Floração e frutificação de Myrtaceae de floresta atlântica: limitações ecológicas e filogenéticas

dc.contributor.advisorMorellato, Leonor Patrícia Cerdeira [UNESP]
dc.contributor.authorGressler, Eliana [UNESP]
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2014-06-11T19:23:03Z
dc.date.available2014-06-11T19:23:03Z
dc.date.issued2005-03-30
dc.description.abstractSão poucos os estudos que abordam a floração e frutificação em espécies filogeneticamente relacionadas. Myrtaceae é uma das famílias de plantas mais abundantes nas matas brasileiras, em especial na floresta pluvial atlântica. O presente estudo teve como objetivos principais: 1) analisar a fenologia reprodutiva de 38 espécies de Myrtaceae, verificando os padrões fenológicos, relação com os fatores climáticos e previsibilidade das fenofases; e 2) avaliar as teorias propostas para explicar a fenologia de espécies aparentadas e a relação entre a fenologia e o tamanho do fruto. O estudo foi desenvolvido em área de floresta atlântica no Parque Estadual Intervales, Base Saibadela (24°14'08S e 48°04'42W), município de Sete Barras, estado de São Paulo, Brasil. As fenofases botão, antese, fruto imaturo e maduro foram observadas mensalmente durante seis anos nãoconsecutivos (abril/1994 a março/1997 e abril/1999 a março/2002) em 285 indivíduos. As maiores porcentagens de indivíduos e espécies apresentando botões e flores abertas ocorreram sempre na estação mais quente e chuvosa (outubro a março), e produzindo frutos imaturos e maduros principalmente ao longo da estação menos quente e úmida (abril a setembro). As correlações de Spearman foram significativas entre a floração e o comprimento do dia e a temperatura, e correlações significativas foram raras entre a frutificação e o clima. A análise estatística circular mostrou que as datas de início e pico das fenofases reprodutivas em Myrtaceae foram sazonais para a maioria dos anos estudados. Todas as fenofases apresentaram valores altos de previsibilidade de ocorrência...pt
dc.description.abstractThere are few studies approaching flower and fruit patterns among phylogenetically related species. Myrtaceae is one of the most abundant plant families in the Brazilian forests, especially in the Atlantic Rain Forest. The present study had the main objectives: 1) to analyze the reproductive phenology of 38 Myrtaceae species, checking the phenological patterns, the relationship with the climatic factors and the predictability of the phenophases; and 2) to evaluate the proposed theories to explain the phenology of related species and the relation between phenology and fruit size. The study was carried out in an Atlantic forest area at Parque Estadual Intervales, Base Saibadela (24°14'08S and 48°04'42W), municipality of Sete Barras, São Paulo State, Brazil. The phenophases bud flower, open flowers, unripe and ripe fruits were observed monthly for six nonconsecutive years (April/1994 to March/1997 and April/1999 to March/2002) in 285 individuals. The largest percentages of individuals and species presenting buds and open flowers always occurred during the wetter and hotter season (October to March), and unripe and ripe fruits were produced mainly over the less humid and colder season (April to September). The Spearman correlations were significant between flowering and the day length and the temperature, and significant correlations were rare between fruiting and climate. The circular statistical analysis showed that the first date and peak date of the reproductive phenophases in Myrtaceae were seasonal for most of the years. All the phenophases showed high predictability scores... (Complete abstract, click electronic adress below)en
dc.format.extentvii, 93 f. : il., mapas, gráfs., fots.
dc.identifier.aleph000291688
dc.identifier.capes33004137005P6
dc.identifier.citationGRESSLER, Eliana. Floração e frutificação de Myrtaceae de floresta atlântica: limitações ecológicas e filogenéticas. 2005. vii, 93 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Biociências, 2005.
dc.identifier.filegressler_e_me_rcla.pdf
dc.identifier.lattes1012217731137451
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/87903
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.sourceAleph
dc.subjectMirtaceapt
dc.subjectEcologia vegetalpt
dc.subjectFatores climáticospt
dc.subjectFloresta atlânticapt
dc.subjectAtlantic foresten
dc.subjectClimatic factorsen
dc.subjectFloweringen
dc.subjectFruitingen
dc.titleFloração e frutificação de Myrtaceae de floresta atlântica: limitações ecológicas e filogenéticaspt
dc.typeDissertação de mestrado
unesp.author.lattes1012217731137451
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
unesp.graduateProgramCiências Biológicas (Biologia Vegetal) - IBRCpt
unesp.knowledgeAreaBiologia vegetalpt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
gressler_e_me_rcla.pdf
Tamanho:
639.28 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format