Prevalência de tabagismo no Campus de Botucatu/UNESP

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2001

Autores

Luppi, Cláudia Helena Bronzatto [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

A Organização Mundial de Saúde (WHO) estima que haja cerca de 1100000 tabagistas, representando um terço da população mundial aproximadamente. As pesquisas mostram que o tabagismo é a principal causa prevenível de mortalidade nos países desenvolvidos. Os objetivos deste trabalho foram verificar a prevalência do hábito de fumar e identificar os sintomas respiratórios entre o corpo discente, docente e técnico-administrativo do Campus de Botucatu/Unesp. O estudo englobou as unidades do campus, discriminadas em Administração Geral e Unidades Universitárias (IB, FM, FMVZ e FCA), bem como os Cursos de Graduação relacionados (Biologia, Medicina, Enfermagem, Medicina Veterinária, Zootecnia, Engenharia Agronômica e Florestal). O instrumento utilizado para coleta dos dados foi o questionário da ATS-DLD, 78, adaptado à população local. Três mil e noventa indivíduos participaram da pesquisa, subdivididos em 1008 discentes, 302 docentes, 1673 servidores e 107 classificados como outros. A classificação da população de acordo com o hábito de fumar revelou 21,4% de fumantes, 15,9% de ex-fumantes e 62,7% de não fumantes. A variável sexo não apresentou diferença de proporção entre os fumantes. A maioria dos tabagistas consumia de meio a um maço diariamente, utilizava cigarro com filtro, tragava constantemente a fumaça e iniciou no hábito entre 11 e 21 anos. Os estados de estresse e as reuniões sociais foram as situações mais relacionadas ao tabagismo. Sintomas como tosse, catarro e chiado foram mais freqüentes entre os fumantes, ao passo que a falta de ar, entre os não fumantes. A maior proporção de tabagistas ocorreu entre indivíduos com graus de escolaridade primário e secundário incompleto, mais especificamente entre os servidores...
The World Health Organization (WHO) estimates that there are about 1100 million smokers, representing approximately one third of the world population. Smoking remains the leading cause of preventable mortality in developed countries. This study was designed to verify the smoking habit prevalence and identify smoking-related respiratory symptoms among the students, teachers and technical-administrative employees of the Campus from Botucatu/UNESP. The study involved all Units of the Campus, including the Courses of Biology, Medicine, Nursing, Veterinary, Zootechny, Agronomy and Forestry Engineering. Modified ATS-DLD questionnaire, 78 was the instrument used to collect the data. Three thousand ninety individuals answered the questionnaire: 1008 students, 302 teachers, 1673 employees and 107 classified as others. According to the smoking habit 21,4% were smokers, 15,9% ex-smokers and 62,7% no-smokers. The proportion of smoking between males and females was not statiscally different. The majority of the smokers was between 11 and 21 years old when started the habit, consumed a half to one pack daily, used filter cigarette and inhaled the smoke. Stress and social meetings were the most probable situations to trigger the smoking. Symptoms as coughing, expectoration and wheezes were more frequent among the smokers and dyspnea, among no-smokers. The higher proportion of smokers occurred among individuals with lower degree of formal education, more specifically among the technical-administrative employees. Among undergraduates there was a tendency for a higher proportion of smokers... (Complete abstract click electronic access below)

Descrição

Palavras-chave

Fumo - Vício - Epidemiologia, Fumantes - Sintomas respiratórios, Tabagismo, Smokers - Respiratory symptoms

Como citar

LUPPI, Claudia Helena Bronzato. Prevalência de tabagismo no Campus de Botucatu/UNESP. 2001. 87 f. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina de Botucatu, 2001.