Aborto em Três Lagoas (MS) e a violência racial e de gênero

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2022-03-26

Autores

Guimarães, Gabriele Carvalho

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

O tema proposto no presente trabalho envolve discussões acerca do racismo e aborto, estudo este que demonstrará a maneira como o racismo afeta as experiências reprodutivas. O objetivo principal é esmiuçar as políticas reprodutivas e compreender as situações vividas por mulheres pretas diante da prática do aborto na cidade de Três Lagoas-MS. Desta maneira, com base na metodologia qualitativa, utiliza-se de entrevistas carregadas de histórias que analisam trajetórias de vida, causas e consequências do processo de abortamento através de perspectivas opostas. Tendo em consideração os agravos diretos à saúde, relacionadas ao racismo e à interseccionalidade de opressões, como também avaliar o acolhimento do setor de saúde diante da gravidez indesejada e o atendimento de mulheres pretas que praticaram o aborto e precisam finalizar o procedimento na rede pública de saúde. A pesquisa constatou que o aborto constitui em um problema social de saúde pública, injustiça social de profunda desigualdade e de violação dos direitos humanos, sexuais e reprodutivos, uma vez que sua ilicitude leva a clandestinidade que desencadeia na morte seletiva de mulheres.
The theme proposed in the present work involves discussions about racism and abortion, a study that will demonstrate how racism affects reproductive experiences. The main objective is to scrutinize reproductive policies and understand the situations experienced by black women before the practice of abortion in the city of Três Lagoas-MS.In this way, based on the qualitative methodology, interviews are used full of stories that analyze life trajectories, causes and consequences of the abortion process through opposing perspectives. Taking into account the direct health problems related to racism and the intersectionality of oppressions, as well as evaluating the reception of the health sector in the face of unwanted pregnancy and the care of black women who practiced an abortion and need to conclude the procedure in the public health network. Due to this data collection, the research found that abortion constitutes a public’s health social problem, social injustice of profound inequality and violation of human, sexual and reproductive rights, since its illegality leads to clandestinity that unleash in death selective of women.

Descrição

Palavras-chave

Aborto, Racismo, Interseccionalidade, Políticas reprodutivas, Direitos humanos, sexuais e reprodutivos, Política de saúde, Abortion, Racism, Intersectionality, Reproductive policies, Human, sexual and reproductive rights, Health policy

Como citar