Implicações epistemológicas do sonho lúcido

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-08-12

Autores

Silva, Edmur Santana da

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O sonho lúcido é uma experiência que ocorre a algumas pessoas quando se tornam conscientes de que estão sonhando durante o próprio sonho. Nesta situação, podem tomar atitudes voluntárias para testar os limites do sonho e compará-lo com a experiência de agência que têm enquanto acordadas. Estes procedimentos, aliados a estudos neurocientíficos, nos possibilitam discutir a realidade do sonho, e a realidade da experiência em geral. Apresentamos aqui algumas linhas de discussão que se apresentam a partir da experiência do sonho lúcido, procurando entender suas possíveis implicações para a epistemologia, visto que este pode jogar luz à nossa compreensão do que é a consciência e como funciona nossa capacidade de compreender o mundo que nos rodeia. Relacionamos a tomada de consciência durante o sonho lúcido com o desenvolvimento cognitivo da mente humana segundo Piaget, e discutimos as duas principais interpretações do sonho lúcido que encontramos na literatura, nos trabalhos de Laberge e Revonsuo. Enquanto para Revonsuo os sonhos são simulações realizadas por um sistema físico-biológico, o cérebro, sem correspondência com uma realidade ideal, para Laberge há a possibilidade de que a tomada de consciência e autocontrole durante o sonho indique um acesso à realidade ideal, caso em que o sonho lúcido seria uma fonte de conhecimento extrassensorial relevante para a epistemologia. Neste caso, a diferença frente ao sono com sonho comum seria que a tomada de consciência e autocontrole durante o sonho lúcido possibilitariam a realização de testes de hipóteses, conduzindo a conclusões sobre a realidade extrassensorial com base na experiência onírica.
Lucid dreaming is an experience that occurs to some people when they become aware that they are dreaming during the dream itself. In this situation, they can take voluntary steps to test the limits of the dream and compare it to the agency experience they have when awake. Procedures, combined with neuroscientific studies, enable us to discuss the reality of dreams, and the reality of experience in general. Here we present some lines of discussion from the experience of lucid dreaming, seeking to understand its possible implications for epistemology, because this can bring some light to our comprehension about consciousness and our ability to comprehend the world around us. We relate awareness during lucid dreaming with the cognitive development of the human mind according to Piaget, and we discuss the two main interpretations of lucid dreaming that we find in the literature, in the works of Laberge and Revonsuo. While for Revonsuo dreams are simulations carried out by a physical-biological system, the brain, without correspondence with an ideal reality, for Laberge there is a possibility that awareness and self-control during the dream indicates an access to the ideal reality, in which case lucid dreaming would be a source of extrasensory knowledge with relevance to epistemology. In this case, the difference compared to ordinary sleep and dreaming would be that awareness and self-control would enable the realization of hypothesis testing during the dream, leading to conclusions about the extrasensory reality based on the dream experience.

Descrição

Palavras-chave

Realidade, Sonho lúcido, Ilusão, Epistemologia, Agência, Lucid dream, Reality, Illusion, Epistemology, Agency

Como citar

SILVA, Edmur Santana da. Implicações epistemológicas do sonho lúcido. 2021. 45 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências de Marília, 2021.