Carga viral e genotipagem do vírus de Epstein-Barr (EBV) e análise da frequência das variantes do gene viral BNLF-1 em indivíduos portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV)

dc.contributor.advisorSilva, Suzane Ramos da [UNESP]
dc.contributor.advisorOliveira, Deilson Elgui de [UNESP]
dc.contributor.authorGiron, Leila Bertoni [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2015-03-23T15:18:10Z
dc.date.available2015-03-23T15:18:10Z
dc.date.issued2009
dc.description.abstractIndivíduos imunocomprometidos possuem maior risco de desenvolver linfomas associados ao EBV. A detecção desse vírus em sangue periférico e a determinação de sua carga viral podem ter importância na evolução clínica de indivíduos portadores do HIV. Foram avaliadas 156 amostras de pacientes HIVpositivos pela reação em cadeia da polimerase em tempo real (qPCR) para detecção e quantificação da carga viral do EBV. 123/156 (78,8%) casos apresentaram carga viral detectável para o EBV, sendo que a carga viral média foi de 6,9x10-3 cópias de EBV/célula. Foi detectada elevada carga viral do EBV em indivíduos com falha terapêutica ou sem HAART (p =0,0076), em coinfectados pelos EBVs 1 e 2 (p=0,0205), em pacientes com altas cargas de HIV (rho=0,27614, p=0,0005) e longos períodos de infecção pelo HIV (rho= 0,24164, p =0,0026) e os que apresentavam altos níveis de linfócitos T CD8 + (rho=0,19286, p =0,0159). A amplificação do gene EBNA-2 para realização da tipagem viral foi possível em 95/123 (77,2%) amostras, das quais 72 (75,8%) revelaram infecção pelo EBV-1, 9 (9,5%) pelo EBV-2 e 14 (14,7%) apresentavam coinfecção entre os EBVs 1 e 2. Esses dados estão de acordo com a literatura visto que o tipo 1 é predominante em países ocidentais e 70,0% da coorte era composta por indivíduos caucasianos e heterossexuais. A maioria dos pacientes que apresentaram coinfecção pelos EBVs 1 e 2 tiveram contagem de linfócitos T CD4 + entre 200 e 499 células/μL de sangue segundo classificação CDC (p =0,0272). Quanto a analise do gene BNLF-1, a amplificação foi possível em 99/123 (80,5%). Desses 50/99 (50,5%) apresentavam a deleção de 30pb no gene, enquanto 49/99 (49,5%) não a possuíam. Em conjunto, os resultados obtidos evidenciam deterioração do sistema imunitário, caracterizada...(Resumo completo, clicar acesso eletrônico abaixo)pt
dc.identifier.aleph000640630
dc.identifier.citationGIRON, Leila Bertoni. Carga viral e genotipagem do vírus de Epstein-Barr (EBV) e análise da frequência das variantes do gene viral BNLF-1 em indivíduos portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV). 2009. 1 CD-ROM. Trabalho de conclusão de curso (bacharelado - Ciências Biológicas-Modalidade Médica) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências de Botucatu, 2009.
dc.identifier.filegiron_lb_tcc_bot.pdf
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/119262
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceAleph
dc.subjectHIV (Virus)pt
dc.subjectEpstein-Barr (Vírus)pt
dc.titleCarga viral e genotipagem do vírus de Epstein-Barr (EBV) e análise da frequência das variantes do gene viral BNLF-1 em indivíduos portadores do vírus da imunodeficiência humana (HIV)pt
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Botucatupt
unesp.undergraduateCiências Biomédicas - IBBpt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
giron_lb_tcc_bot.pdf
Tamanho:
1.72 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format