Persistência do herbicida sulfentrazone em solos cultivados com cana-de-açúcar e soja e seu efeito em culturas sucedâneas

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2002-11

Orientador

Velini, Edivaldo Domingues

Coorientador

Pós-graduação

Agronomia (Agricultura) - FCA

Curso de graduação

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Tipo

Tese de doutorado

Direito de acesso

Acesso abertoAcesso Aberto

Resumo

Resumo (português)

Esta pesquisa foi realizada em Campinas SP/Brasil e teve como o objetivo estudar a persistência do herbicida sulfentrazone em solos cultivados com cana-deaçúcar e soja, e nesta, os efeitos da toxicidade do resíduo do herbicida nas culturas sucedâneas de milheto, girassol, aveia, trigo e feijão. Os solos dos ensaios com a soja e a cana-de-açúcar tiveram as seguintes características, respectivamente, 46% e 23% da argila; 12% e 13% do silte; 42% e 64% da areia 4% e 1% de MO e com pHs de 5,.8 e 6,4. As experiências foram projetadas em blocos ao acaso com 5 repetições. As amostras do solo foram coletadas na profundidade de 0-10cm, de 0-704 DAT (23 amostras) e de 0-539 DAT (24 amostras) nos experimentos de cana-de-açúcar e soja, respectivamente. A persistência do sulfentrazone foi avaliada por bioensaios usando a beterraba como a planta do teste. No ensaio com a cana-deaçúcar, os efeitos do sulfentrazone na beterraba foram detectados até 601 e 704 DAT para 0,6 e 1,2 kg a.i./ha, respectivamente. No ensaio com a soja, foram observados, os efeitos das mesmas doses até 376 e 539 DAT. Pelas análises das diversas características de desenvolvimento nas nas culturas que sucederam a soja, foi demonstrado que o resíduo do sulfentrazone afetou crescimento e o rendimento das culturas de milheto e aveia; por outro lado, o girassol e o feijão não foram afetados; o trigo foi afetado, somente, pela dose mais elevada.

Resumo (inglês)

This research was carried out in Campinas – SP / Brazil and had as objective to study the residual effects and persistence of sulfentrazone in sugarcane and soybean ecosystems and the toxicity of the residues of this herbicide to millet, sunflower, oats, wheat and beans cultivated in succession to soybean. The soils of the soybean and sugarcane fields had, respectively, 46% and 23% of clay; 12% and 13% of silt; 42% and 64% of sand 4% and y% of OM and pHs of 5,8 and 1,1.The experiments were designed in randomized blocks with 5 replications. Soil samples were collected at the depth of 0-10cm, from 0-704 DAT (23 timings) and from 0-539 DAT (24 timings) in sugarcane and soybean experiments, respectively. The persistence of sulfentrazone was evaluated by bioassay using sugar beet as test plant. In sugarcane field, the effects of sulfentrazone on sugar beet were detected up to 601 and 704 DAT for 0,6 and 1,2 kg a.i./ha, respectively. In soybean field the effects of the same rates were noticed up to 376 and 539 DAT. Concerning to the crops in succession to soybeans, the residues of sulfentrazone affected the growth and yield of millet and oats; sunflower and beans were not affected; wheat was affected by the higher rate, only.

Descrição

Idioma

Português

Como citar

BLANCO, Flávio Martins Garcia. Persistência do herbicida sulfentrazone em solos cultivados com cana-de-açúcar e soja e seu efeito em culturas sucedâneas. 2002. xi, 114 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências Agronômicas, 2002.

Itens relacionados

Financiadores