Transmissão do tomato chlorosis virus pelas espécies crípticas Bemisia tabaci (Mediterranean e Middle East-Asia Minor 1) e diversidade genética de isolados de pimentão, tomate e pepino

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-01-15

Orientador

Krause Sakate, Renate

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Proteção de Plantas) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Dissertação de mestrado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

O crinivirus tomato chlorosis virus (ToCV) é um dos principais vírus que atingem plantas da família Solanaceae. No Brasil os vetores do ToCV são as espécies crípticas de Bemisia tabaci Middle East Asia Minor I (MEAM1) e Mediterranean (MED), além da Trialeurodes vaporariorum e T. abutilonea. Nos últimos anos, surtos populacionais de MED foram reportados em estufas de pimentão e pepino, bem como sintomas típicos de mosaico entre nervuras observados nestas estufas. A identificação molecular confirmou infecção por ToCV em ambas as culturas. A fim de melhor compreender a diversidade dos isolados de ToCV, a influência dos hospedeiros naturalmente encontrados e a transmissão pelas espécies crípticas MEAM1 e MED, foram realizados ensaios de transmissão de isolados de ToCV provenientes de tomateiro (ToCV-tomate), pimentão (ToCV-pimentão) e pepino (ToCV-pepino) por MEAM1 e MED. O ToCV-tomate mantido em tomateiro, foi transmitido para tomateiro tanto por MEAM1 como por MED, com eficiência de transmissão de 87% e 93%, respectivamente, porém não sendo transmitido para pimentão e pepino. O ToCV-pimentão, mantido em pimentão, não foi transmitido para pepino, porém foi transmitido eficientemente por ambas as espécies de B. tabaci para tomateiro. Para pimentão foi observada melhor eficiência de transmissão por MED (83.3%) comparada a MEAM1 (50%). O ToCV-pepino, mantido em pepino, foi transmitido por MEAM1 e MED para pimentão com uma eficiência de 50 e 53%, respectivamente, e para tomateiro com uma eficiência de 8.3 e 8.8%, respectivamente. Somente MED transmitiu este isolado para o pepino, porém com uma eficiência de 3.1%. Com base nas análises do genoma completo do ToCV, bem como de sequências nucleotídicas correspondentes a CPm e p22, não foi possível verificar diferenças que poderiam estar associadas às taxas de transmissão dos isolados de ToCV encontrados em pimentão, tomateiro e pepino para plantas da mesma espécie. A análise filogenética revelou que os isolados brasileiros se agruparam em um único clado e ficaram próximos aos isolados sul-coreanos e ao isolado grego. Além disso, a incidência de ToCV foi avaliada em três estufas de pimentão em cultivo protegido na microrregião de Pirajuí/SP. Foram observadas incidências de 12, 52 e 91%, bem como presença de B. tabaci Mediterranean.

Resumo (inglês)

The crinivirus tomato chlorosis virus (ToCV) is one of the main viruses that affects plants of the Solanaceae family. In Brazil, the ToCV vectors are the cryptic species of Bemisia tabaci Middle East Asia Minor I (MEAM1) and Mediterranean (MED), in addition to Trialeurodes vaporariorum. In recent years, population outbreaks of MED have been reported in greenhouses of peppers and cucumbers, as well as typical mosaic symptoms between veins seen in these greenhouses. Molecular identification confirmed ToCV infection in both crops. In order to better understand the diversity of the ToCV isolates, the influence of the naturally found hosts and the transmission by the cryptic species MEAM1 and MED, tests were carried out to transmit ToCV isolates from tomato (ToCV-tomato), bell pepper (ToCV- bell pepper) and cucumber (ToCVcucumber) by MEAM1 and MED. The ToCV-tomato kept in tomato was transmitted to tomato by both MEAM1 and MED, with transmission efficiency of 87% and 93.9%, respectively, but not being transmitted to bell pepper and cucumber. ToCV- bell pepper, kept in bell pepper, was not transmitted to cucumber, but was efficiently transmitted by both species of B. tabaci to tomato. For pepper, a higher transmission efficiency was observed for MED (83.3%) compared to MEAM1 (50%). The ToCVcucumber, kept in cucumber, was transmitted by MEAM1 and MED to bell pepper with an efficiency of 50 and 53%, respectively, and to tomato with an efficiency of 8.3 and 8.8%, respectively. Only MED transmitted this isolate to the cucumber, however with an efficiency of 3.1%. Based on the analysis of the complete ToCV genome, as well as nucleotide sequences corresponding to CPm and p22, it was not possible to verify differences that could be associated with the transmission efficiencies of the ToCV isolates found in peppers, tomatoes and cucumbers. Phylogenetic analysis revealed that the Brazilian isolates were grouped in a single clade and were close to the South Korean isolates and the Greek isolate. In addition, the incidence of ToCV was evaluated in three greenhouses of green pepper in protected cultivation in the microregion of Pirajuí / SP. An incidence of 12, 52 and 91% was observed, as well as the presence of B. tabaci Mediterranean.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

Itens relacionados