O ensino de libras nos cursos de Licenciatura em Química de Universidades Públicas Paulistas: uma análise dos currículos prescritos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2021-03-03

Autores

Pereira, Naiara Maia

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Current federal legislation envisages the inclusion of disabled students in mainstream schools through the Inclusive Education. In this context, especially in the assisting deaf students, it is imprecise how undergraduate courses include Brazilian Sign Language teaching in their curriculum. There are few studies on the training of Chemistry Teachers for the Inclusive Education of deaf students. In the view of these premises and gaps, this piece of work analyzed the curricular prescriptions of the Undergraduate Chemistry courses in the Public Universities of the State of São Paulo with regard to the inclusion of Libras (Brazilian Sign Language) teaching according to the current legislation. Considering the training of these teachers in a equitable perspective to attend the deaf student as satisfactorily as they are prepared to attend the hearing students. For this, Laurence Bardin's Content Analysis methodology was used from collection to data analysis. This methodology guided the a priori definition of curricula, decrees and laws, and a posteriori of the documents and articles that composed this work. The analyzes also included the categorization of curricula according to their interpretation of the legislation that allowed to identify that all universities contemplate Libras teaching and related to Inclusive Education. We also identified the workload and the theme superficiality, with which the curricula address such a content and the need for changes in the legislation and curricula for implementation of contents that effectively prepare the graduate to perform teaching in an inclusive manner.
A atual legislação federal prevê a inserção do aluno com deficiência em escola de ensino regular pela chamada Educação Inclusiva. Neste contexto, em especial o atendimento ao aluno surdo, determina de forma pouco precisa que os cursos de Licenciatura contemplem o ensino de Libras em seus currículos. Há poucos estudos sobre a formação de Professores de Química para a Educação Inclusiva de alunos surdos. Diante dessas premissas e lacunas, este trabalho analisou os currículos prescritos dos cursos de Licenciatura em Química das Universidades Públicas do Estado de São Paulo quanto a inclusão do ensino de Libras em atendimento à legislação vigente. Considerando a formação desses professores em uma perspectiva de equidade para atender ao aluno surdo de forma tão satisfatória quanto é preparado para atender ao aluno ouvinte. Para isso, a metodologia de Análise de Conteúdo, de Laurence Bardin, foi utilizada desde a coleta à análise dos dados. Essa metodologia norteou a definição a priori dos currículos, decretos e leis, e a posteriori dos documentos e artigos que compuseram este trabalho. As análises compreenderam ainda a categorização dos currículos de acordo com sua interpretação da legislação que permitiu identificar que todas as universidades contemplam o ensino de Libras e correlatos à Educação Inclusiva. Identificamos ainda a superficialidade, de carga horária e temática, com que os currículos abordam tal conteúdo e a necessidade de mudanças na legislação e nos currículos a fim de implementar com solidez conteúdos que efetivamente preparem o licenciando ao exercício da docência de forma inclusiva.

Descrição

Palavras-chave

Chemistry teaching to deaf students, Inclusive education, Deaf teaching, Ensino de química para surdos, Educação inclusiva, Formação de professores, Ensino de surdos

Como citar