Efeitos das cardioplegias sangüínea e cristalóide no miocárdio hipertrófico de coelho: avaliação estrutural e ultra-estrutural

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2007-03-01

Orientador

Coorientador

Pós-graduação

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Tipo

Artigo

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

OBJETIVO: Comparar e avaliar experimentalmente as alterações estruturais e ultra-estruturais em corações hipertrofiados isolados de coelhos submetidos à parada protegida pela solução de cardioplegia sangüínea e cardioplegia cristalóide. MÉTODO: O estudo compreendeu um grupo controle e dois grupos experimentais. No grupo I, a parada cardíaca foi obtida pela infusão da solução de cardioplegia sangüínea contínua e tépida. No grupo II, a parada cardíaca foi conseguida pela infusão da solução de cardioplegia cristalóide intermitente e fria. No grupo controle, os corações foram submetidos à parada anóxia normotérmica por 45 minutos. Após experimentos, oito amostras da parede lateral do ventrículo esquerdo foram coletadas e fixadas em formaldeído 10% e glutaraldeído 2,5% para análises estrutural e ultra-estrutural. RESULTADOS: Os resultados estruturais e as descrições ultra-estruturais mostraram que os corações submetidos à parada protegida pela cardioplegia sangüínea contínua e tépida (grupo I) estavam mais preservados com alterações celulares menos acentuadas se comparados aos submetidos à parada protegida pela cardioplegia cristalóide intermitente e fria (grupo II) e ao grupo controle. CONCLUSÃO: A cardioplegia sangüínea contínua e tépida (Grupo I) foi mais eficiente na preservação da integridade estrutural e ultra-estrutural do miocárdio, quando comparada à cardioplegia cristalóide intermitente e fria (Grupo II).

Resumo (inglês)

OBJECTIVE: To experimentally compare the structural and ultrastructural changes in isolated hypertrophied rabbits' hearts submitted to cardiac arrest protected using sanguineous and crystalloid cardioplegia solutions. METHOD: The study comprised two experimental groups and one control group. In Experimental Group I, cardiac arrest was achieved by the continuous infusion of tepid sanguineous cardioplegia solution. In Experimental Group II, cardiac arrest was obtained by an intermittent infusion of a cold crystalloid cardioplegia solution. In the Control Group the hearts were submitted to normothermic anoxic arrest for 45 minutes. After the procedures, eight samples of the left ventricle lateral wall were collected and fixed in 10% formaldehyde and 2.5% glutaraldehyde for structural and ultrastructural analysis. RESULTS: The structural and ultrastructural results demonstrated that the hearts submitted to cardiac arrest protected by continuous tepid sanguineous cardioplegia, Group I, were better preserved and with less accentuated cellular alterations compared to those submitted to cardiac arrest protected using intermittent cold crystalloid cardioplegia and the Control Group. CONCLUSION: Continuous tepid sanguineous cardioplegia was more efficient in the preservation of the structural and ultrastructural integrity of the myocardium when compared to intermittent cold crystalloid cardioplegia.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, v. 22, n. 1, p. 24-32, 2007.

Itens relacionados

Financiadores