Os povos indígenas e a produção teórica em Educação Ambiental no Brasil: um estudo sobre teses e dissertações

dc.contributor.advisorCavalari, Rosa Maria Feiteiro [UNESP]
dc.contributor.authorPinto, Isabella Seraphim
dc.contributor.institutionUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.date.accessioned2021-08-26T11:05:02Z
dc.date.available2021-08-26T11:05:02Z
dc.date.issued2021-06-10
dc.description.abstractA figura do indígena carrega uma série de estereótipos oriundos do período colonial, e que perduraram ao longo dos últimos séculos. Desde o início da ocupação portuguesa e da chegada dos jesuítas, iniciou-se um processo árduo para catequizar e integrar o indígena ao modelo vigente, o que envolveu diversas violações contra as populações nativas. Apesar das pressões sofridas, essas populações resistem e contam com cosmovisões particulares, pautadas em um modo de relacionar-se com a natureza distinto daquele difundido nas sociedades industriais e de consumo. A presente pesquisa tem como objetivo analisar a compreensão sobre identidade indígena e sobre a relação entre ameríndios e natureza veiculadas nas teses e dissertações em Educação Ambiental no Brasil, bem como mapear o locus de produção dessas teses e dissertações buscando identificar os Programas de PósGraduação (PPG), as áreas do conhecimento, as instituições e os estados da federação nos quais esses trabalhos foram desenvolvidos. O presente trabalho se caracteriza como uma pesquisa do tipo “Estado da Arte” ou “Estado do Conhecimento” e se insere no âmbito do Projeto "Estado da Arte da Pesquisa em Educação Ambiental no Brasil” (EArte). Para o desenvolvimento da pesquisa, foi utilizado o banco de dados do Projeto Earte para a definição do corpus documental analisado, abrangendo teses e dissertações brasileiras em Educação Ambiental que tem como foco de estudo povos indígenas, defendidas no período compreendido entre os anos de 1981 e 2016. Para a constituição do corpus documental da presente investigação, foram buscados os termos “Indígena”; “Comunidade Indígena”; “População indígena”; “Povos indígenas”; “Povos da floresta”; “Povos nativos” e “Ameríndios”, em todas as suas variações (acentuação, plural, caixa alta e caixa baixa), no espaço de busca “Qualquer campo”, abrangendo assim pesquisas que mencionassem os termos nos títulos, resumos e/ou como palavras-chave. Essas buscas resultaram em setenta e sete trabalhos, sendo sessenta e seis dissertações e os onze teses. A maior parte da produção científica nessa temática está vinculada a Instituições de Ensino Superior públicas, bem como a maioria dos trabalhos do corpus documental estiveram voltados a etnias residentes na região centro-oeste. Foram selecionados quatro trabalhos que se alinhavam às propostas dessa pesquisa no que tange à compreensão da identidade indígena e da relação humano – natureza. Foi notória a perspectiva animista nos discursos de indígenas de quatro etnias, o que confere uma perspectiva não auto centrada e que valoriza todos os componentes do ecossistema, sejam eles vivos ou não. Apesar do histórico de violências perpetradas contra indígenas, além das pressões para suprimir sua cultura e identidade, ameríndios resistem e encontram nas Escolas Indígenas espaço para retomarem o protagonismo de seu processo educacional e se fortalecerem na luta pela terra e por direitos.pt
dc.description.abstractThe figure of indigenous peoples involves a series of stereotypes from the colonial period, which have persisted over the past centuries. Since the beginning of the portuguese occupation and the arrival of the catholic missionaries, a hard process has begun to catechize and integrate the indigenous peoples into the current model. This process involved several violations against native populations but despite the pressures they suffered, these populations resist and rely on particular worldviews, based on a way of relating to nature different from that widespread in industrial and consumer societies. The present research sought to analyze what was conveyed about indigenous identity and between Amerindians and nature, on brazilian theses and dissertations in Environmental Education, as well as mapping the locus of production of these theses and dissertations, seeking to identify the Post Graduate Programs, the areas of knowledge, institutions and states in which these works were developed. This research is “State of the Art” or “State of Knowledge” type and falls within the scope of the Project "State of the Art of Research in Environmental Education in Brazil" (Earte). Earte's database was used to define documental corpus, covering Brazilian theses and dissertations in Environmental Education, whose focus of study was indigenous peoples, published between 1981 and 2016. For the constitution of the documental corpus, the terms “Indigenous” were searched; also “Indigenous Community”; “Indigenous population”; "Indian people"; “People of the Forest”; "Native peoples" and "Amerindians", in all its variations (accentuation, plural, uppercase and lowercase), in the search space "Any field", thus covering searches that mention the terms in the titles, abstracts and / or as key words. These searches resulted in seventy-seven works, including sixty-six dissertations and eleven theses. Most of the scientific production on this theme is linked to public Higher Education Institutions, as well as most of the works in the corpus were aimed at documenting ethnic groups residing in the Midwest region. Four works were selected that were in line with the proposals of this research regarding the understanding of indigenous identity and the human-nature relationship. The animist perspective was notorious in the speeches of indigenous peoples of four ethnicities, which confers a non-self-centered perspective that values all components of the ecosystem, whether they are alive or not. Despite the violence perpetrated against indigenous people in the history of School Education in indigenous lands, other than the pressures to suppress their culture and identity, indigenous people resist and find in the Indigenous Schools space to resume the protagonism of their educational process and were strengthened in the struggle for land and for human rights. This whole situation represents an area of great relevance for critical environmental education, as long as it aims to promote ideals such as environmental sustainability linked to social justice.en
dc.description.sponsorshipNão recebi financiamento
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11449/214195
dc.language.isopor
dc.publisherUniversidade Estadual Paulista (Unesp)
dc.rights.accessRightsAcesso aberto
dc.subjectPovos indígenaspt
dc.subjectEducação ambientalpt
dc.subjectEstado da artept
dc.subjectIndigenous peoplesen
dc.subjectEnvironmental educationen
dc.subjectState of arten
dc.titleOs povos indígenas e a produção teórica em Educação Ambiental no Brasil: um estudo sobre teses e dissertaçõespt
dc.title.alternativeIndigenous peoples and theoretical production in Environmental Education in Brazil: a study on theses and dissertationsen
dc.typeTrabalho de conclusão de curso
unesp.campusUniversidade Estadual Paulista (Unesp), Instituto de Biociências, Rio Claropt
unesp.undergraduateEcologia - ibpt

Arquivos

Pacote Original
Agora exibindo 1 - 1 de 1
Carregando...
Imagem de Miniatura
Nome:
pinto_is_tcc_rcla.pdf
Tamanho:
1 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Licença do Pacote
Agora exibindo 1 - 2 de 2
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
license.txt
Tamanho:
2.43 KB
Formato:
Item-specific license agreed upon to submission
Descrição:
Nenhuma Miniatura disponível
Nome:
pinto_is_autorizacao_rcla.pdf
Tamanho:
84.25 KB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descrição: