Uso de imunoterapia em cães com osteossarcoma apendicular não amputado associado à quimioterapia antineoplásica e bisfosfonatos

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-12-20

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O osteossarcoma (OSA) é a neoplasia óssea maligna de maior prevalência em cães de raças grandes, atingindo principalmente o esqueleto apendicular. Sendo caracterizado como um tumor imunogênico, a interação RANK/RANKL e células do sistema imune participam do desenvolvimento tumoral e contribuem para que este exerça um comportamento biológico localmente agressivo e altamente metastático. A progressão da doença é a principal responsável pelo óbito do paciente. O tratamento de eleição é a amputação do membro acometido associada à quimioterapia antineoplásica adjuvante. Entretanto, cães com comorbidades musculoesqueléticas e/ou neurológicas concomitantes podem inviabilizar a ressecção cirúrgica do membro acometido, impedindo a remoção do tumor primário e dificultando o controle de dor nesses pacientes. Frente a essa questão, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a resposta terapêutica do emprego de imunoterapia associada à quimioterapia antineoplásica e bisfosfonatos em cães com OSA apendicular inoperável. Os resultados demonstraram que esta associação promoveu maior sobrevida, maior tempo livre de metástase e controle de dor mais efetivo. Em conclusão, em virtude do mecanismo de progressão tumoral do osteossarcoma, a associação de imunoterapia, quimioterapia e bisfosfonatos pode ser considerada como uma nova alternativa terapêutica para cães com OSA não amputados, proporcionando maior qualidade de vida ao paciente.
Osteosarcoma (OSA) is the most prevalent malignant bone neoplasm in large breed dogs, mainly affecting the appendicular skeleton. Characterized as an immunogenic tumor, the RANK/RANKL interaction and immune system cells participate in tumor development and contribute to its locally aggressive and highly metastatic biological behavior. The progression of the disease is primarily responsible for the patient's death. The treatment of choice is amputation of the affected limb associated with adjuvant antineoplastic chemotherapy. However, dogs with concomitant musculoskeletal and/or neurological comorbidities can make surgical resection of the affected limb unfeasible, preventing removal of the primary tumor and hindering pain control in these patients. In view of this issue, the aim of this study was to evaluate the therapeutic response to the use of immunotherapy associated with antineoplastic chemotherapy and bisphosphonates in dogs with inoperable appendicular OSA. The results showed that this association promoted longer survival, greater metastasis-free time and more effective pain control. In conclusion, given the mechanism of tumor progression in osteosarcoma, the combination of immunotherapy, chemotherapy and bisphosphonates can be considered a new therapeutic alternative for dogs with non-amputable OSA, providing a better quality of life for the patient.

Descrição

Palavras-chave

Imunoterapia, Osteossarcoma, Bisfosfonatos, Cães

Como citar

AMORIM, C. O. L. Uso de imunoterapia em cães com osteossarcoma apendicular não amputado associado à quimioterapia antineoplásica e bisfosfonatos. 2023. 44 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Medicina Veterinária) - Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Jaboticabal, 2023.