Características das mulheres com diagnóstico autorreferido de transtornos mentais comuns que gestaram e pariram no período pandêmico

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-11-21

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: Em dezembro de 2019, na China, surgiram diversos casos de pneumonia causada pelo SARS-CoV-2, que não apresentavam infecções prévias em humanos. Em março do ano seguinte, a Organização Mundial da Saúde caracteriza a patologia como pandemia. A partir de então, houveram modificações no cenário de saúde e todos os níveis de atenção, tiveram que se adaptar de acordo com as necessidades advindas com a pandemia. Porém, além da infecção e suas sequelas, a pandemia resultou em problemas de ordem social, econômica e de saúde mental. Em 2022, a Organização das Nações Unidas elaborou um relatório sobre a situação da saúde mental mundial apresentando resultados como: os transtornos mentais prevalentes são ansiedade e depressão, sendo 50% mais comuns em mulheres que homens, assim como em gestantes e puérperas. Diante disso, considerando a gestação e puerpério como fatores de risco para desenvolvimento e/ou exacerbação de transtornos mentais e a necessidade de identificação destes transtornos durante o atendimento à mulher no período gravídico-puerperal propõe-se a presente pesquisa. Objetivo: identificar as características das mulheres que apresentaram diagnóstico autorreferido de transtornos mentais comuns durante o período gestacional e/ou puerpério. Métodos: trata-se de um recorte de estudo de coorte retrospectiva desenvolvido com mulheres que gestaram e pariram em tempos de pandemia, assistidas na Atenção Primária à Saúde do município de Botucatu, São Paulo. Os critérios de inclusão foram: atendimento pré-natal realizado exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde, processo gestacional ter ocorrido a partir de março de 2020 e a criança ter completado 1000 dias de vida. A coleta de dados foi realizada através da identificação dos binômios pela Clínica do Bebê e posteriormente, entrevista via telefone. O atual estudo foi encaminhado e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa local (CAAE: 60463822.6.0000.5411) e as mães que aceitaram participar da pesquisa tiveram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido gravado. Resultados: Foram realizadas 265 entrevistas e os dados mais expressivos com relação às características maternas incluem que 49% das mulheres referiram diagnóstico de transtornos mentais comuns (TMC) durante o período, além disso 38,8% relataram sintomas durante a gestação e 38,5% durante o puerpério. Com relação à idade materna, apresentou-se prevalência de mulheres na faixa etária de 20 a 34 anos, constituindo 71% das mulheres. No que diz respeito à cor materna, observou-se prevalência de mulheres brancas (56,9%) e quanto aos dados sobre o parto, houve prevalência do parto vaginal, com 58% das mulheres. Na análise bivariada, as mulheres que relataram diagnóstico de TMC durante o ciclo gravídico-puerperal apresentaram associação estatisticamente significativa em relação às seguintes variáveis: presença de parceria, idade entre 20 e 34 anos, alcoolismo durante período e amamentação na primeira hora de vida. Conclusão: O aumento da prevalência de transtornos mentais comuns no ciclo gravídico-puerperal durante a pandemia COVID-19 reforça a importância de seu estudo, portanto traçar o perfil dessas mulheres, assim como o impacto durante uma pandemia na qual foram necessárias medidas de prevenção possuem significativa importância.
Introduction: In December 2019, in China, several cases of pneumonia caused by SARS-CoV-2 emerged, which had no previous infections in humans. In March of the following year, the World Health Organization characterized the pathology as a pandemic. From then on, there were changes in the health scenario and all levels of care had to adapt according to the needs arising from the pandemic. However, in addition to the infection and its sequelae, the pandemic has resulted in social, economic, and mental health problems. In 2022, the United Nations prepared a report on the state of global mental health presenting results such as: the prevalent mental disorders are anxiety and depression, being 50% more common in women than men, as well as in pregnant and postpartum women. Therefore, considering pregnancy and puerperium as risk factors for the development and/or exacerbation of mental disorders and the need to identify these disorders during the care of women in the pregnancy-puerperal period is proposed in the present research. Objective: To identify the characteristics of women who had a self-reported diagnosis of common mental disorders during the gestational and/or puerperium period. Methods: This is an excerpt from a retrospective cohort study developed with women who became pregnant and gave birth in times of pandemic, assisted in Primary Health Care in the municipality of Botucatu, São Paulo. The inclusion criteria were: prenatal care performed exclusively by the Unified Health System, gestational process having occurred from March 2020 onwards and the child has completed 1000 days of life. Data collection was carried out through the identification of the binomials by the Baby Clinic and later an interview via telephone. The current study was submitted to and approved by the local Research Ethics Committee (CAAE: 60463822.6.0000.5411) and the mothers who agreed to participate in the study had the Free and Informed Consent Form recorded. Results: A total of 265 interviews were conducted, and the most significant data regarding maternal characteristics include that 49% of the women reported a diagnosis of common mental disorders (CMD) during the period, in addition to 38.8% reported symptoms during pregnancy and 38.5% during the puerperium. Regarding maternal age, there was a prevalence of women in the age group of 20 to 34 years, constituting 71% of the women. With regard to maternal color, there was a prevalence of white women (56.9%) and regarding data on childbirth, there was a prevalence of vaginal delivery, with 58% of women. In bivariate analysis, women who reported a diagnosis of CMD during the pregnancy-puerperal cycle showed a statistically significant association in relation to the following variables: presence of partner, age between 20 and 34 years, alcoholism during the period and breastfeeding in the first hour of life. Conclusion: The increase in the prevalence of common mental disorders in the pregnancy-puerperal cycle during the COVID-19 pandemic reinforces the importance of its study therefore, to outline the profile of these women, as well as the impact during a pandemic in which preventive measures were necessary are of significant importance.

Descrição

Palavras-chave

Gestação, Puerpério, Saúde mental, Pandemia COVID-19

Como citar

GUIRRO, Ana Laura Martins. Características das mulheres com diagnóstico autorreferido de transtornos mentais comuns que gestaram e pariram no período pandêmico. Orientador(a): Anna Paula Ferrari. 2023. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Enfermagem) - Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista (Unesp), Botucatu, 2023