulsão desenvolvida é um sistema interessante para encapsular o extrato de própolis verde (PV), possuindo propriedades cicatrizante e antibacteriana, efeitos possivelmente relacionados ao potencial efeito anti-inflamatório da própolis.

Resumo (inglês)

Diabetes is a chronic disease that affects millions around the world. Among the various complications that affect patients, skin ulcers are a factor that causes great physical and social discomfort, due to the exposure and embarrassment that the wounds cause. Seeking alternative therapies for the healing of these wounds, a nanoemulsion hydrogel containing 6% green propolis extract was developed, whose plant has anti-inflammatory activity already studied. Thus, a quantitative analysis of the standardized extract of green propolis was carried out by HPLC, which showed the presence of coumaric acid, artepelin C and bacarin, corresponding to 3.2%, 16.8% and 2.3% (m/m) , respectively. After the phytochemical analysis of the obtained extract, an oil/water Nanoemulsion containing green propolis extract (NE-PV) was developed. Once the nanostructure was formulated, a cell viability test was carried out in HaCat cells (human keratinocytes), which indicated low toxicity of the obtained nanostructure. Subsequently, a hydrogel for topical use was developed and showed physical stability in preliminary tests after the incorporation of NE-PV over 30 days of analysis at three different temperatures (room, oven and refrigerator). For the in vivo tests, male Wistar rats were used, which were submitted to the induction of hyperglycemia by a single intraperitoneal application of streptozotocin. After 5 days of induction of hyperglycemia, anesthesia was performed and, subsequently, wounds were induced in the dorsal region. Then, the bacterial inoculum (S. aureus (USA 300) resistant to methicillin) was applied to the surgical wound of the animals and then periodic swabs were collected to determine the CFU/Ml (Colony Forming Units per milliliter). The animals were treated with Nanoemulsion Hydrogel containing 6% propolis extract for 10 days and euthanasia was performed on the eleventh day. The analysis of the retraction of the wounds showed that the groups treated with Mupirocin, Nanoemulsion Hydrogel with Green Propolis 6% and Green Propolis 6% Free presented a high percentage of retraction significantly better than the group with untreated infected wounds. The determination of CFU/mL showed a significant reduction in infection in the groups treated with Mupirocin, Nanoemulsion Hydrogel with Green Propolis 6% and Green Propolis 6% Free. Thus, the results obtained indicate that the developed nanoemulsion is an interesting system to encapsulate the green propolis extract (PV), having healing and antibacterial properties, effects possibly related to the potential anti-inflammatory effect of propolis.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados