Praticar atividade física influencia a capacidade funcional, intensidade de dor, e força dos extensores de tronco em indivíduos com dor lombar crônica?

Carregando...
Imagem de Miniatura

Data

2023-01-23

Autores

Ferreira, Renan Meca Pontes [UNESP]

Título da Revista

ISSN da Revista

Título de Volume

Editor

Universidade Estadual Paulista (Unesp)

Resumo

Introdução: A lombalgia é caracterizada como dor ou desconforto localizado na região abaixo do rebordo costal e acima da linha glútea superior. Alguns fatores como o baixo nível de atividade física ou sedentarismo e má postura durante atividades laborais, colaboram para a cronificação da dor. Objetivo: Investigar se praticar atividade física influencia a capacidade funcional, intensidade de dor e força dos extensores de tronco em indivíduos com dor lombar crônica. Métodos: A amostra foi composta por 30 indivíduos adultos, com idade entre 18 a 30 anos, de ambos os sexos, foram divididos em dois grupos, sedentários (GS, n=17) e pessoas ativas (GA, n=13). Foi aplicado o IPAq para classificar os participantes entre sedentários e ativos. Após, foram aplicados os questionários de Incapacidade de Roland Morris e o de qualidade de vida SF-36. A intensidade de dor foi obtida pela Escala Numérica de Dor (END). Na sequência, foi realizado o Teste Sentar e Alcançar (TSA) e a avaliação da força dos músculos extensores de tronco. Ao término das avaliações, foi realizado um protocolo de sobrecarga lombar. Após cinco minutos, a intensidade da dor, flexibilidade e força muscular foram reavaliadas. Para interpretação dos dados, foi adotado nível de significância de p < 0,05. Resultado: Após o protocolo de sobrecarga lombar o GS apresentou aumento da flexibilidade da cadeia posterior no TSA e houve aumento da dor para ambos os grupos. Conclusão: Indivíduos com dor lombar crônica, com níveis similares de Qualidade de Vida, intensidade de dor e incapacidade, independentemente de serem ativos ou sedentários, não se diferenciam, após serem submetidos a um protocolo de sobrecarga lombar, na percepção da dor, flexibilidade e capacidade de gerar força de extensão de tronco. Ademais, o Protocolo de sobrecarga lombar foi eficiente para gerar aumento de dor em ambos os grupos.
Introduction: Low back pain is characterized as pain or discomfort located in the region below the rib cage and above the upper gluteal line. Some factors, such as a low level of physical activity or a sedentary lifestyle and poor posture during work activities, contribute to the chronification of pain. Objective: To investigate whether physical activity influences functional capacity, pain intensity and trunk extensor strength in individuals with chronic low back pain. Methods: The sample was composed of 30 adult individuals, aged between 18 and 30 years, of both genders. They were divided into two groups, sedentary (SG, n=17) and active people (AG, n=13). The IPAq was used to classify the participants between sedentary and active people. Afterwards, the Roland Morris Disability and the SF-36 quality of life questionnaires were applied. Pain intensity was obtained by the Numerical Pain Scale (NDS). After that, the Sitting and Reaching Test (SCT) and the evaluation of the strength of the trunk extensor muscles were performed. At the end of the evaluations, a lumbar overload protocol was performed. After five minutes, pain intensity, flexibility, and muscle strength were reassessed. For data interpretation, a significance level of p < 0.05 was adopted. Result: After the lumbar overload protocol, the GS showed an increase in the flexibility of the posterior chain in the SRT and there was a increase in pain for both groups. Conclusion: individuals with chronic low back pain, with similar levels of Quality of Life, pain intensity and disability, regardless of being active or sedentary, do not differ in pain perception, flexibility and ability to generate trunk extension force after being submitted to a lumbar overload protocol. Furthermore, the lumbar overload protocol was efficient in generating increased pain in both groups.

Descrição

Palavras-chave

Dor lombar, Dinamometria manual, Amplitude de movimento articular, Low back pain, Manual dynamometry, Range of montion

Como citar