Biotechnology approaches for production of antiulcerogenic dihydro-epideoxyarteannuin B isolated from Artemisia annua L.

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2006-09

Autores

Marques, Daniela A.
Foglio, Mary A.
Morgante, Patrícia G. [UNESP]
Van Sluys, Marie-anne
Shepherd, Simone L. Kirszenzaft

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Sociedade Brasileira de Farmacognosia

Resumo

Methodologies were developed for the establishment and cultivation of Artemisia annua L (CPQBA 2/39 x PL5 hybrid) roots submitted to light conditions and genetic transformation performed with Agrobacterium rhizogenes (15834 and 8196 strains). The transgenic and non-transgenic (normal) roots were cultured in Murashige and Skoog (1962) medium, kept under different photoperiodic conditions and analyzed for evaluation of the antiulcerogenic dihydro-epideoxyarteannuin B (compound A) contents. The Dot Blot technique was used to confirm the transgenic nature of the roots. The plants¢s crude extracts were analyzed by Gas Chromatography coupled to Mass Spectrum (CG/MS). The chromatograms of the extracts taken from normal roots revealed the presence of dihydro-epideoxyarteannuin B and other compound (compound B). Photoperiods during cultivation influenced the production of these two compounds: under continuous darkness dihydro-epideoxyarteannuin B was intensely produced and the compound B present in small amounts, while on 16 h photoperiod, the inverse occurred. The quantification of dihydro-epideoxyarteannuin B by Gas Chromatography coupled to Flame Detector Ionization (CG/FID) revealed an approximately fivefold increase in the production of this compound by normal roots kept under continuous darkness compared to roots kept under 16 h light period. The terpene dihydro-epideoxiarteannuin B was not present in transgenic hairy roots.
Foram desenvolvidas metodologias para o estabelecimento e cultivo de raízes de Artemisia annua L. (híbrido CPQBA 2/39 x PL5). Estas raízes foram submetidas a diferentes condições de luz e a transformação genética com Agrobacterium rhizogenes (cepas 8196 e 15834). As raízes transgênicas e não-transgênicas (normais) foram cultivadas em meios de Murashige e Skoog (1962), mantidas sobre diferentes condições de fotoperíodo e analisadas para avaliação do conteúdo do composto antiulcerogênico dehidro-epideoxiarteanuína B (composto A). A confirmação do caráter transgênico das raízes foi obtida por Dot Blot. Os extratos dos materiais vegetais foram analisados por Cromatografia Gasosa acoplada a um Espectômetro de Massas (CG/EM). Os cromatogramas dos extratos das raízes normais revelaram a presença de dehidro-epideoxiarteanuína B e de um outro composto (composto B). As condições fotoperiódicas de cultivo influenciaram na produção destes dois compostos, sendo que sobre condição de escuro contínuo, dehidro-epideoxiarteanuína B foi intensamente produzido e o composto B foi detectado em pequenas proporções, enquanto que sob fotoperíodo de 16 horas, o inverso ocorreu. A quantificação de dehidro-epideoxiarteanuína B por Cromatografia Gasosa acoplada a um Detector de Ionização de Chamas (CG/FID) revelou um aumento de aproximadamente cinco vezes na produção deste composto pelas raízes normais cultivadas sobre escuro contínuo em relação às raízes cultivadas na presença de 16 horas de luz. O terpeno dehidro-epideoxiarteanuína B não estava presente nas raízes transgênicas.

Descrição

Palavras-chave

Artemisia annua, terpene, in vitro roots culture, hairy roots, light, Artemisia annua, terpeno, cultura de raízes in vitro, raízes transgênicas, luz

Como citar

Revista Brasileira de Farmacognosia. Curitiba, PR, Brazil: Sociedade Brasileira de Farmacognosia, v. 16, n. 3, p. 291-299, 2006.

Coleções