Usos do sinal "COMO" na Língua Brasileira de Sinais: variação linguística e gramaticalização.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-08-25

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Objetivo: O presente trabalho objetiva analisar, dentro de uma perspectiva funcionalista, os contextos de variação no uso do sinal de ‘COMO’ na língua brasileira de sinais, Libras. Analisamos os possíveis contextos de uso e as situações de comunicação (e os sentidos) desse sinal e suas variantes, regularmente usados em três tipos de perguntas e em orações subordinadas. Dessa maneira, o que propomos é averiguar se as variações de contexto de uso, significado, configuração das mãos (uma ou duas mãos) e uso de mouthings podem ser explicados a partir de processos de mudanças, inclusive de gramaticalização (Hopper; Traugott, 2003). Nossa hipótese é que os diferentes usos de ‘COMO’ podem indicar estágios de gramaticalização diferentes. Metodologia: Para embasar nossas análises, utilizaremos dados de dois córpus principais, a saber o minicorpus organizado pelos pesquisadores do Grupo de Pesquisa em Língua de Sinais da Unesp - SignL e do Corpus Libras, organizada por pesquisadores da Universidade Federal de Santa Catarina. Ambos os corpora são compostos por amostras de vídeos espontâneos produzidos por sujeitos Surdos, anotados no ELAN (Hellwing: Geerts, 2013), que é um programa para anotação de arquivo de vídeo. Os dados foram operacionalizados no Excel. Resultados: Nossos resultados preliminares apontam para variação sintática e semântica no uso do sinal ‘COMO’ em contextos de pergunta plena, pergunta retórica, pergunta semi-retórica e sentenças subordinadas, em que é observada a coocorrência de mouthings como “como”, “para que”, “por que” e “o que” principalmente.
Resumo em Libras: https://youtu.be/y3dD-XxC9ns
Goal: The present work aims to analyze, from a functionalist perspective, the contexts of variation in the use of the sign “COMO” in Brazilian Sign Language, Libras. We analyzed possible contexts of use, communication situations and the meanings of this sign and its variants, commonly used in three types of questions and in subordinate clauses. Therefore, what we propose is to verify if the variations in the context of use, meaning, handshape (one or two hands), and use of mouthing can be explained by processes of changes, including grammaticalization (Hopper; Traugott, 2003). Our hypothesis is that the different uses of “COMO” may indicate different stages of grammaticalization. Methodology: To support our analyses, we will use data from two main corpora, the mini corpus organized by researchers from the Research Group on Sign Language at Unesp - SignL and the Corpus Libras, organized by researchers from the Federal University of Santa Catarina. Both corpora are composed of samples of spontaneous videos produced by Deaf persons, annotated in ELAN (Hellwing: Geerts, 2013), which is a video file annotation software. The data were operationalized in Excel. Results: Our preliminary results point to variation in the use of the sign “COMO” in contexts of a direct question, rhetorical question, semi-rhetorical question and subordinate sentences, in which the co-occurrence of mouthings such as como (‘how’), para que (‘what for’), por que (‘why’) and o que (‘what’), mainly, is observed.

Descrição

Palavras-chave

Libras, Variação, Mudança Linguística, Gramática Funcional, Sintaxe, Variation, Linguistic Change, Functional Grammar, Syntax

Como citar